Filmes que valem a pena | Em Lula Pelo Amor (Dangerous Beauty, 1998)

Em Luta Pelo Amor (1998), o título em português oficial dessa belíssima obra de Marshall Herskovitz é muito ruim, e títulos ruins acabam afastando o espectador de uma experiência incrível que poderia acontecer caso esse primeiro contato com o filme não fosse estragado. Sendo assim, o nome do longa é Dangerous Beauty, e em nossa língua materna ele poderia ter ficado tão bom quanto no original em inglês caso a tradução simplesmente tivesse se dado literalmente: beleza perigosa. Sinta a diferença, leia os dois títulos em voz alta e perceba o quanto a atração é diferente. Você poderia até não gostar do filme depois a experiência, mas pelo menos iria sentar para conferi-lo.

Feita essa pequena introdução em que desabafo minha eterna indignação por esse deslize linguístico que jamais será corrigido, agora sim posso apresentar a película em que é centrado o presente texto. Ela conta a história de Veronica Franco (Catherine McCormack), uma jovem veneziana que, impedida de se casar com o homem que ama, acaba se tornando uma das maiores cortesãs da Itália na época de ouro da profissão, quando essas mulheres eram as mais cultas, desejadas e invejadas de toda a sociedade, desfrutando de uma liberdade atípica nos tempos em que o enredo se dá.

Espero ter acendido sua curiosidade com a sinopse acima, porque Dangerous Beauty está em uma posição muito alta na minha lista de melhores filmes, não por ser a maior obra já feita, mas pelo impacto que causa e a profundidade do que passa. Penso nele como um bolo de muitas camadas que, apesar do bem dosado açúcar colocado no lado de fora, possui um recheio muito rico e delicioso. Não é apenas o romance atípico entre Veronica e Marco (Rufus Sewell) que presenciamos, mas também uma tremenda aula de história dentro da fotografia avermelhada e dos vários metros de tecido de vestidos.

É claro que a história nos apresenta Veneza como um pequeno paraíso na Terra – um lugar concebido somente para fornicar e beber, como se fosse o idílico Valhala dos nórdicos -, mas essa é somente a casquinha do bolo para tornar essa experiência cultural e histórica ainda mais bela, porque o filme está longe de ser “fútil”.

Em Lula Pelo Amor (Dangerous Beauty, 1998)

McCormack assume o papel principal depois de vários nomes como Winona Ryder, Uma Thurman e Drew Barrymore o terem recusado e dá um verdadeiro show. Não há como imaginar mais ninguém interpretando Verônica.

Sendo assim, por todo o exposto, Em Luta Pelo Amor é no mínimo uma excelente obra para quem gosta de conhecer os eventos passados da nossa sociedade, mas principalmente obrigatória para os corações românticos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Flávia Leão

Cinéfila mineira que ama os filmes desde quando os clássicos da Disney ainda eram em VHS e os seriados desde que Jeffrey Lieber e J.J. Abrams inventaram Lost.