Abraccine escolhe ‘Sertânia’, de Geraldo Sarno, como o Melhor Filme Brasileiro de 2020

'Sertânia', de Geraldo Sarno, foi escolhido o Melhor Filme Brasileiro de 2020 pela Abraccine.

Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) escolheu Sertânia, de Geraldo Sarno, como o Melhor Filme Brasileiro de 2020.

Sertânia foi exibido na 9ª Edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba no ano passado. Além disso, foi mencionado na lista de 19 filmes que disputavam a oportunidade de representar o Brasil no Oscar 2021. Como todos já sabem, o escolhido pela ABC (Academia Brasileira de Cinema) foi Babenco – Alguém Tem Que Ouvir O Coração e Dizer: Parou, de Bárbara Paz. Consequentemente, esta produção não deixou de ser mencionada na lista de Melhores Filmes Brasileiros de 2020 da Abraccine.

O longa conta a história de Antão (Vertin Moura), que foi muito cedo para São Paulo com sua mãe na busca por uma melhor condição de vida. Anos depois, ele retorna ao Nordeste em busca do paradeiro de seu pai. Mas, no meio dessa jornada, ele conhece o temido Coronel Jesuíno Mourão (Julião Adrião) e passa a fazer parte de seu grupo. Confira a nossa crítica.

Outro mencionado foi Pacarrete, de Allan Deberton, que também teve a sua chance de ser o representante brasileiro no Oscar. O longa foi o maior vencedor da 47ª edição do Festival de Gramado em 2019. Confira a nossa crítica.

Na categoria Melhor Filme Estrangeiro, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema escolheu o longa francês Retrato de Uma Jovem em Chamas, de Céline Scianma. Mas a França também marcou presença com outro representante: Os Miseráveis, de Ladj Ly. Vale lembrar que esta produção dividiu o Prêmio do Júri com Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, no Festival de Cannes de 2019.

A Abraccine é uma entidade criada em 2011 e que já reúne mais de 100 críticos de diferentes estados do Brasil. Além de promover o pensamento crítico e o debate acerca do cinema brasileiro, o grupo também participa de festivais, publica livros e realiza cursos.

Confira a lista da Abraccine abaixo:

LONGA-METRAGEM BRASILEIRO

Vencedor: Sertânia, de Geraldo Sarno

Top 10 em ordem alfabética:
Aos Olhos de Ernesto, de Ana Luíza Azevedo
Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, de Bárbara Paz
Emicida: AmarElo – É Tudo pra Ontem, de Fred Ouro Preto
A Febre, de Maya Da-Rin
Fim de Festa, de Hilton Lacerda
Pacarrete, de Allan Deberton
Sol Alegria, de Tavinho Teixeira
Todos os Mortos, de Marco Dutra e Caetano Gotardo
Vermelha, de Getúlio Ribeiro

LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

Vencedor: Retrato de Uma Jovem em Chamas, de Céline Scianma

Top 10 em ordem alfabética:
Adoráveis Mulheres, de Greta Gerwig
O Caso Richard Jewell, de Clint Eastwood
O Farol, de Robert Eggers
Hotel às Margens do Rio, de Hong Sang-soo
Joias Brutas, de Josh Safdie e Benny Safdie
Martin Eden, de Pietro Marcello
Os Miseráveis, de Ladj Ly
Nunca Raramente Às Vezes Sempre, de Eliza Hittman
Você Não Estava Aqui, de Ken Loach

CURTA-METRAGEM BRASILEIRO

Vencedor: Inabitável, de Enock Carvalho e Matheus Farias / A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro / República, de Grace Passô (Empate)

Top 10 em ordem alfabética:
O Barco e o Rio (AM), Bernardo Ale Abinader
Cinema Contemporâneo (PE), Felipe André Silva
Construção (RS), Leonardo da Rosa
Entre Nós e o Mundo (SP), Fabio Rodrigo
Extratos (SP), Sinai Sganzerla
O Que Há em Ti (SP), Carlos Adriano
Vaga Carne (RJ), Grace Passô e Ricardo Alves Jr.

Matéria via Papo de Cinema.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.