Crítica | 2ª temporada torna ‘The Mandalorian’ uma das melhores obras do universo de Star Wars

Após o sucesso da primeira temporada, O Mandaloriano (The Mandalorian) chega em seu segundo ano para mostrar a que veio. Com um alto orçamento, desenho de produção impressionante, efeitos visuais convincentes, atuações cativantes e um texto extremamente bem afiado, a série mostra como o mundo de Star Wars, mesmo com seus altos e baixos ao apresentar algumas obras questionáveis, ainda consegue ser unânime no que se diz respeito a agradar (e cativar) seu público.

Se na primeira temporada o Mandaloriano (Pedro Pascal), como é chamado, um caçador de recompensas completamente focado em seu trabalho e carente de qualquer empatia, acaba se deparando com um bebê (que na verdade já tem 50 anos, mas que por causa de sua raça longeva, permanece ainda como um bebê) de uma raça extremamente rara – a mesma do icônico mestre Yoda – acaba por desenvolver um forte vínculo com a criança e a partir daí, passa a protegê-la dos vilões que a almejam, ao mesmo tempo em que descobre seus instintos afetivos.

O segundo ano de The Mandalorian vem não apenas para trazer um desfecho ao mistério lançado na temporada anterior, mas também para ampliar ainda mais esse universo, bem como trazer personagens já tão conhecidos pela cultura pop, seja por meio dos filmes, seja por meio de animações e outros.

Mas a que se deve o sucesso da série? Bom, podemos afirmar vários elementos que contribuem para a criação de uma fórmula perfeita.

The Mandalorian – 2ª temporada (Disney+)

O primeiro elemento é, sem dúvidas, os roteiros escritos pelo brilhante Jon Favreau, que além de possuírem uma interessante narrativa episódica por episódio (ou seja, em cada episódio, os personagens precisam lidar com um problema específico diferente), contém sempre uma trama bem articulada e são elegantemente escritos, com bom humor, tom aventuresco e rimas narrativas cativantes , apresentando ainda um motor que liga os episódios, uma trama maior que vai sendo desenvolvida aos poucos, com pequenas pistas que vão sendo deixadas ao longo dos episódios.

Além do texto, a série conta com a empatia. Ao apresentar um personagem extremamente amável e que traz afeto imediato ao público (além de apostar na nostalgia dos filmes clássicos com um dos personagens mais amados), a “criança” ou Baby Yoda, como é carinhosamente chamado na internet, é estabelecida através de uma forte relação entre os personagens, uma vez que há dinâmica entre o protagonista e seu protegido, já que ambos são extremos opostos.

Poderíamos mencionar também as coreografias de ação e outros, mas vamos focar no belíssimo desenho de produção, que conta com cenários muito bem reproduzidos, com uma direção de arte que sabe imprimir a essência de Star Wars na tela, com figurinos e objetos de cena lindíssimos. Interessante também é mencionar uma técnica inovadora utilizada na série, a de realizar as gravações em estúdio ao invés de visitar as locações mais complicadas e isso, sem utilizar (ou utilizando ao mínimo) telas verdes de chroma key. A solução encontrada pela produção foi a de gravar as cenas tendo como fundo uma grande tela de projeção com imagens dos cenários. Esse artifício ajudou a tornar as coisas mais reais no corte final, já que os elementos realmente estavam ali, facilitando o trabalho dos atores.

Diferente da temporada anterior, agora somos capazes de ver o rosto do protagonista em mais de uma cena, algo que sem dúvidas, foi um desafio e tanto para Pedro Pascal, de ser obrigado a atuar em todos os episódios sem mostrar o rosto.

The Mandalorian – 2ª temporada (Disney+)

Cativante, muito bem produzida e com um visual e desenho de som impecáveis e esplendorosos, a segunda temporada de The Mandalorian agrada não somente os fãs de Star Wars, mas também todas as pessoas que estão à procura de uma boa série com aspecto de cinema.

THE MANDALORIAN – 2ª TEMPORADA
5

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Cineasta independente e amante de filmes e séries. Nutre uma intensa paixão pela habilidade que só o ser humano tem de transmitir os aspectos de sua alma por meio da Arte...