Christpher Nolan critica Warner Bros. por decisão envolvendo HBO Max

Christopher Nolan criticou a decisão da Warner Bros. de lançar seus filmes nos cinemas e no serviço de streaming, HBO Max, simultaneamente.

De acordo com o site The WrapChristopher Nolan não reagiu muito bem à decisão da Warner Bros. de lançar seus filmes simultaneamente nos cinemas e no seu serviço de streaming, HBO Max. No total, 17 produções do estúdio estarão envolvidas neste processo, incluindo Duna e Matrix 4. Além disso, é importante lembrar que Mulher Maravilha 1984 foi o primeiro filme a se encaixar nessa decisão da Warner e, portanto, fará a sua estreia no dia 25 de dezembro dentro desses moldes.

Em entrevista, o diretor de Tenet contou que está incrédulo que a notícia. “Há muita controvérsia em torno disso, porque eles não contaram a ninguém.”, disse Christopher Nolan ao site ET.

Dessa forma, na opinião do cineasta, a Warner Bros. estaria arriscando o relacionamento com estrelas e outros cineastas que trabalham para o estúdio. “Em 2021, eles têm alguns dos maiores cineastas do mundo, eles têm algumas das maiores estrelas do mundo que trabalharam por anos em alguns casos nesses projetos muito próximos de seus corações que pretendem ser grandes experiências de tela. Eles devem estar disponíveis para o maior público possível … E agora eles estão sendo usados ​​como um líder de perdas para o serviço de streaming – para o serviço de streaming incipiente – sem qualquer consulta. Portanto, há muita controvérsia. É muito, muito, muito bagunçado.”

No entanto, Nolan acredita que após a pandemia do novo Coronavírus tudo voltará ao normal. “A longo prazo, acho que todos esses estúdios sabem que a experiência de ir ao cinema vai voltar e se tornar parte importante do ecossistema. O que você tem agora em nosso negócio é o uso da pandemia como desculpa para lucro em curto-prazo. E isso é realmente uma pena. Não é a forma certa de fazer negócios ou a forma mais saudável para nossa indústria. Mas para quando cinemas retornarem e as pessoas voltarem a ir para os filmes, quando a vacina for lançada e tivermos uma resposta apropriada do governo federal para a área da saúde, estou otimista nos prospectos. As pessoas amam ir ao cinema e vão voltar a ele novamente.”

Apesar do tom mais calmo na entrevista ao Entertainment Tonight, Nolan não conseguiu manter essa atitude ao conversar com o The Hollywood Reporter. O diretor disse: “Alguns dos maiores cineastas e estrelas de cinema de nossa indústria foram para a cama na noite anterior pensando que estavam trabalhando para o maior estúdio de cinema e acordaram para descobrir que trabalhavam para o pior serviço de streaming.”. Além disso, ele complementou: “A Warner Bros. tinha uma máquina incrível para fazer o trabalho de um cineasta em todos os lugares, tanto nos cinemas quanto em casa, e eles estão desmontando enquanto falamos. Eles nem mesmo entendem o que estão perdendo.”

Como será que vai ficar a situação de Christopher Nolan com a Warner Bros. agora? Vale lembrar que o cineasta e o estúdio trabalham juntos desde 2002 com o filme Insônia e realizaram grandes sucessos de crítica e de bilheteria como a trilogia do Cavaleiro das Trevas e a A Origem.

Tenet

Tenet, de Christopher Nolan, estreou nos EUA em setembro e no dia 29 de outubro no Brasil. Dessa forma, foi o primeiro blockbuster a estrear nos EUA durante a pandemia do novo Coronavírus. No entanto, no mercado nacional, arrecadou apenas US$ 57.6 milhões. Enquanto que, no mercado internacional, o valor arrecadado foi de US$ 302.3 milhões, com destaque para a China (US$ 66.6 milhões). Ou seja, Tenet faturou US$ 359.9 milhões em bilheteria ao redor do mundo.

A história apresenta um grupo de agentes secretos com o objetivo de impedir a Terceira Guerra Mundial. Além disso, parece que eles têm a habilidade de manipular o tempo. Além de John David Washington e Robert Pattinson, o elenco conta com outros nomes como Elizabeth Debicki (Guardiões da Galáxia Vol. 2), Kenneth Branagh (Dunkirk), Michael Caine (Trilogia Batman), Aaron Taylor-Johnson (Vingadores: Era de Ultron), Dimple Kapadia (O Que o Coração Deseja) e Clémence Poésy (Harry Potter).

O valor da bilheteria não conseguiu atingir as expectativas. É um resultado muito baixo para uma produção desse porte. Mas o contexto ainda não era favorável. Muitas salas de cinema nos EUA ainda estavam fechadas. Além disso, no caso das salas que estavam funcionando, a audiência precisou ser reduzida a fim de evitar aglomeração. Outra questão era a insegurança das pessoas uma vez que a pandemia ainda não estava totalmente controlada no país (e até hoje não está).

Se levar em consideração a atuação de Tenet aqui no Brasil, a situação continua não sendo boa. O filme faturou pouco mais de US$ 1 milhão até então (5ª semana em cartaz). Também no mercado brasileiro, para efeitos de comparação, A Origem (2010), por exemplo, arrecadou US$ 10.3 milhões, O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012) faturou pouco mais de US$ 27 milhões e Interestelar (2014), US$ 6.9 milhões.

Além de Christopher Nolan: A Legendary também criticou a decisão

Segundo o site Deadline, a Legendary Pictures também criticou a decisão da Warner Bros. em relação ao HBO Max. A produtora é responsável pelos longas Duna e Godzilla vs. Kong.

Aparentemente, a Legendary não teve o conhecimento do acordo com antecedência. O site The Hollywood Reporter completa que, provavelmente, a empresa entrará com uma ação judicial para tentar reverter a situação. Além disso, o diretor de Duna, Denis Villeneuve, seria mais um a defender o lançamento exclusivo nos cinemas.

O anúncio, feito por Toby Emmerich (Presidente da Warner Bros.) e Ann Sarnoff (Presidente e CEO da WarnerMedia Studios and Networks Group), tem como objetivo evitar baixas arrecadações em bilheteria. Ainda mais, muitos enxergam a decisão como uma estratégia para conquistar mais assinantes para o HBO Max, serviço que estreou em 27 de maio de 2020 nos EUA e tem, até hoje, apenas 8.6 milhões de assinaturas.  Aqui no Brasil, a nova plataforma de streaming chegará em maio de 2021.

Confira abaixo todos os filmes da Warner Bros. que terão o seus lançamentos nos cinemas e no HBO Max simultaneamente:

  • Mulher Maravilha 1984 (25 de dezembro de 2020 nos EUA), de Patty Jenkins
  • Duna (1º de outubro de 2021), de Denis Villeneuve
  • Godzilla vs. Kong (20 de novembro de 2021), de Adam Wingard
  • Matrix 4 (22 de dezembro de 2021), de Lana Wachowski
  • The Little Things, de John Lee Hancock
  • Judas and The Black Messiah, de Shaka King
  • Tom & Jerry: o  Filme, de Tim Story
  • Mortal Kombat, de Simon McQuoid
  • Those Who Wish Me Dead, de Taylor Sheridan
  • Invocação do Mal 3, de Michael Chaves
  • Em um Bairro de Nova York, de Jon M. Chu
  • Space Jam: Um Novo Legado, de Malcolm D. Lee
  • Reminiscence, de Lisa Joy
  • Malignant, de James Wan
  • The Many Saints of Newark, de Alan Taylor
  • King Richard, de Reinaldo Marcus Green
  • Cry Macho, de Clint Eastwood

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.