CIFF 2020 | A quebra de expectativa na militância política no drama ‘And Tomorrow the Entire World’ – Crítica

Na sua festa de aniversário de 15 anos, a diretora e produtora alemã Julia von Heinz, sofreu um ataque de neonazistas em Rheinauen, em Bonn. O ataque e as crenças políticas da jovem foram o suficiente para despertar nela a vontade de se aliar ao movimento antifascista desde cedo. Fazendo parte do cenário da esquerda militante em sua cidade, apesar de ser ativa em manifestações e protestos, a mesma se questionava acerca de alguns atos como o uso da violência pela militância, por exemplo. Inspirada em sua história de vida e seu flerte com a vida militante, von Heinz escreveu e dirigiu And Tomorrow the Entire World (Und morgen die ganze Welt), exibido na última edição do Festival de Veneza e conferido pelo Quarta Parede POP no Festival de Chicago (CIFF).

No filme, a Alemanha é atingida por uma violenta série de ataques terroristas racistas. Luisa (Mala Emde), de 20 anos, junta-se a uma subdivisão da Antifa para se opor ao movimento neonazista. Com suas ações imprudentes, ela não só luta contra a extrema direita, mas também tenta impressionar Alfa (Noah Saavedra), um ativista da Antifa pelo qual ela está secretamente apaixonada. Logo, a situação piora e Luisa e seus amigos entram em conflito sobre a questão de se a violência poderia ser uma resposta política legítima ao fascismo e ao ódio. 

And Tomorrow the Entire World  tem início quando Luísa passa a integrar o grupo Antifa, principalmente por acompanhar a perspectiva pessoal da diretora, ganha um aspecto único de aspecto pessoal e realismo. O desconforto da menina ao adentrar o grupo e perceber que não recebeu as boas vindas que esperava a deixam ainda mais tímida naquele local, no qual só tem proximidade de uma amiga da faculdade que a levou até lá. Entretanto, a determinação e empenho na causa a ajudam a ganhar o destaque e atenção daqueles ao seu redor, que passam  a levar sério o discurso de uma jovem burguesa que abre mão de seus privilégios para lutar pela causa política. 

Dividida entre o grupo Antifa e a casa dos pais protetores, Luisa ainda se vê interessada em um dos líderes do grupo que não dá a atenção que ela gostaria. Assim como suas ideias na causa fizeram-na ser notada pelo grupo, foram elas também que aproximaram a protagonista do rapaz. Juntos, ambos irão configurar uma série de atividades ativistas que chame atenção e atinja os nazistas, que no momento atual do filme, voltam cada vez mais a executar atividades em público quando liderados por um dos líderes do passado. 

Protagonizado por Mala Emde, And Tomorrow the Entire World une a política e o romance em uma trama interessante de acompanhar. O filme é o crescimento de sua protagonista, que ganha voz, força e confiança tanto na política quanto no seu relacionamento com Alfa, mas também que sofre a desilusão em ambas as áreas ao perceber que seus pré-conceitos e devaneios acerca do movimento, não são na prática o que imaginava. Colocando em risco sua vida diversas vezes, Luisa se questiona até que ponto é efetivo e válido o desgaste físico e emocional no que se predispôs. 

Enquanto é visível a concretude desse encontro da jovem com aquilo que a movimenta, também há a quebra de expectativas quando se depara com uma realidade que exige uma nova postura e mudança de ações. Emde seria a única atriz possível para guiar Luisa. Cativante, a personagem que possui pais que a oferecem boas condições de vida, possuía uma trajetória que a aproxima de seus ideais, enquanto os faz questionar sobre quais são eles. Enérgico, com uma trilha sonora magnética, o longa pulsa juventude, sem abandonar o passado presente através de um veterano militante que guia os jovens militantes e do líder fascista que retorna seus atos. 

Uma aventura excepcional, apesar dos clichês em torno do romance jovial, que abocanhou no Festival de Chicago o prêmio Silver Hugo de Melhor Performance de Elenco, reconhecendo que o destaque de Mala não apaga a notória presença do grupo de jovens antifascistas que lutam em busca de um futuro melhor. Entretanto, And Tomorrow the Entire World não é tão ousado nas narrativas que apresenta, flertando um triangulo amoroso entre Luisa, Alfa e Lenor (Tonio Schneider) que nunca ocorre de fato. 

Acompanhe aqui a cobertura do Festival Internacional de Cinema de Chicago (CIFF), feita pelo Quarta Parede POP. 

AND TOMORROW THE ENTIRE WORLD | UND MORGEN DIE GANZE WELT
4

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Estudante de psicologia e fascinada pelo audiovisual. Acredita que o cinema seja uma arte de teor político que dá voz a quem não é ouvido. Gosta de conhecer novas culturas e acredita que o cinema seja a melhor forma para isso, expandindo assim a visão de mundo dentro se sua limitada realidade.