Sean Connery, o primeiro 007 do cinema, morre aos 90 anos

Sean Connery, ator conhecido por ter vivido a primeira versão de James Bond nos cinemas, morreu no último sábado (31), aos 90 anos. Ele estava em Nassau, nas Bahamas, com sua família.

Um dia triste para todos que conheciam e amavam meu pai e uma perda triste para todas as pessoas ao redor do mundo que apreciavam o maravilhoso talento que ele tinha como ator“, disse o filho Jason Connery, à BCC.

Apesar da brilhante carreira, Connery é  conhecido por ser o agente 007 – personagem criado pelo escritor Ian Fleming – original do cinema. Sua carreira, no entanto, começou em 1954, alternando papéis de menor destaque no cinema e na TV, até despontar como James Bond em 1962, em O Satânico Dr. No, tendo feito mais seis filmes no papel:Moscou contra 007 (1963), 007 contra Goldfinger (1964), 007 contra a Chantagem Atômica (1965) e Com 007 Só se Vive Duas Vezes (1967). Após ser substituído por George Lazenby no sexto filme da franquia, ele voltou a interpretar Bond em 007: Os Diamantes São Eternos (1971) e 007: Nunca mais Outra Vez (1983).

Connery foi indicado uma vez ao Oscar por Os Intocáveis, longa de 1987 que lhe rendeu a estatueta de melhor ator coadjuvante no ano seguinte. Ele também viveu o pai de Indiana Jones em a Última Cruzada, além de ter tido atuações de destaque em longas como O Nome da Rosa (filme que lhe rendeu um BAFTA, maior prêmio da Academia de cinema britânica), A Rocha, Lancelot, o Primeiro Cavaleiro e A Liga Extraordinária, seu último filme, que estreou nos cinemas em 2002.

Nascido em Edimburgo, Escócia, Sean Connery foi nomeado cavaleiro pela rainha Elizabeth em 2000 aos 69 anos de idade. Além do filho, ele deixa a esposa, Micheline Roquebrune.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...