9º Olhar de Cinema | Um outro ponto de vista em ‘Na Cabine de Exibição’ – Crítica

O que se passa em uma imagem? O que se passa na pessoa que olha uma imagem? O que se passa na pessoa que vê sua própria imagem enquanto olha para uma imagem? Essas três perguntas embasam o documentário Na Cabine de Exibição (The Viewing Booth), do israelense Ra’anan Alexandrowicz, exibido no Festival Internacional de Curitiba Olhar de Cinema. É um jogo interessantíssimo acerca de uma questão já bastante discutida, principalmente quando se trata de documentários: o filme pode ser objetivo? 

No longa, de 71 minutos, Alexandrowicz realiza um experimento ao convidar alunos para assistirem vídeos que evidenciam o cenário entre Israel e Palestina. Apesar de outros participantes, o diretor opta por mostrar apenas as reações da americana Maia Levi por ser um ponto de vista diferente do seu. As imagens assistidas podem até ser as mesmas, no entanto, as interpretações desses dois espectadores – Maia e o diretor – divergem completamente. 

É interessante observar que aqui o diretor torna-se um personagem, à medida que é filmado dando orientações à jovem sobre como reagir a tais vídeos. Por exemplo, ele a pede que pause a exibição de vez em quando e verbalize suas ideias e opiniões sobre o que está vendo. Somente este fato já demonstra uma subjetividade do próprio documentarista em como seu filme será desenvolvido a partir dali. 

Mais provocativo ainda é notar como Maia responde e analisa sobre os vídeos. Suas observações não são objetivas, pois são fundamentadas em seu próprio sistema de crenças. É curioso perceber o quanto nós invalidamos ou achamos brechas em determinadas imagens para assegurar nossas ideologias pessoais. Também, nós – espectadores deste documentário – formamos uma ideia sobre os vídeos de Israel que podem ou não contrastar com a da jovem. Além disso, criamos um juízo de valor sobre a americana conforme suas impressões. 

Meses depois deste primeiro encontro, Alexandrowicz convida Maia a uma segunda sessão em que assistirá ela mesma assistindo aos vídeos. Desta vez, o diretor a confronta sobre o motivo de ter examinado as imagens desta ou daquela maneira. Diálogo feito de forma bastante pacífica, sem que um tente impor sua visão sobre o outro. Em Na Cabine de Exibição, documentarista cria um jogo muito intrigante sobre a relação imagem-espectador que incita uma série de reflexões e debates estimulantes. 

*Filme assistido no Festival Internacional de Curitiba Olhar de Cinema, em Outubro de 2020. 

Acompanhe aqui a cobertura do 9º Olhar de Cinema

NA CABINE DE EXIBIÇÃO | THE VIEWING BOTH
4

RESUMO

Na Cabine de Exibição expõe o já conhecido debate sobre imagem e espectador de forma muito interessante.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Isa Carvalho

Jornalista e estudante de cinema. Acredita que o cinema é um documentário de si mesmo, em que o impossível torna-se parte do real. "Como filmar o mundo se o mundo é o fato de ser filmado?"