Festival de Toronto 2020 | Após Leão de Ouro, ‘Nomadland’ é consagrado melhor filme da edição pelo público

Um dos festivais de cinema mais importantes do mundo chegou ao fim no dia 20 de setembro. O Festival de Toronto (TIFF), conhecido como um dos maiores eventos para filmes que são lançados no mercado internacional surgiu em 1976 sob o título de Festival dos Festivais e premiava os melhores filmes já exibidos em outros festivais. Mantido por investimentos de cineastas e empresários, o festival tomou um porte tão grande que acabou se tornando uma ferramenta de marketing de Hollywood e assim um dos maiores festivais de cinema do mundo.

Nos últimos anos o Festival de Toronto tem se tornado, cada vez mais, uma peça essencial para que possamos ter uma previsão de quais filmes são os grandes destaques que podemos ver durante o Oscar. Com uma grande seleção de filmes, todos os anos o TIFF exibe desde os filmes mais aguardados como também produções menores que crescem com o passar do tempo. O festival possui ainda, como carro chefe, o People’s Choice Award, prêmio votado pelo público do evento que escolhe o melhor filme da edição do festival.  

Nos últimos anos os vencedores desse prêmio são filmes que se tornaram, posteriormente, os favoritos do público e da crítica na temporada de premiações. Entre os últimos vencedores do grande prêmio do festival tivemos os filmes: Jojo Rabbit (2019), Green Book (2018), Três Anúncios Contra um Crime (2017), La la Land (2016), O Quarto de Jack (2015), O Jogo da Imitação (2014) e 12 Anos de Escravidão (2013). Além de Jojo Rabbit, História de Um Casamento e Parasita levaram para casa os prêmios de segundo e terceiro lugar respectivamente no ano de 2019.  

Em 2020, o festival que ocorreu de forma virtual devido a pandemia do coronavírus, teve como vencedor do grande prêmio do festival o filme Nomadland, de Chloé Zhao protagonizado por Frances McDormand. O filme que também levou para casa o maior prêmio do Festival de Veneza, o Leão de Ouro, desponta como um dos grandes longas do ano, presente em uma grande número de festivais até o ano de 2021 é tido como uma das maiores apostas para o Oscar.

Frances McDormand em Nomadland (2020)

O segundo lugar ficou a cargo de One Night in Miami, dirigido pela atriz Regina King. Seu filme também foi exibido no Festival de Veneza, entretanto fora de competição, mesmo assim, foi um dos mais elogiados do festival europeu. E o terceiro lugar foi para o longa Beans, da canadense Tracey DeerBeans é o longa de ficção de estreia da diretora. Baseado em fatos reais, o filme narra o impasse de 78 dias entre duas comunidades Mohawk e as forças do governo em 1990 em Quebec. 

Confira abaixo os prêmios do Festival de Toronto 2020:

People´s Choice Award
Nomadland, de Chloe Zhao
2ª Lugar: One Night in Miami, de Regina King 
3ª Lugar: Beans, de Tracey Deer 

People’s Choice Midnight Madness Award (prêmio voltado para filmes cult)
Shadow in the Cloud, de Roseanne Liang 

People’s Choice Documentary Award 
Inconvenient Indian, de Michelle Latimer 

NETPAC Award (Network for the Promotion of Asian Cinema)
Gaza Mon Amour, de Tarzan Nasser e Arab Nasser 

FIPRESCI prize (prêmio da crítica)
Beginning, de Dea Kulumbegashvili 

The 2020 Changemaker Award 
 Black Bodies, de Kelly Fyffe-Marshall

Amplify Voices Award for Best Canadian Feature Film
Inconvenient Indian, de Michelle Latimer
Menção Honrosa: Fauna, de Nicolás Pereda 

Amplify Voices Award 
The Disciple, de Chaitanya Tamhane 

Amplify Voices Award
Night of the Kings, de Philippe Lacôte
Menção Honrosa: Downstreamto Kinshasa, de Dieudo Hamadi 

Short Cuts Share Her Journey Award  
Sing Me a Lullaby, de Tiffany Hsiung 

Short Cuts Award for Best Canadian Film  
Benjamin, Benny, Ben, de Paul Shkordoff 

Short Cuts Award for Best Film  
Dustin, de Naïla Guiguet 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Juliana Oliveira

Estudante de psicologia e fascinada pelo audiovisual. Acredita que o cinema seja uma arte de teor político que dá voz a quem não é ouvido. Gosta de conhecer novas culturas e acredita que o cinema seja a melhor forma para isso, expandindo assim a visão de mundo dentro se sua limitada realidade.