Oscar 2021 | Comissão para escolher filme representante do Brasil na premiação é criada

A Academia Brasileira de Cinema formou a comissão que escolherá o representante do Brasil no Oscar 2021.

A ABC (Academia Brasileira de Cinema) formou a comissão que escolherá o filme representante do Brasil no Oscar 2021.

A comissão é formada por diretores, produtores, diretor de fotografia e roteiristas. São eles: Affonso Beato (O Dragão da Maldade Contra o Santo GuerreiroTudo Sobre Minha Mãe);  Clélia Bessa (Copa de Elite); Laís Bodanzky (Bicho de Sete CabeçasComo Nossos Pais); Leonardo Monteiro de Barros (2 Filhos de Francisco); Lula Carvalho (Bingo: O Rei das Manhãs, Auto de Resistência); Renata Magalhães (5 Vezes Favela: Agora Por Nós Mesmos); Rodrigo Teixeira (A Vida Invisível, O Animal Cordial); Roberto Berliner (Nise: O Coração da Loucura) e Viviane Ferreira (Dara: A Primeira Vez que Foi ao Céu, Um Dia com Jerusa). Os membros suplentes da comissão são o roteirista André Ristum (A Voz do Silêncio) e o diretor Toni Venturi (A Comédia Divina).

O filme selecionado terá a chance de disputar uma vaga na categoria Melhor Filme Internacional na cerimônia do ano que vem. Nos últimos cinco anos, os longas brasileiros selecionados foram: Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert; Pequeno Segredo, de David SchurmannBingo: O Rei das Manhãs, de Daniel Rezende; O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues; e A Vida Invisível, de Karim Aïnouz.

Problemas com A Data do Oscar 2021

O ano de 2020 tem sido bastante confuso. E não está sendo diferente para o cinema no Brasil e ao redor do mundo. Devido à pandemia do novo Coronavírus, muitos tradicionais festivais e premiações precisaram realizar alterações nas suas datas e regras. Aconteceu, além do Oscar 2021, com o Globo de Ouro 2021, o Bafta 2021, o Critics´Choice Awards 2021 e o Festival de Cannes 2020, que foi cancelado. Aqui, o Grande Prêmio de Cinema Brasileiro 2020 segue sem uma definição.

Uma das maiores mudanças realizadas pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas foi em relação às regras de elegibilidade a fim de aceitar filmes lançados em plataformas digitais esse ano. A decisão, que foi avaliada por um bom de tempo, também inclui a categoria Melhor Filme Internacional. Dessa forma, é possível ler todo o regulamento no site da Academia Brasileira de Cinema.

O Envolvimento da Secretaria Especial da Cultura

De acordo com o site Revista FórumMário Frias, atual Secretário Especial da Cultura, num tom bem arrogante, tentou se envolver na decisão da ABC. O substituto de Regina Duarte teria ligado para o Presidente da Academia, Jorge Pellegrino, e pedido para que o filme escolhido como representante do Brasil fosse “alinhado com os objetivos do Governo Federal”.

Assim, Frias teria reforçado que não poderia acontecer esse ano o que ocorreu no ano passado, referindo-se à indicação do filme Democracia em Vertigem, de Petra Costa, na categoria Melhor Documentário. Essa é mais uma prova de que o nível de ignorância e estupidez de todos os envolvidos no Governo Bolsonaro é enorme. Primeiramente, a ABC tem a total independência na escolha do filme representante do país na premiação, ou seja, a decisão não diz respeito ao Governo e nem deve. Em segundo lugar, o documentário de Petra foi inscrito no Oscar pela Netflix, que produziu e distribuiu o longa.

Vale lembrar que o Brasil já conquistou quatro indicações na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar. Os filmes indicados foram: O Pagador de Promessas (1963), de Anselmo DuarteO Quatrilho (1996), de Fábio BarretoO Que É Isso, Companheiro? (1998), de Bruno Barreto; e Central do Brasil (1999), de Walter SallesConfira aqui todos os filmes indicados ao Oscar até hoje.

A cerimônia do Oscar 2021 foi adiada para o dia 25 de abril.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.