Oscar 2021 | Academia adotará requisitos de diversidade

O Oscar 2021 passará por mudanças significativas.

De acordo com o site The New York Times, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas está debatendo medidas em relação à questão da diversidade. Essa notícia vem em um momento de grandes discussões acerca do Oscar 2021. A ideia é levar a diversidade tanto para a cerimônia da premiação quanto para a organização.

Dessa forma, a Academia criará um grupo de força-tarefa para desenvolver alguns requisitos que os filmes elegíveis deverão cumprir. Segundo a fonte, esse grupo deve ficar pronto até o fim de julho. Mas, a organização já anunciou que essas medidas não devem valer para a cerimônia do Oscar 2021.

A fonte levanta a hipótese de que a Academia deve se inspirar nos requisitos elaborados pelo Bafta no ano passado. A premiação britânica criou critérios de diversidade para a elegibilidade dos filmes. Assim, as produções precisam atender a pelo menos dois padrões de diversidade, como “representação na tela, temas e narrativas” e “acesso e oportunidades da indústria”.

Dawn Hudson, diretor executivo da Academia, disse em comunicado que “a necessidade de resolver esse problema é urgente”“Com esse objetivo, vamos mudar e continuar examinando nossos procedimentos para garantir que todas as vozes sejam ouvidas e celebradas”, complementa.

Por outro lado, a Academia também está planejando realizar outras atividades, como palestras. Inicialmente, foi anunciada uma conversa sobre racismo e estereótipos em Hollywood, liderada pela vencedora do Oscar, Whoopi Goldberg.

Outro anúncio divulgado foi a alteração na regra para a categoria Melhor Filme. Diferente da regra estabelecida em 2010, a categoria principal será fixada em 10 indicados. Anteriormente, era possível uma certa flutuação na categoria. Desse modo, era comum num ano aparecer 8 indicados à Melhor Filme, no outro 9. A única vez que o Oscar contou com exatos 10 filmes na categoria foi em 2010, primeiro ano dessa regra.

#OscarsSoWhite e as Mudanças entre os Indicados

Depois de dois anos seguidos (2015 e 2016) indicando apenas pessoas brancas às categorias principais, a #OscarsSoWhite começou a ganhar cada vez mais destaque. Dessa forma, Hollywood parou para discutir a falta de diversidade na premiação.

Dados apontavam que, em 2015, as mulheres na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas representavam 25%, enquanto que as pessoas não-brancas eram apenas 8%. No entanto, no ano passado esses números tinham subido para 32% e 16%, mulheres e pessoas não-brancas respectivamente.

O ano de 2019 ficou marcado por algumas respostas no que diz respeito à diversidade na premiação. Por exemplo, um aumento da participação das mulheres dentre os indicados, entre outros casos. Da mesma forma, mudanças também puderam ser percebidas na cerimônia desse ano.

Embora essas mudanças estejam acontecendo, é preciso observar que ainda é muito pouco.

As Alterações nas Regras de Elegibilidade para o Oscar 2021

A Academia apresentou uma série de alterações nas suas regras para o Oscar 2021. Isso devido à pandemia do novo Coronavírus. É um momento de crise para Hollywood. Os cinemas nos EUA estão fechados, a fim de evitar a aglomeração e, com isso, as estreias de filmes não podem ocorrer. Portanto, as mudanças visam à aceitação de filmes lançados em plataformas digitais esse ano.

Um exemplo dessas alterações diz respeito à regra principal de elegibilidade para o Oscar. Anteriormente, os filmes deveriam ser exibidos nos cinemas nos EUA por pelo menos 7 dias. Agora, para que um filme lançado via streaming possa se qualificar, ele deve ter pelo menos uma data planejada para a estreia nos cinemas.

À princípio, boa parte da Academia não aceitava muito bem os filmes lançados diretamente em streaming. Inclusive, o diretor Steven Spielberg chegou a fazer várias críticas a um grande personagem dessa história, a Netflix. De acordo com o cineasta, se esses filmes são exibidos na TV, eles deveriam concorrer ao Emmy e não ao Oscar. Porém, o contexto agora é outro.

Além do Oscar 2021: As Consequências na Indústria de Entretenimento

O surto do novo Coronavírus tem apresentado várias consequências para o mundo e a indústria de entretenimento não escapa disso. Recentemente, a OMS (Organização Mundial de Saúde) decretou caso de pandemia. Filmes como MulanUm Lugar Silencioso: Parte II007: Sem Tempo Para Morrer etc tiveram suas estreias adiadas. A gravação de Velozes e Furiosos 9 e Falcão e o Soldado Invernal também foram canceladas por um tempo. Além disso, a China perdeu mais de US$ 200 milhões em bilheteria, o que fez com que vários cinemas precisassem ser fechados no país.

Além de Tom Hanks e Rita Wilson, outras celebridades já contraíram o COVID-19. Entre eles, o ator Idris Elba, a ex-Bond girl Olga KurylenkoKristofer Hivju (Game of Thrones), entre outros. Enquanto que aqui no Brasil, nomes como a cantora Preta Gil, a atriz Fernanda Paes Leme e o cantor Di Ferrero são alguns nomes que já se manifestaram sobre seus diagnósticos.

À princípio, os casos aqui na América do Sul começaram a aparecer em países como Chile, Argentina e Brasil – 829.902 infectados e 41.901 mortos. A informação é confirmada pelas Secretarias de Saúde Estaduais. (Dados atualizados às 20:32h).

A cerimônia do Oscar 2021 está prevista para ser realizada no dia 28 de fevereiro do ano que vem. No entanto, fontes afirmam que a Academia estaria discutindo uma possível alteração na data.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.