Spike Lee une George Floyd, Eric Garner e ‘Faça a Coisa Certa’ em vídeo

O cineasta Spike Lee divulgou em seu perfil no Twitter um vídeo que junta cenas da intensa violência policial que pessoas negras sofrem nos EUA. Em cerca de 90 segundos, o diretor apresenta cenas de um dos maiores filmes de sua carreira, Faça a Coisa Certa (1989), e vídeos da opressão policial que levou Eric Garner, George Floyd e muitos outros à morte.

Logo na abertura do vídeo, Spike questiona: “A história vai parar de se repetir?”. Enfim, confira abaixo. Mas lembre-se de que a obra audiovisual apresenta cenas de extrema violência.

“3 Irmãos – Radio Raheem, Eric Garner e George Floyd.”

De acordo com o site Variety, Spike Lee disse em entrevista ao apresentador Don Lemon, da CNN: “Estamos vendo isso de novo e de novo e de novo. É isso, a morte de corpos negros, é sobre isso que este país é construído.”

No indicado ao Oscar, Faça a Coisa Certa, Spike representa a brutalidade dos policiais brancos nos EUA, principalmente, através do personagem Radio Raheem. Interpretado por Bill Nunn, na história, ele é assassinado por um oficial, enquanto vários outros policiais os cercam e lhe dão cobertura.

Sobre Os Casos Apresentados no Vídeo

Mas não é apenas um filme e isso se repete constantemente na vida real. No caso de Eric Garner, ele foi abordado por vários policiais brancos, que o consideravam suspeito de venda de cigarros em Nova York, em 2014. No momento em que Eric tenta se afastar, um policial aplica um mata leão nele e o pressiona contra o chão. A vítima, após repetir 11 vezes a frase “Não consigo respirar”, perdeu a consciência. Uma hora depois foi declarado morto por estrangulamento. O assassino não foi indiciado pelo crime.

George Floyd foi assassinado por um policial branco no dia 25 de maio, em Minneapolis. O policial, Derek Chauvin, colocou a vítima no chão e pressionou o joelho no pescoço dela por mais de 8 minutos. George, de 46 anos, anunciou algumas vezes que não estava conseguindo respirar. Mesmo assim, o policial continuou a ação brutal. Porém, ele foi acusado por homicídio culposo, aquele em que se entende que não houve a intenção de matar.

Esses dois casos e muitos outros de grande injustiça causaram uma indignação e levaram as pessoas às ruas para protestar. Os manifestantes fazem questão de lembrar os nomes das vítimas e enfrentam a polícia, que recebem ordens de oprimir o movimento. Esses agentes têm feito constante uso de bombas de gás contra os cidadãos, além de realizarem prisões durante os protestos.

Dessa forma, pelo menos 40 cidades começaram a estabelecer toques de recolher na tentativa de barrar as manifestações. Mas as pessoas não param de se mobilizar. Na última noite (31 de maio), centenas de pessoas se posicionaram em frente à Casa Branca. O Presidente dos EUA, Donald Trump, que é radicalmente contra os protestos, deu ordem para um enfrentamento policial no local. Ele chegou a se dirigir aos protestantes como “bandidos” e culpou-os pela violência.

Muitas estrelas ao redor do mundo têm se posicionado ao lado do “Black Lives Matter”. A partir disso, as manifestações têm inspirado uma série de outros movimentos ao redor do mundo. No Brasil, por exemplo, ocorreram protestos do “Vidas Negras Importam” em nome de pessoas negras como a Ágatha, de 8 anos, e o João Pedro, de 14; ambos assassinados por policiais militares.

O Próximo Trabalho de Spike Lee

Recentemente, foi divulgado o primeiro trailer do novo filme de Spike Lee, Destacamento Blood. O longa conta a história de quatro veteranos da Guerra do Vietnã, que retornam ao local do confronto para encontrar os restos mortais do seu comandante. Além disso, eles entram na busca por um tesouro enterrado. No entanto, essa viagem pode trazer de volta lembranças bem difíceis.

Fazem parte do elenco Chadwick Boseman (Pantera Negra), Jean Reno (O Profissional), Delroy Lindo (Malcolm X) e Paul Walter Hauser (O Caso Richard Jewell). Spike, além de dirigir, também escreveu o roteiro ao lado de Kevin Willmott. Os dois ganharam o Oscar na categoria Melhor Roteiro Adaptado em 2019 pelo filme Infiltrado na Klan.

Destacamento Blood estreia no dia 12 de junho na Netflix.

Ainda esse ano o cineasta atuaria como Presidente do Júri do Festival de Cannes 2020. O evento foi cancelado devido à pandemia do novo Coronavírus. Mas há a possibilidade de que o cineasta assuma tal posição em 2021.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.