Crítica | ‘Defending Jacob’ é um drama tenso e cativante

Defending Jacob ou Em Defesa de Jacob, como veio para o Brasil, é uma das mais recentes séries da Apple TV+ e conta com uma premissa que gira em torno de uma tragédia que acontece logo no início da trama. Quando um garoto é encontrado morto em um parque, vítima de facadas, o principal suspeito do assassinato é Jacob (Jaeden Martell). Os problemas são intensificados quando a polícia, sendo obrigada pela mídia e pela sociedade a encontrar logo um suspeito, transforma a vida de Jacob e de sua família em uma bagunça.

Desesperados, mas sem medir esforços para provar a inocência do filho, Andy (Chris Evans) e Laurie (Michelle Dockery) se veem em uma situação extremamente complicada, uma vez que perdem praticamente todos os seus amigos e começam a ser considerados persona non grata na comunidade em que vivem (e até em locais mais distantes, uma vez que o caso está sendo explorado por todas as plataformas de comunicação).

Com uma trama intrincada e repleta de reviravoltas, o roteiro de Mark Bomback é muito bem desenvolvido e consegue cativar os expectadores logo nos primeiros frames do episódio piloto, entregando pequenos fragmentos de informações conforme os eventos vão se desenrolando na tela. Interessante também é notar que apesar de grande parte dos episódios gastarem considerável parte do tempo com a investigações e as sessões do julgamento no tribunal, a série foca mais no drama familiar, mostrando as consequências que a tragédia trouxe para esta família simples de uma cidadezinha pacata.

Evans entrega uma atuação bastante diferente do que o grande público está acostumado a ver, carregando o escudo do Capitão América nos filmes da Marvel. Aqui, ele mostra seu lado dramático, muito mais parecido com o que performa nos filmes menores que realizou no passado. Um pai dedicado à família, mas recluso com as pessoas de fora, e que mesmo guardando segredos sombrios sobre seu passado, se esforça a todo momento para ser uma pessoa decente, o que pode ser observado por exemplo, na escolha de sua profissão como promotor de justiça. Como principal responsável pela movimentação da trama, pode-se afirmar que ele é o verdadeiro protagonista da série.

Defending Jacob (Apple TV+)

Dockery também brilha na tela, na pele de uma mãe que ama seu filho e que faz tudo por ele, mas que não deixa de possuir suas próprias dúvidas acerca da inocência de Jacob. É incrível perceber nos detalhes de sua atuação, o turbilhão de sentimentos que está se passando na cabeça dessa mulher, tendo que encarar cada fase dessa jornada e a cada instante, sendo bombardeada por mentiras e informações omitidas até mesmo pelas pessoas em que ela mais deveria confiar neste momento de crise, Jacob e Andy. E, ao mesmo tempo, tendo que lidar com o ódio das pessoas e o assédio da mídia.

Por fim, mas não menos importante, vemos em Martell um menino que, às vezes, aparenta ser inocente, mas que graças aos momentos de mudança repentina de humor, agressividade e uma quase que constante indiferença, o personagem se transforma em uma espécie de incógnita, sendo impossível dizer se ele foi ou não, responsável pelo assassinato. Porém, um dos maiores trunfos da série com certeza está em seu elenco de apoio, que conta com grandes nomes, além dos já citados, como Pablo Schreiber, Cherry Jones e J.K. Simmons.

A direção de fotografia, com uma paleta de cores frias, mostra como o mundo dos personagens é gélido e sem esperança, com pessoas agindo de forma cruel e havendo muito pouca empatia, fornecendo um clima de mistério intrigante durante todos os oito episódios. Defending Jacob é, com certeza, uma ótima pedida para este período de quarentena, uma vez que o último episódio foi ao ar no dia 29 de maio.

DEFENDING JACOB
4.5

RESUMO

Sem o escudo do Capitão América, Chris Evans retorna aos papéis dramáticos em Defending Jacob, minissérie da Apple TV+ que transborda tensão e mistério.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Jeziel Bueno

Cineasta independente e amante de filmes e séries. Nutre uma intensa paixão pela habilidade que só o ser humano tem de transmitir os aspectos de sua alma por meio da Arte...