Crítica | Série de horror e suspense da Apple, ‘Servant’ é cativante e perturbadora

Perturbadora. Essa é a palavra dessa nova serie da Apple. Criada por Tony Basgallop e parcialmente dirigida por M. Night Shyamalan, Servant é um belíssimo exemplo que resume os filmes de terror contemporâneos.

A premissa conta a história de Sean Turner (Toby Kebbel) e Dorothy Turner (Lauren Ambrose), um casal que abalados pela perda de seu bebê recém-nascido, acabam por tomar uma estranha medida temporária para lidar com o luto: eles adotam um boneco e começam a viver um teatro onde a peça de plástico representa seu falecido filho. Os problemas começam quando o casal contrata a babá Leanne Grayson (Nell Tiger Free) para cuidar do boneco, o que torna toda a situação da casa ainda mais estranha.

Com uma premissa tão simples, pode-se concluir que a série começa bem, mas vai perdendo o ritmo ao longo dos episódios, porém, afirmar isso seria um equívoco, pois há uma trama muito mais complexa escondida naquela casa. Há muita história escondida atrás daquelas paredes e muitos acontecimentos foram vividos tanto pelo casal, quanto pela própria Leanne, assim como pelo restante da família deles, o que podemos notar ao perceber o desconforto que esta vivendo o irmão de Dorothy, Julian Pierce (Rupert Grint).

A partir daí, podemos notar o quão desequilibrados e disfuncionais são esses personagens. Dorothy, que durante o dia é repórter de um telejornal, está constantemente vivendo em desequilíbrio, inclusive o que pode ser notado em seus trejeitos. Até seus sorrisos são forçados, como se ela estivesse o tempo todo tentando se convencer de que está mesmo feliz. Já Sean, serve como os olhos do público, pois em meio a este circo de horrores, que ameaça mexer com forças inexplicáveis (talvez até sobrenaturais), ele é o mais próximo de uma pessoa normal. Dessa forma, é o personagem que mais sofre, tentando explicar o que de fato está acontecendo naquela casa.

Servant – 1ª temporada (Apple TV+)

A maioria dos eventos acontece em um espaço enclausurado, geralmente com uma Fotografia escura, repleta de desenhos de sombra e de luz, com raros acontecimentos ocorrendo no exterior da casa. Curioso também são fatos simbólicos que começam a abalar o protagonista Sean. Ele, que é um chefe de cozinha especializado em comidas exóticas (fato este que é bastante explorado ao longo dos episódios, que nos mostram de perto suas aventuras culinárias com pratos extra peculiares), começa a perder o principal sentido que alguém nesta profissão precisa ter, o paladar. Sean é assombrado também pela ocorrência frequente de farpas, que são desprendidas pela própria casa, e acabam se alojando em seu corpo, como se fosse algum tipo de penitência que ele está tendo que pagar.

O episódio piloto é dirigido pelo icônico M. Night Shyamalan, também produtor executivo, que não perde a oportunidade de executar uma de suas marcas, aparecendo em uma das cenas como um personagem coadjuvante, o que é realizado de uma forma brilhante. Logo nas primeiras cenas, o diretor aposta em ângulos peculiares e ousados, causando certo desconforto por parte do público. Apesar de se tratar de uma cena ordinária, ficamos com a impressão de que tem algo errado ali.

A trilha sonora de Servant  é belíssima e acompanha a narrativa, gerando uma experiência bastante imersiva e interessante. Com um final que apresenta um cliffhanger, agora nos resta apenas aguardar a segunda temporada e realizar as teorias de como será o desfecho dessa peculiar história.

SERVANT – PRIMEIRA TEMPORADA
4

RESUMO:

Produtor executivo, M. Night Shyamalan dirige dois episódios de Servant, série de horror e suspense que possui uma trama peculiar e intrigante em sua primeira temporada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Jeziel Bueno

Cineasta independente e amante de filmes e séries. Nutre uma intensa paixão pela habilidade que só o ser humano tem de transmitir os aspectos de sua alma por meio da Arte...