‘O Silêncio do Pântano’ traz uma história peculiar e interessante

Com o fenômeno de La Casa de Papel, série espanhola de sucesso na Netflix, é natural que outras produções desse até então pouco conhecido mercado audiovisual começasse a ganhar os holofotes. É ai que entra O Silêncio do Pântano , que conta com a participação do icônico ator Pedro Alonso, o Berlim da produção espanhola.

O longa conta a história de um escritor (vivido por Alonso) conhecido por suas histórias sobre um misterioso assassino, que acaba por se revelar como sendo seu auter ego, graças às suas tendências violentas. Dessa forma, em um cenário de política corrupta, o protagonista age como uma espécie de Dexter Morgan (protagonista serial killer da série Dexter, assassino que matava apenas pessoas ruins, respeitando uma espécie de código), enquanto outras tramas se desenvolvem, envolvendo políticos corruptos e bandidos inescrupulosos.

Baseado no livro homônimo escrito por Juanjo Braulio, o longa possui uma fotografia com cores opacas, dando uma sensação desolada à história. Existem alguns problema de ritmo na direção do estreante Marc Vigil, uma vez que a atmosfera de suspense poderia ter sido melhor desenvolvida com o uso do tempo entre os enquadramentos, bem como em um desenvolvimento menos genérico dos bandidos.

Uma das melhores coisas no filme sem dúvida está na atuação de Alonso e, claro, nas questões que mesclam entre a realidade e a ficção escrita pelo protagonista. Trata-se de um bom filme, com pelo menos duas sequências de violência gráfica que impressionam, mas que ainda fica devendo no fator emoção.

Pedro Alonso em “O Silêncio do Pântano” (2019) – Netflix
O SILÊNCIO DO PANTANO
3

RESUMO:

Baseado na obra de Marc Vigil, O Silêncio do Pântano tem como grande destaque a atuação do icônico Pedro Alonso, de La Casa de Papel.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Jeziel Bueno

Cineasta independente e amante de filmes e séries. Nutre uma intensa paixão pela habilidade que só o ser humano tem de transmitir os aspectos de sua alma por meio da Arte...