Crítica | 3ª temporada de ‘Ozark’ se mantém tensa e leva os personagens a um novo nível de perigo

Após uma sequência de eventos desesperadores, finalmente Marty (Jason Bateman) iria usufruir de uma fase relativamente mais tranquila nos negócios dos cassinos flutuantes. O problema é que a situação em Ozark nunca alivia e logo novas atrocidades começam a ameaçar a já tão ameaçada segurança da família Byrde.

Dessa vez, a esposa de Marty, Wendy (Laura Linney), deixa de vez de ser a esposa passiva (estágio este que ela se encontrava na primeira temporada, mas que no segundo ano da série, já começa a alcançar seu potencial de liderança) e passa a tomar decisões. O problema é que ela, ao invés de se aliar ao seu marido, começa a tomar iniciativas próprias contrárias aos pensamentos dele, gerando conflito entre os dois. Essa nova fase da personagem, que age aliada à letal Helen (Janet McTeer) é bastante problemática e perigosa.

Uma importante característica em Marty durante todo esse período fazendo lavagem de dinheiro para o Cartel sempre foi sua consciência de vulnerabilidade. Ele sabia dos riscos e por isso nunca apostava mais do que devia. O problema com Wendy é que, agora que está finalmente provando do poder que essa criminalidade pode proporcionar. Essa sensação de poder e de invencibilidade pode colocar toda a família em um perigo que eles ainda não conheceram e que pode acabar com suas vidas.

Com um Marty ligeiramente apagado na maioria dos episódios e com Laura cada vez mais evidente, surge um agente do caos que pode colocar tudo a perder. Ben (Tom Pelphrey), o irmão bipolar de Laura, surge para agitar as coisas. Fazendo amizade rapidamente com o jovem Jonah (Skylar Gaertner), que parece ter tanta necessidade da figura paterna do pai que assim que tem um exemplo masculino, se apega à ele com unha e dentes.

Ozark – 3ª temporada

Os filhos dos Byrde, Jonah e Charlotte (Sofia Hublitz) permanecem mais apagados nessa temporada. Ruth (Julia Garner), que também não brilhou tanto, é alvo de um dos arcos mais dramáticos de toda a série (envolvendo Ben).

Outro fator a ser discutido é a questão da criminalidade e a forma como ela é encarada nessa série. Apesar de serem os protagonistas e ainda zelarem por princípios morais (ou pelo menos acreditarem que zelam), fica mais nítido nessa temporada que os heróis na verdade são os bandidos, mesmo que estejam fazendo o que estão fazendo em prol da própria sobrevivência. Dessa forma, o expectador pode entender que a qualquer momento eles podem cair e isso é o que gera mais ansiedade quando vemos os personagens em situações de risco. O risco é real.

Com cenas de fazer o expectador se revirar na poltrona e se desfazer em lágrimas, a terceira temporada de Ozark nos aproxima das questões e da realidade vivida pelo Cartel. Conforme a família Byrde vai sendo exposta à esse mundo de criminalidade, nós vamos nos aprofundando cada vez mais em um mundo violento e cruel.

OZARK – 3ª TEMPORADA
4.5

RESUMO:

Cada vez mais expostos, a família Byrde é levada ao extremo na terceira temporada de Ozark, que tem Laura Linney assumindo o protagonismo como Wendy.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Jeziel Bueno

Cineasta independente e amante de filmes e séries. Nutre uma intensa paixão pela habilidade que só o ser humano tem de transmitir os aspectos de sua alma por meio da Arte...