Oscar 2021 | Academia aceitará filmes lançados em plataformas digitais

Hollywood entrou numa crise devido à pandemia do novo Coronavírus. Os cinemas nos EUA estão fechados, a fim de evitar a aglomeração e, com isso, as estreias de filmes não podem ocorrer. Esse contexto, da mesma forma, vai mexer bastante com a próxima temporada de premiações. O Globo de Ouro já apresentou algumas mudanças nas regras para a edição do ano que vem. O mesmo acontecerá com a cerimônia do Oscar 2021.

De acordo com o site Variety, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas alterou as suas regras de elegibilidade para aceitar filmes lançados em plataformas digitais esse ano. No entanto, essa decisão vem sendo trabalhada há um tempo. No mês passado, os membros da Academia realizavam essa discussão em meio a um dilema de estúdios hollywoodianos. Esses não tinham a certeza se valia a pena lançarem os seus filmes em VOD e, possivelmente, jogar fora suas chances de serem indicados ao Oscar.

Um exemplo de estúdio que apostou nessa prática foi o Universal Pictures. À princípio, três filmes, que tinham acabado de estrear nos EUA, tiveram seus lançamentos via on demand antecipados pelo estúdio: A CaçadaO Homem Invisível e Emma; enquanto que a animação Trolls World Tour foi o primeiro filme a ser lançado em duas mídias simultaneamente.

As Alterações nas Regras de Elegibilidade

Anteriormente, a regra principal dizia que os filmes deveriam ser exibidos nos cinemas nos EUA por pelo menos 7 dias. Mas essa foi alterada.

Assim, a Academia decidiu que para um filme lançado via streaming possa se qualificar, ele deve ter pelo menos uma data planejada para a estreia nos cinemas. Ou seja, só se encaixarão nessa regra excepcional aqueles filmes que já estavam com as estreias nos cinemas confirmadas. Porém, devido à pandemia, essas datas tiveram que ser canceladas. Além disso, a produção deve ser disponibilizada na plataforma de streaming exclusiva para membros da Academia (o Academy Screening Room) dentro do período de 60 dias após lançamento em VOD.

Quanto aos filmes que poderão ser lançados nos cinemas – após a crise -, a regra dos sete dias continua valendo.

Outra mudança anunciada foi a união das categorias Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição de Som, reduzindo, assim, o número total de categorias para 23. Ainda mais, todos os membros da Academia poderão votar na categoria Melhor Filme Internacional. Antes, era formada uma comissão interna para essa votação. Mas, os membros terão de cumprir um requisito mínimo de visualização para poderem votar. Sobre a categoria Melhor Trilha Sonora Original, os membros decidiram que os filmes deverão ter pelo menos 60% da sua partitura composta por músicas originais. Enquanto que, sequências ou filmes de franquia deverão ter no mínimo 80%.

Do mesmo modo, a Academia decidiu banir os tradicionais screeners em DVD. Desde o ano passado, a plataforma Academy Screening Room vem sofrendo uma expansão. No entanto, as distribuidoras precisam pagar um valor de US$ 12.5 mil por filme para serem exibidos na plataforma.

Sobre As Mudanças para o Oscar 2021

À princípio, boa parte da Academia não aceitava muito bem os filmes lançados diretamente em streaming. Inclusive, o diretor Steven Spielberg chegou a fazer várias críticas a um grande personagem dessa história, a Netflix. De acordo com o cineasta, se esses filmes são exibidos na TV, eles deveriam concorrer ao Emmy e não ao Oscar.

No caso da Netflix, ela criou um esquema de lançamento dos seus filmes nos cinemas a fim de qualificá-los às regras do Oscar. Até a última edição da premiação, o serviço de streaming já conseguiu um total de 24 indicações. Por outro lado, muitas outras produções da mesma também já ficaram de fora.

Porém, o contexto agora é outro. Sobre todas essas mudanças, David Rubin e Dawn Hudson, Presidente e CEO da Academia respectivamente, comentaram: “A Academia acredita firmemente que não há forma melhor de vivenciar a magia dos filmes do que vê-los no cinema. Nosso comprometimento é permanente. Mesmo assim, a trágica pandemia do coronavírus requer essa exceção temporária às nossas regras de premiação. A Academia apoia nossos membros e colegas durante esse tempo de incerteza. Nós reconhecemos a importância de seus trabalhos serem vistos e celebrados, especialmente agora que o público aprecia filmes mais do que nunca.”

A cerimônia do Oscar 2021 está prevista para ser realizada no dia 28 de fevereiro do ano que vem.

Além do Oscar 2021: As Consequências na Indústria de Entretenimento

O surto do novo Coronavírus tem apresentado várias consequências para o mundo e a indústria de entretenimento não escapa disso. Recentemente, a OMS (Organização Mundial de Saúde) decretou caso de pandemia. Filmes como MulanUm Lugar Silencioso: Parte II007: Sem Tempo Para Morrer etc tiveram suas estreias adiadas. A gravação de Velozes e Furiosos 9 e Falcão e o Soldado Invernal também foram canceladas por um tempo. Além disso, a China perdeu mais de US$ 200 milhões em bilheteria, o que fez com que vários cinemas precisassem ser fechados no país.

Além de Tom Hanks e Rita Wilson, outras celebridades já contraíram o COVID-19. Entre eles, o ator Idris Elba, a ex-Bond girl Olga KurylenkoKristofer Hivju (Game of Thrones), entre outros. Enquanto que aqui no Brasil, nomes como a cantora Preta Gil, a atriz Fernanda Paes Leme e o cantor Di Ferrero são alguns nomes que já se manifestaram sobre seus diagnósticos.

À princípio, os casos aqui na América do Sul começaram a aparecer em países como Chile, Argentina e Brasil – 73.235 infectados e 5.083 mortos. A informação é confirmada pelas Secretarias de Saúde Estaduais. (Dados atualizados às 00:48h).

Leia mais:

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.