Crítica | Westworld 3×03: o futuro mais atual do que nunca em “The Absence of Field”

Quem está no corpo de Charlotte Hale (Tessa Thompson)? Qual o papel de Caleb (Aaron Paul) no jogo de tabuleiro de Dolores? As previsões do Rehoboam são 100% precisas? Estas são algumas perguntas levantadas em The Absence of Field, episódio 3 da terceira temporada de Westworld. Entretanto, a grande temática é a privacidade.

E cá entre nós, vigilância e controle de dados não são um tema essencialmente futuristas. Casos como os da Cambridge Analytica, empresa que foi decisiva para as eleições de 2016 nos EUA, e a saída do Reino Unido do Brexit, são provas de como o uso de dados pessoais coletados a partir de redes sociais e aplicativos, podem moldar um futuro e definir cenários políticos em todo o mundo.

Em última instância, o novo capítulo estabelece uma interessante rima narrativa com as temporadas anteriores, especialmente a primeira. No início, anfitriões despertavam, adquirindo consciência e se desamarrando de um mundo em qual estavam presos em um looping infinito. Agora, Dolores (Ewan Rachel Wood) descobre que o “mundo real” não é tão diferente para os humanos, que a essa altura, têm seus destinos definidos por algorítimos ultra-sofisticados; ambos se desprendem de suas amarras, a partir da quebra de um padrão.

Dirigido por Amanda Marsalis, The Absence of Field é denso (e as vezes demasiadamente lento) e explora com profundidade as emoções dos personagens, pontuado mais uma vez pela trilha magistral de Ramin Djawadi, um grande trunfo da temporada até aqui. O roteiro de Denise Thé se encarrega de dar a Caleb e Charlotte o protagonismo, ambos guiados por Dolores. A primeira precisa se moldar a um novo corpo. O segundo pode ser uma luz no fim do túnel para a desesperança que ela tem pela humanidade.

Westworld 3×03: The Absence of Field (HBO)

Aprendemos mais sobre Caleb Nichols

Embora alguns mistérios permaneçam intactos até agora, cada vez mais adentramos novas camadas de Caleb. Agora, aprendemos que seu grande trauma de infância tem relação com a doença da mãe. Desta vez ele não usa o RICO, e se torna o próprio alvo do aplicativo de tarefas ilícitas. O que é uma pena, pois eu poderia ver um spin-off apenas desses rolos. Desde que tivéssemos a ótima Lena Waithe.

Digressões à parte, outro ponto interessante acerca de Caleb é o seu passado. O primeiro episódio se encarregou de nos mostrar que ele, embora tente de todas as maneiras, vive em um looping de tentativas frustradas de superar traumas, e agora sabemos que é justamente esse aspecto de sua vida que o impede de mudar o seu futuro, e conseguir uma colocação melhor no mercado. Serão 12 anos de depressão e frustrações até o seu suicídio, segundo o Rehoboam.

Mas, antes ir para o próximo assunto, cabe uma pergunta: o que Caleb estava fazendo no exército? Parece que isso ainda vai ter importância adiante. Além disso, o implante em sua boca parece ser algo que lhe dá certa vantagem, no entanto, não sabemos exatamente o que ele faz e porque ele desligou.

Westworld 3×03: The Absence of Field (HBO)

A predadora de Westworld

Uma das questões mais comentadas desde a exibição do episódio é, certamente, quem está no corpo de Charlotte Hale. O que ela estava fazendo em Westworld nós já aprendemos na temporada passada, que era roubar os dados da Delos, e agora sabemos que Serac (Vincent Cassel) é quem está por trás disso. A sensação de agonia é enorme, a cada situação em que a versão anfitriã da executiva se vê, tendo que fingir quem ela não é na verdade.

Vários nomes podem ser colocados como os prováveis candidatos a estarem no corpo de Hale: a julgar pela conexão emocional, Teddy seria uma boa escolha, apesar de sua ida para Além do Vale e a empolgação para se jogar nos braços do marido de Charlotte tornem isso meio estranho. O pai de Dolores e Clementine até podem ser considerados opções viáveis, mas a solução pode até ser mais simples do que parece. Talvez uma versão da própria Charlotte, extraída da Forja, possa estar ali. Ou até mesmo de Dolores, em sua personalidade de donzela. Vai saber. E quer saber: a  essa altura do campeonato, esse é um tipo de mistério bem frustrante, para um segundo ano que estava se desgarrando desses enigmas rasos.

As nuances que Tessa Thompson dá à sua personagem são, no entanto, e em contraponto a esse enigma, são o que há de melhor aqui. Para não ser injusto, as atuações em  The Absence of Field são muito boas. No entanto, Thompson vai da fragilidade e descontrole emocional, ao furioso rompante de matar um aliciador de crianças, com extrema competência. Uma boa atriz que ganha um merecido destaque.

Westworld 3×03: The Absence of Field (HBO)

Últimas palavras

* Mais uma semelhança entre as jornadas de Dolores e Caleb: depois do despertar dos dois, muito semelhantes, desta vez ela cai nos braços dele, cena que já se repetiu milhares de vezes em Westworld. Na primeira temporada, William decidiu acompanhá-la. Agora, ela é quem vai guiar um humano.

* Dois momentos são fundamentais para Dolores enxergar Caleb com outros olhos. O primeiro é quando ele decide ficar com ela na ambulância e combater os mercenários disfarçados de policiais. O segundo se dá quando ele não cede, mesmo com a ameaça de ser jogado do alto de um prédio. Porém, é bom lembrar do passado de tirania, em que Dolores subjugou sua própria espécie em favor de seus objetivos.

* Charotte Hale aos prantos significa que a mordaz executiva realmente amava seu filho, e via na iminente morte o desespero por não conseguir ter uma boa relação com o menino. Ao fim do dia, ela sobreviveria e tentaria concretizar seu plano, de qualquer forma (e seria morta também). Essa vulnerabilidade, porém, é assimilada pela (ou pelo) anfitriã que agora está no corpo dessa nova Charlotte. Não é só na raiva que a simbiose entre a antiga e a nova se acentua.

* Imagine o que aqueles robôs pretendidos pelos sauditas não poderiam fazer em um confronto. Você pensou na luta entre Maeve e Dolores? A conferir…

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...