‘Dolittle’, ‘Maria e João’ e ‘O Chamado da Floresta’ são as grandes estreias da semana nos cinemas; confira

Confira as estreias da semana e os filmes que entram em cartaz em 20 de fevereiro, nos cinemas brasileiros:

O CHAMADO DA FLORESTA

Adaptação do clássico literário norte-americano `O Chamado de Floresta´ (The Call Of The Wild, Jack London, 1903); a 20th Century Fox traz para o cinema a história de Buck, um cão de grande coração cuja feliz vida doméstica é virada de cabeça para baixo quando, subitamente, é tirado de sua casa na Califórnia e levado para o exótico e selvagem rio Yukon, no Alasca, durante a corrida do ouro em 1890. Como novato na equipe de cães puxadores de trenós – se tornando mais tarde o líder da matilha – Buck vive a aventura de sua vida, encontrando seu verdadeiro lugar no mundo e se tornando seu próprio mestre.

Diretor: Chris Sanders.


DOLITTLE

Dolittle traz o ator Robert Downey Jr. no papel principal. Baseado no clássico personagem da série de livros do britânico Hugh Lofting, a prévia apresenta as primeiras cenas do ator no papel do médico que consegue falar com os animais.

Diretor: Stephen Gaghan. Leia a nossa crítica.


LUTA POR JUSTIÇA

Uma história verídica impactante e instigante, Luta Por Justiça acompanha o jovem advogado Bryan Stevenson (Jordan) e sua luta célebre por justiça. Após se formar em Harvard, Bryan poderia ter optado por um emprego com um bom salário. Ao invés disso, ele vai ao Alabama para defender pessoas que foram condenadas injustamente sem contar com representação adequada, onde terá o apoio da advogada local Eva Ansley (Larson). Um de seus primeiros – e mais polêmicos – casos é o de Walter McMillian (Foxx) que, em 1987, foi condenado à morte pelo assassinato chocante de uma jovem de 18 anos, apesar das evidências que apontavam sua inocência e o fato de que o único depoimento contra ele veio de um criminoso com motivos para mentir. Nos anos que se seguem, Bryan se envolve em um labirinto de manobras legais e políticas, além de racismo, à medida que luta por Walter e outros como ele, contra todas as adversidades – e o sistema.

Diretor: Destin Daniel Cretton. Leia a nossa crítica.


MARIA E JOÃO: O CONTO DAS BRUXAS

Desta vez, as migalhas nos guiarão por um caminho muito mais sombrio e perturbador. Durante um período de escassez, Maria (Sophia Lillis) e seu irmão mais novo, João (Sammy Leakey), saem de casa e partem para a floresta em busca de comida e sobrevivência. É quando encontram uma senhora (Alice Krige), cujas intenções podem não ser tão inocentes quanto parecem, que eles descobrem que nem todo conto de fadas tem final feliz.

Diretor: Oz Perkins. Leia a nossa crítica.


O JOVEM AHMED

Ahmed é um jovem muçulmano de 13 anos que vive na Bélgica. Seguindo as palavras de um imã local, e inspirado nos passos do primo extremista, ele começa a rejeitar a autoridade da mãe e da professora. Quando se convence de que a professora é uma pecadora por ministrar um curso de árabe sem utilizar o Corão, Ahmed decide matá-la para impressionar os líderes religiosos e agradar a Alá. Depois do ato, o adolescente precisa lidar com as consequências de seu crime, e com as tentações da vida, ao encontrar o seu primeiro amor.

Diretor: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne.


FRANKIE

Frankie, uma famosa atriz francesa, descobre que tem apenas alguns meses de vida. Para as últimas férias em família, ela reúne todos em Sintra, Portugal.

Diretor: Ira Sachs. 14 anos. Leia a nossa crítica.


MEU NOME É SARA

Baseado em fatos reais, MEU NOME É SARA traz para o cinema a vida de Sara Góralnik, uma polonesa, judia, cuja família inteira foi morta pelos nazistas quanto ela tinha apenas 13 anos de idade. Depois de fugir para a Ucrânia, usando a identidade roubada de uma amiga, ela é acolhida por um casal de fazendeiros em uma pequena vila. Tudo parece correr bem para o recomeço de Sara, mas ela descobre que seus novos amigos possuem segredos sombrios e, para manter seu disfarce e sobreviver, ela terá que lidar com toda a tensão da situação.

Diretor: Steven Oritt.


AS INVISÍVEIS

Após uma decisão municipal, um abrigo para mulheres sem-teto, L´Envol, está prestes a fechar as portas. Com apenas três meses para reintegrar as mulheres que ali eram abrigadas, as assistentes sociais fazem tudo o que podem: mexem os pauzinhos, distorcem a verdade e até mesmo contam mentiras descaradas… a partir de agora vale tudo!

Diretor: Louis-Julien Petit.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.