Sharon Stone vai estrelar filme bancado pela Embratur para mostrar um “Brasil que deu certo”

Momento vergonha alheia no Governo Jair Bolsonaro.

De acordo com a jornalista Bela Megale, em sua coluna para O Globo, a atriz Sharon Stone vai estrelar o filme Além do Paraíso, que será bancado pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), com o objetivo de mostrar um “Brasil que deu certo”.

O (Des)Governo Bolsonaro, através da Embratur, pretende disponibilizar um orçamento de R$ 120 milhões para a produção do longa. Além do Paraíso vai contar a história de uma arqueóloga – que será interpretada pela estrela de Instinto Selvagem – em busca do Tesouro de Constantino. Parte do filme será gravado no Nordeste brasileiro.

O Diretor de Marketing da Embratur, Osvaldo Matos, disse, segundo o site Revista Fórum: “Vamos mostrar o Brasil que deu certo, tanto nos filmes quanto nos roteiros. Não vamos mostrar tráfico, violência, favela e essas coisas que vinham sendo exportadas. A gente quer mostrar o que é bom. Não podemos vender as mazelas do Brasil, isso temos que resolver internamente.”  Osvaldo também confirmou que Além do Paraíso está em fase de pré-produção e deve começar a ser filmado ainda esse ano.

O Instituto, presidido por Gilson Machado, tem como ideia patrocinar filmes – ficcionais e documentais. Já foi anunciado que pelo menos 7 projetos contarão com o apoio da Embratur, dentre esses dois sobre a Amazônia, segundo o site AdoroCinema. Outro projeto seria um musical na Broadway, protagonizado por Carmen Miranda. O roteiro se passa num universo no qual o corpo da cantora foi congelado após a sua morte e descongelado nos dias de hoje. Após isso, ela contaria a história da música brasileira. (É inacreditável que foi necessária uma equipe para ter uma ideia ridícula como essa).

Sobre a Amazônia, os objetivos da proposta são apresentar a região como um ponto turístico e “combater as falsas histórias que são compartilhadas na imprensa mundial”.

A equipe de marketing da Embratur também adiantou roteiros turísticos sobre o “Brasil Judaico” e pacotes com atrações militares, incluindo livros para promover grandes figuras militares da história do país.

Outro ponto que chama muita atenção é a elaboração de histórias em quadrinhos com os personagens Mickey Mouse e Minnie, ambos da Disney. Os dois viveriam aventuras pelos estados brasileiros e teria como objetivo trabalhar com a curiosidade das crianças e estimular que elas e seus pais visitassem o Brasil.

Agora, a decisão é sua. Qual é o ponto mais vergonhoso desse projeto?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.