Confira aqui todos os filmes brasileiros indicados ao Oscar até hoje

Talvez o Oscar 2020 fique marcado para os brasileiros, por causa da indicação do documentário da diretora Petra Costa, Democracia em Vertigem, produzido pela Netflix. O filme concorre na categoria Melhor Documentário.

No entanto, esse não foi o único filme brasileiro bem aceito pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Confira abaixo todos os filmes brasileiros indicados ao Oscar:

Veja aqui todos os filmes brasileiros que disputaram uma vaga no Oscar 2020.

PRODUÇÕES BRASILEIRAS

A primeira indicação de uma produção totalmente brasileira ao Oscar foi em 1963 com o filme O Pagador de Promessas (Melhor Filme Estrangeiro). Dirigido por Anselmo Duarte, o longa conta a história de um homem humilde, chamado Zé do Burro (Leonardo Villar), que tenta entrar numa igreja, carregando uma cruz enorme, para cumprir uma promessa. No entanto, o vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1962 acabou perdendo a estatueta dourada para o filme Sempre aos Domingos (França).

O Brasil só voltaria a ser indicado ao Oscar em 1996 com O Quatrilho, de Fábio Barreto, também na categoria Melhor Filme Estrangeiro. O longa, que conta com Gloria Pires e Patricia Pillar em seu elenco, acabou perdendo para o holandês A Excêntrica Família de Antônia.

O irmão de Fábio, Bruno Barreto, levou ao Oscar de 1998 o longa O Que É Isso, Companheiro?, na mesma categoria que os anteriores. Esse conta a história do sequestro do Embaixador estadunidense, Charles Burke Elbrick (Alan Arkin). Também estão no elenco Fernanda Torres, Pedro Cardoso, Luís Fernando Guimarães, entre outros. Nesse ano, mais uma vitória para a Holanda com o filme Caráter.

Uma História de Futebol, de Paulo Machline, foi a primeira produção totalmente brasileira a ser indicada à categoria Melhor Curta-Metragem em Live Action. O filme de apenas 21 minutos perdeu para o curta mexicano Quiero Ser.

Cidade de Deus (foto), de Fernando Meirelles, foi o auge. O filme recebeu 4 indicações – Melhor Direção, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Edição e Melhor Fotografia -, algo inédito até então. Infelizmente não ganhou nenhum Oscar. O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei chegou forte naquele ano.

A última produção brasileira indicada ao Oscar foi O Menino e o Mundo, de Alê Abreu (Melhor Animação), em 2016. O filme conta a história de uma criança, chamada Cuca, que deixa a aldeia onde vive e parte para a cidade grande a procura de seu pai. Nessa jornada o personagem faz grandes descobertas e encara uma difícil realidade. O vencedor do prêmio foi Divertidamente, da Pixar.

O Menino e o Mundo, de Alê Abreu

 

COPRODUÇÕES BRASILEIRAS

Em 1960, o Brasil, ao lado da França e da Itália, ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por Orfeu Negro, de Marcel Camus. No entanto, o representante e, portanto quem levou a estatueta para casa, foi a França.

Em 1979, a produção Raoni, compartilhada entre Brasil, França e Bélgica, foi indicada à Melhor Documentário. Dirigido por Jean-Pierre Dutilleux e Luiz Carlos Saldanha, o filme narra o dia a dia de tribos indígenas que vivem no Parque Nacional do Xingu, no Mato Grosso. O grande vencedor nesse ano foi o documentário Scared Straight!, de Arnold Shapiro.

No ano de 1986, chegou ao Oscar um dos maiores filmes de Hector Babenco, O Beijo da Mulher-Aranha. O longa, que é uma coprodução entre Brasil e Estados Unidos, recebeu 4 indicações à premiação – Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Ator (William Hurt), na qual saiu vencedor.

E, finalmente, chegou a vez do grande injustiçado Central do Brasil, de Walter Salles. O filme, resultado de uma parceria entre o Brasil e a França, recebeu 2 indicações ao Oscar: Melhor Filme Estrangeiro (representando o Brasil) e Melhor Atriz (Fernanda Montenegro). Agora reparem quais foram os vencedores nas respectivas categorias e tirem as suas próprias conclusões: A Vida é Bela (Itália) e Gwyneth Paltrow (Shakespeare Apaixonado).

Diários de Motocicleta, também dirigido por Walter Salles, teve duas indicações em 2005 – Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Canção Original (“Al Otro Lado del Río”), na qual saiu vencedor. O filme é uma produção entre Brasil, Argentina, Chile, Peru, Reino Unido, Alemanha, França e EUA.

Lixo Extraordinário, de Lucy Walker e João Jardim, foi indicado à Melhor Documentário em 2011. Porém, a produção entre Brasil e Reino Unido perdeu para o filme Trabalho Interno. E em 2015, outro indicado na mesma categoria, O Sal da Terra, uma coprodução entre Brasil, França e Itália. O documentário dirigido por Juliano Salgado e Wim Wenders perdeu para Citizenfour, que fala sobre Edward Snowden.

Central do Brasil, de Walter Salles

A cerimônia do Oscar 2020 será realizada no dia 9 de fevereiro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.