Entrada do Professor Xavier no MCU foi discutida entre Patrick Stewart e Kevin Feige

De acordo com o Digital Spy, Patrick Stewart  discutiu com Kevin Feige a possibilidade de levar sua versão do Professor Xavier, dos X-Men, para o Universo Cinematográfico da Marvel. No entanto, os acontecimentos de Logan pesaram negativamente.

Me encontrei com Kevin Feige há alguns meses e tivemos longas discussões, com sugestões que envolviam Charles Xavier. Mas aí está o problema. Se não tivéssemos feito Logan então sim, eu provavelmente estaria pronto para voltar mais uma vez para a cadeira de rodas e ser Charles Xavier. Mas Logan mudou tudo”, disse Stewart.

Segundo o ator, que é protagonista da nova série do Prime Video, Star Trek: Picard, sua decisão de se despedir do papel foi tomada em acordo com Hugh Jackman, que também usou Logan para se despedir do Wolverine.

Hugh pegou minha mão, e ficamos de mãos dadas pelos últimos sete ou oito minutos do filme porque estávamos lamentando muitas coisas. Estamos comovidos pela trama, um pelo outro, e pelo filme. Mas ambos tomamos a decisão de que estávamos nos despedindo dos nossos personagens. Nesse sentido, não só a morte deles na franquia, mas também foi nosso ‘adeus’ aos papéis também.

Ainda sobre o aclamado filme de 2017, Stewart rasgou elogios ao diretor: “James Mangold – que foi nosso diretor extraordinariamente brilhante e um dos escritores importantes desse roteiro – criou para Hugh Jackman e para mim um mundo totalmente diferente de tudo que havia sido em X-Men antes”. Ele completa ainda dizendo que “foi uma experiência fantástica fazer o filme“, porque estava na presença de Hugh todos os dias”.

A fala de Stewart não quer dizer que a entrada do Professor Xavier nos filmes da Marvel – e dos X-Men – não vá ocorrer. O que deve acontecer, de fato, é uma nova versão dos mutantes no MCU.

Logan chegou aos cinemas em março de 2017 e arrecadou US$ 616 milhões na bilheteria mundial. O longa se tornou o primeiro filme de super-herói indicado ao prêmio de roteiro adaptado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...