Crítica | ‘Jumanji: Próxima Fase’ consegue divertir explorando a versatilidade de seu elenco

Em seu anúncio, o remake de Jumanji: Bem Vindo à Selva,  lançado em 2017, gerou diversas dúvidas se o clássico de 1995 realmente precisava de um remake e com um tom tão diferente. Porém o remake funcionou e satisfez o publico, a ponto de ganhar uma sequência, Jumanji: Próxima Fase.

Nessa segunda aventura, após terminarem o ensino médio e seguirem com suas vidas, os quatro amigos, Spencer (Alex Wolff), Martha (Morgan Turner), Fridge (Ser’Darius Blain) e Bethany (Madison Iseman) resolvem se reunir. Porém, eles vão acabar parando novamente dentro do jogo Jumanji, só que dessa vez o jogo está totalmente diferente, com jogadores novos, avatares novos e estágios mais desafiadores.

O maior destaque dessa sequência fica para seus novos personagen. Apesar do grupo principal retornar para essa sequência, Dr. Smolder Bravestone (Dwayne Johnson), Dr. Shelly Oberon (Jack Black), Mouse Finbar (Kevin Hart) e Ruby Rundhouse (Karen Gillan) agora são controlados por outros jogadores, como Eddie (Danny DeVito) e Milo (Danny Glover), que acabam entrando no jogo sem querer.  “The Rock” e Kevin Hart acabam se destacando por interpretarem personagens bem diferentes do que estão acostumados.

Enquanto Dwayne Johnson interpreta um personagem que não conhece sua força e tem raciocínio lento, Kevin Hart vive um senhor extremamente paciente, a ponto de falar bem devagar. Outro excelente destaque dessa sequência é a adição de Awkwafina como o avatar Ming. A atriz não só consegue demonstrar um tremendo carisma, mas o faz de diversas maneiras diferentes em pouco tempo.

Jumanji: Próxima Fase (2019) – Sony Pictures

A direção continua nas mãos de Jake Kasdan, que continua com um ótimo timing cômico, sem soar forçado. Além de fazer um bom uso dos seus personagens, os dando traços de personalidade únicos e tempo de tela o suficiente para desenvolve-los, sem passar a impressão de que algum é jogado de lado.

Além desses aspectos, a nova aventura de Jumanji consegue ir além das piadas e mostrar um lado mais vulnerável de seus personagens, inclusive dos novos. O longa tem ótimos diálogos que expõem essas vulnerabilidades sem soar extremamente emotivas.

No entanto, o grupo de jovens fora do jogo mostra não ter tanta força e carisma quanto os personagens dentro do jogo. E com as grandes presenças de DeVito e Glover, fica mais notável o quanto o grupo funciona melhor na pele de seus avatares.

No fim, Jumanji: Próxima Fase é uma ótima adição a franquia. Há uma ótima evolução no roteiro, que consegue utilizar o ótimo interação cômica de todo o elenco, além de ter cenas emocionantes, fazendo com que essa nova saga de Jumanji tenha sua própria identidade em meio a tantas franquias.

JUMANJI: PRÓXIMA FASE | JUMANJI: THE NEXT LEVEL
4

RESUMO

Em sua segunda aventura, Jumanji: Próxima Fase consegue divertir e trabalhar a personalidade de seus personagens, explorando a versatilidade do elenco.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Matheus Ribeiro

Paulista, jornalista em formação, gamer e viciado em filmes e séries. Acredita que boas histórias nos ajudam a conhecer não só a maneira que a sociedade funciona, mas a conhecer a nós mesmos.