Crítica | ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ mantém o ótimo timing cômico dos filmes anteriores

É inegável que o gênero, do cinema nacional, que atrai e tem maior apelo ao público, é a comédia. E se há um grande destaque entre as diversas comédias nacionais atuais, com certeza esse lugar é ocupado por Minha Mãe é uma Peça, filme que o comediante Paulo Gustavo fez para homenagear a sua própria mãe.

No terceiro longa da franquia, Minha Mãe é uma Peça 3, Dona Herminia (Paulo Gustavo) se vê tendo que encarar uma nova vida, já que seus filhos Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo) não só saíram da casa da mãe, como estão construindo suas próprias famílias, com Juliano nos preparos de seu casamento e Marcelina esperando seu primeiro filho. Assim, Dona Herminia terá que aprender como viver sua vida, agora que seus filhos já cresceram.

O maior destaque positivo, assim como nos outros filmes do longa, fica para a personagem principal. Dona Herminia consegue roubar a cena durante toda as quase duas horas de filme, seja em cenas simples, em que sua personalidade cômica e exagerada rendem cenas extremamente engraçadas, ou em cenas mais dramáticas e emocionantes, mostrando o quanto bem escrita é a personagem.

Já quanto ao resto do elenco, apesar de apresentarem ótimos personagens, nota-se que, mais até que nos filmes anteriores, o foco desse vez foi bem maior na protagonista, fazendo com que eles se tornem apenas suportes para que Dona Herminia possa brilhar em cima. E isso poderia gerar um incômodo, senão fosse o ótimo roteiro, que não só consegue criar ótimas situações cômicas, além de ótimos diálogos, que soam extremamente engraçados por causa da sua naturalidade. Tudo o que sai da boca de Dona Herminia, poderia ter saído facilmente de qualquer mãe.

Outro ponto positivo nessa naturalidade, é perceber como Paulo Gustavo consegue falar com naturalidade de temas relativamente polêmicos, como a de famílias LGBT’s. O filme tem o tom de homenagem à diversidade, com vários momentos e falas sobre aceitação, mas que não soam forçados, apesar das várias cenas de discurso.

Minha Mãe é uma Peça 3 (2019) – Paris Filmes

Porém, apesar de contar com ótimas cenas e grandes momentos, a edição do filme mais parece uma compilação de esquetes. Apesar de possuir uma história principal, em vários momentos ela é deixada de lado para mostrar cenas que nem sempre influenciam o enredo principal, o que acaba diminuindo o ritmo do filme, o fazendo parecer mais longo do que de fato é.

Com o tom de homenagem à família e a diversidade, Minha Mãe é uma Peça 3 é um filme que, apesar da edição e montagem de cenas confusa, diverte com seu ótimo roteiro e com a brilhante personagem de Paulo Gustavo, que consegue arrancar risos durante todo o tempo mantendo a naturalidade de seus filmes anteriores.

Minha Mãe é uma Peça 3
4

RESUMO:

Minha Mãe é Uma Peça 3 continua com ótimo timing cômico de seus antecessores, fazendo com que Dona Herminia continue brilhando.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Matheus Ribeiro

Paulista, jornalista em formação, gamer e viciado em filmes e séries. Acredita que boas histórias nos ajudam a conhecer não só a maneira que a sociedade funciona, mas a conhecer a nós mesmos.