Martin Scorsese diz que ‘O Irlandês’ pode ser seu último filme

Em entrevista ao The Guardian, Martin Scorsese afirmou que O Irlandês pode ser o último filme de sua carreira. Ele utilizou novamente sua polêmica fala em relação aos filmes da Marvel, para justificar a afirmação. Ele revelou que não esperava conseguir lançar seu filme mais recente no circuito comercial e explicou o porquê da possibilidade de uma despedida:

Obviamente, nós discutimos muito sobre isso, que os cinemas estão sendo comandados por filmes de super-heróis – sabe, apenas pessoas voando, batendo e esmagando, e está tudo bem se você quiser ver isso. Só que não está havendo espaço para outro tipo de produção. Não sei quantos mais poderei fazer – talvez acabe aqui. O último. Então, a ideia era pelo menos terminá-lo e talvez exibir por um dia no NFT (National Film Theatre, cinema britânico), talvez um dia na Cinémathèque em Paris. Não estou brincando”.

O cineasta aproveitou para reafirmar seu ponto de vista sobre os filmes baseados em HQs, expondo uma nova visão sobre o assunto, depois das recentes polêmicas. Ele afirma que, inclusive, não conseguiria fazer filmes como O Aviador ou Ilha do Medo hoje em dia. “Agora estamos em uma situação em que os cinemas estão mostrando apenas os mais recentes filmes de super-heróis. Você tem 12 telas – e 11 são filmes de super-heróis. Você gosta de filmes de super-heróis, tudo bem, mas você precisa de 11 telas? É uma loucura um filme como Lady Bird ou The Souvenir . Esses filmes podem não ser necessariamente extremamente comerciais, mas existem filmes modestos e genuínos, que encontram um grande público“.

Scorsese também falou sobre a parceria com a Netflix, se dizendo abençoado com o apoio financeiro e criativo dado pelo serviço de streaming. No entanto, ele declarou que ainda está se acostumando com o que chama de “revolução”:

Devido à situação da Netflix, fomos capazes de experimentar mais – estilo narrativo, estilo visual, duração. Em certo sentido, a revolução é tal que não sabemos onde esses filmes estão sendo vistos. Existe um lugar para um filme ser visto agora? Você sabe, eu cresci quando havia apenas um lugar para ver um filme. E então chegou uma pequena TV de preto e branco de 12 ou 16 polegadas, e foi aí que vi coisas como os primeiros filmes de David Lean, O Terceiro Homem, Cidadão Kane com comerciais e a sequência editada. Vê-los no cinema foi incrível, era o local principal, por assim dizer, mas você tinha outra opção“.

Ainda sobre o fato de ter seu filme visto de forma principal em um serviço de streming, Martin Scorsese afirmou que teve que ceder e conciliar os termos que seriam bons para os dois lados. Mesmo sabendo que a principal visualização do longa não seria nos cinemas – ele chegou a pedir que os fãs não vissem o filme em smartphones. O longa foi assistido na plataforma por mais de 26 milhões de pessoas na primeira sermana: Depois que concordamos em fazer o filme com a Netflix, entendi o que isso significava. Sabíamos que seria visto principalmente no streaming, mas também seria nos cinemas. Mas naquele momento, sabíamos que tínhamos que fazer o filme e precisávamos obter o financiamento. E também o principal: liberdade criativa“.

Outro ponto importante levantado pelo diretor é o trabalho de efeitos visuais feito no filme. O Irlandês está pré-indicado ao Oscar na categoria, e ele falou sobre o que considera uma “evolução”. “Eu acho que é uma maneira longa e indireta de dizer que parecia natural e eu segui meus instintos em termos de estilo e duração. E isso foi antes de chegarmos aos detalhes do CGI, que eu chamo de evolução da maquiagem. Isso foi extraordinariamente experimental também. Não sabíamos se ia dar certo, então nos demos bem“.

O diretor comentou sobre a inspiração que Todd Phillps, diretor de Coringa, buscou em seus filmes. “Fiquei fascinado pelo fato de que é inspirado em Rei da Comédia e Taxi Driver. Especialmente Rei da Comédia pois sempre acreditei que o único lugar em que ele fosse querido era a Grã Bretanha.” 

Leia a nossa crítica de O Irlandês

A produção conta a história do líder sindical Frank “O Irlandês” Sheeran (Robert De Niro), que foi acusado de se envolver em uma organização criminosa e em alguns assassinatos. O longa também conta com Al PacinoJoe PesciAnna PaquinBobby Cannavale e Ray Romano.

É a nona colaboração entre Scorsese e De Niro. Antes eles trabalharam juntos em filmes como Caminhos Perigosos; Taxi Driver; New York, New York; Touro Indomável; Rei da Comédia; Os Bons Companheiros; Cabo do Medo e Cassino.

Irlandês está disponível na Netflix.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...