Crítica | Em ‘Crime Sem Saída’, Brian Kirk mostra que se dá melhor com seriados

Brian Kirk tem em seu currículo grandes títulos da televisão. O diretor já comandou um episódio de Dexter e dois episódios de The Tudors, em 2009, além de três episódios da primeira temporada de Game of Thrones, em 2011. Mas quando se tratou do longa Crime Sem Saída, não se saiu tão bem, entregando um projeto bem mediano e totalmente previsível.

A trama gira em torno do detetive Andre Davis (Chadwick Boseman), um policial durão e honrado cujo pai, também policial, morreu em serviço quando Andre estava entrando na adolescência. O clichê já começa por aí. Vinte anos mais tarde, Davis é chamado para investigar um crime que resultou na morte de oito policias.

O problema de Crime Sem Saída, longe de se encontrar na sua produção, que é impecável – cortesia dos irmãos Russo, que devem ter gostado bastantes de trabalhar com Chadwick Boseman, o Pantera Negra, em Capitão América: Guerra Civil, Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato –, está, portanto, no roteiro nada inovador. O que impede o longa de se tornar chato, entretanto, é o grande elenco que foi escalado.

Assim, temos Sienna Miller como a agente do departamento de narcóticos Frankie Burns, a parceira indesejada (e também durona) de Andre, e também J.K. Simmons como Capitão McKenna. Completam o time Taylor Kitsch e Stephan James como os bandidos Ray e Michael.

Crime sem Saída (2019) – Galeria Distribuidora

Justiça seja feita, a química entre os personagens funciona muito bem, especialmente entre Boseman e James, que rendem os melhores diálogos e cenas da película. Nenhum deles é vazio, pelo contrário, tem nuances bastante interessantes, todas se perdendo, todavia, à medida que a história se desenvolve.

Como já dito acima, oito policiais morrem depois de aparecerem em circunstâncias suspeitas num restaurante onde, coincidentemente, um assalto já estava em andamento, uma vez que Ray e Michael tinham ido buscar três quilos de cocaína, encontrando, para sua surpresa, trezentos. Quando o tiroteio começa, os bandidos subjugam a polícia e fogem. É então que Andre e Frankie são chamados.

Um bom começo para um final um tanto pífio. Talento para ação todos mostraram que têm, mas a trama não ajuda muito, tornando-se apenas, como gostamos de dizer por aí, mais do mesmo.

CRIME SEM SAÍDA | 21 BRIDGES
3

RESUMO:

Crime Sem Saída tem um excelente elenco e uma produção profissional, mas a trama acaba decepcionando.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Flávia Leão

Cinéfila mineira que ama os filmes desde quando os clássicos da Disney ainda eram em VHS e os seriados desde que Jeffrey Lieber e J.J. Abrams inventaram Lost.