Crítica | Direção majestosa e elenco estelar fazem de ‘As Golpistas’ um dos melhores filmes do ano

Hollywood está em uma previsível fase em que os diretores e roteiristas estão focados em trazer as telas sequências de franquias milionárias, a nostalgia de obras antigas, e versões live-action de animações de grande sucesso. Tentando desviar-se dessa falta de criatividade e saturação que a indústria se encontra, estão os filmes baseados em fatos reais. Contar histórias verídicas é uma fórmula fácil de chamar a atenção do público, mas, mesmo com essa carta na manga, é possível encontrar diversas personalidades que merecem ter suas histórias sendo contadas e ganhando visibilidade. As Golpistas (Hustlers) é um perfeito exemplo disso.  

Constance Wu vive Destiny, uma mãe que passa por problemas financeiros e que decide trabalhar em uma boate de strip para poder sustentar a filha e a avó. Lá, ela conhece Ramona (Jennifer Lopez) que será responsável por adentrar e familiarizar Destiny neste universo, ensinando-a as melhores maneiras de conseguir dinheiros dos clientes, já que o trabalho delas é desvalorizado pelo gerente da boate. Porém, as coisas começam a desandar quando a Wall Street é abatida por uma crise econômica, fazendo com que as garotas comecem a planejar golpes milionários para conseguirem se sustentar. 

O roteiro é baseado em um artigo publicado na revista americana New York Magazine, escrito por Jennifer Brown. Destiny narra a história por meio de uma entrevista dada à jornalista, de forma que seja possível o espectador entender suas motivações, mesmo que suas atitudes juntamente de Ramona e o grupo de strip sejam moralmente erradas. 

Porém, por mais erradas que as garotas estejam, o roteiro não procura discutir o moralmente certo e errado. É clara a gravidade dos golpes. O grande foco aqui é em construir as personagens – principalmente Destiny e Ramona – de forma que seja possível entendermos a realidade em que elas vivem, contando com o acréscimo da desvalorização do trabalho que exercem. O filme desconstrói a glamourização do strip, deixando claro as dificuldades que a profissão possui. 

As Golpistas (2019) – Diamond Films

Se tratando de um elenco majoritariamente feminino, e que passa uma grande parte do filme com figurinos curtos e dançando em pole dance, era importante que o olhar por trás das câmeras também fosse de uma mulher. A diretora, Lorene Scafaria, faz um trabalho excelente em não objetificar as atrizes em cena, mostrando apenas o necessário, sem deixar a sensualidade de lado. Um diretor masculino não teria o mesmo olhar e cuidado sob o corpo feminino. 

Por mais que Destiny seja a protagonista e o roteiro acompanhe a história pelo seu ponto de vista e narração, a grande cabeça do grupo é Ramona. Ela é endeusada por Destiny desde o primeiro momento em que a vê no palco, ganhando rios de dinheiros enquanto esbanja carisma e sensualidade com suas danças perfeitamente coreografadas. Ramona é madura, segura de si, e toda essa confiança é desejada por Destiny, que a vê como uma aprendiz e uma porta de entrada para este mundo.  

Mas, toda essa confiança e carisma exalados não seriam os mesmos caso não houvesse Jennifer Lopez a interpretando. Extremamente confortável no papel, J-Lo é, com certeza, uma força da natureza. A atriz entrega o melhor de si, fisgando a atenção de qualquer pessoa que ousar olhar em sua direção. Mesmo tendo o protagonismo de Wu – que está muito bem, por sinal -, é J-Lo a responsável por segurar a trama. E, deve-se dizer, cogitar indicações à melhor atriz coadjuvante nas principais premiações da temporada não seria apostar alto demais. 

Elogios também devem ser feitos à trilha sonora composta por músicas extremamente populares e escolhidas a dedo – indo desde Britney Spears à Lorde – que, além de acompanharem o passar dos anos, conseguem se encaixar naturalmente com o desenrolar da trama. A edição majestosa engrandece ainda mais a história, e os momentos em que as músicas são encaixadas, deixando a experiência nostálgica e extremamente satisfatória. 

As Golpistas (2019) – Diamond Films

As Golpistas é um exemplar a se ficar de olho. Com um elenco de peso, e uma direção que sabe visualizar perfeitamente o roteiro que têm em mãos, o filme consegue entregar um excelente entretenimento, ao mesmo tempo em que tenta desglamourizar a visão que temos da profissão das personagens. Esta, com certeza, não será a última vez que ouvimos falar deste filme durante os próximos meses. 

AS GOLPISTAS | HUSTLERS

RESUMO:

As Golpistas entrega um excelente entretenimento que escolhe as melhorEs maneiras de transparecer as mensagens que deseja passar. Jennifer Lopez rouba a cena, mas o elenco estelar, e a direção majestosa a acompanham perfeitamente, tornando o filme um dos melhores do ano e um grande candidato a ficar de olho durante a temporada de premiações.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Gabriel Granja

Jornalista apaixonado pela sétima arte. Acredita que o cinema tem o poder de mudar pensamentos, pessoas e o mundo. Encontra nos filmes e séries um refúgio para o caos da vida cotidiana.