Crítica | A representação sincera sobre relacionamentos em ‘História de um Casamento’

Diretor de filmes como Frances Ha e Mistress America, Noah Baumbach não só construiu uma carreira sólida como adquiriu um estilo próprio na forma de explorar relacionamentos. Em História de um Casamento, o diretor reúne todos os elementos que reafirmam tanto sua identidade, como seu progresso como diretor.

Diferentemente de Frances Ha, onde temos uma protagonista mais centrada em si e de suas relações, e Mistress America, em que a personagem enfrenta um doloroso término de relacionamento, História de um Casamento converge as duas histórias em um processo de divórcio, que envolve os interesses pessoais do casal (Nicole, interpretada por Scarlett Johansson e Charlie, por Adam Driver) e a luta de se desconciliar dos sentimentos um pelo outro que tiveram por tantos anos.

Os minutos iniciais do primeiro ato já constroem a visão positiva que os dois personagens possuem um do outro por meio da montagem com flashbacks conforme o que está sendo narrado, estratégia que já concede uma profundidade aos protagonistas e instantaneamente gera a dúvida no espectador de como o relacionamento dos dois pode ter dado errado. Baumbach, cautelosamente, explora as perspectivas de Nicole e Charlie sempre prezando por equilibrar os dois lados dessa história.

Diante disso, ao longo da narrativa, os detalhes que sugerem como o casamento acabou são revelados aos poucos. As características, desejos pessoais e o que os incomoda se tornam mais díspares e compreensíveis. No entanto, os dois são unidos por Henry (Azhy Robertson), filho único do casal.

História de um Casamento (2019) – Netflix

 

A questão do envolvimento de Henry direciona a trama para a questão judicial onde a guarda do filho se torna o fator principal. Se antes os termos estabelecidos por Charlie e Nicole pessoalmente para manter uma relação amigável mesmo separados, o sentimento de inimizade cresce quando os advogados representantes são inseridos na narrativa. Quando se trata de conquistar seus próprios interesses, há uma quebra no “pacto” de questões que antes só ficavam entre os dois. A linha tênue entre o egoísmo e a compaixão são trabalhadas por Baumbach enquanto o diretor explora o lado mais obscuro de indivíduos que enfrentam um processo de separação.

Nos três atos do longa, porém, o amor que os dois sentem um pelo outro sempre permanece. Apesar de brigas que chegam ao seu extremo (em planos sufocantes cada vez mais fechados utilizados pelo diretor) e de complicações justificáveis para que uma relação acabe, as atuações de Driver e Johansson concedem à Charlie e Nicole sentimentos que transcendem além de palavras; mas em olhares e situações quando os dois estão sozinhos.

Noah Baumbach explora características que geralmente casais experienciam enquanto estão juntos – tenham eles chegado a um fim ou não. História de um Casamento conta a trajetória de Charlie e Nicole, mas é uma representação sincera sobre relacionamentos.

Assistimos História de um Casamento durante a 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O filme estreia dia 6 de dezembro na Netflix.

HISTÓRIA DE UM CASAMENTO | MARRIAGE STORY
5

RESUMO:

História de um Casamento revela a progressão de Noah Baumbach como diretor ao construir uma visão sincera e muito bem elaborada sobre relacionamentos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Rafaella Rosado

Jornalista apaixonada pela sétima arte desde pequena, quando achava que era possível assistir todos os filmes do mundo. Acredita que o cinema é a forma mais sensível de explorar realidades.