Crítica | ‘Segredos Oficiais’ conta uma relevante história real

Em meio à um período em que a maior discussão que circula Hollywood é referente aos filmes de heróis poderem ser chamados de cinema ou não, Segredos Oficiais chega para nos apresentar à um outro tipo de heroína, não aquela que possui poderes para salvar o planeta e outras galáxias, mas sim a que – excluindo o fato de ter sido bem-sucedida ou não – arrisca a própria liberdade para tentar fazer a diferença no mundo.  

Keira Knightley interpreta Katherine Gun, funcionária do governo britânico que recebe um memorando referente as negociações entre Estados Unidos e Reino Unido que seriam capazes de dar início à uma guerra contra o Iraque. Entre essas negociações, estavam planos de fazer com que seis países se sentissem pressionados a votarem a favor desta guerra. Sabendo da gravidade que o memorando carregava, Katherine decide vazá-lo para a imprensa no intuito de impedir que esses planos se concretizassem.  

É curioso notar a importância e a coragem que o ato de vazar tais informações carregam, e mesmo assim, grande parte do mundo não tenha conhecimento da história de Katherine. Claramente, é uma que merece ser contada e recontada mesmo se sua popularidade fosse gigantesca e continuasse sendo debatida mesmo após alguns anos de seu acontecimento. Mas, não é o que parece ter ocorrido aqui.  

O vazamento dessas informações acarretam em inúmeros contratempos e dificuldades para Katherine, mas, o filme não se preocupa em acompanhar somente a sua história. A cobertura jornalística também possui um grande destaque pelo roteiro, seguindo o ponto de vista do personagem de Matt SmithMartin Bright, jornalista responsável por publicar a informação no jornal The Observer. Durante os momentos em que o roteiro foca neste núcleo, o filme ganha tons bastante parecidos com Spotlight – Segredos Revelados The Post – A Guerra Secreta. 

Apesar dos temas políticos, o roteiro nunca se perde no excesso de informações, deixando o espectador sempre a par do que está acontecendo. Esse fator é extremamente importante para o bom entendimento do público, pois ao adentrar no universo político, é fácil perder a atenção do espectador utilizando linguagens técnicas. Isso não acontece aqui, e o filme flui bem ao longo de suas – quase – 2 horas de duração. 

Keira Knightley em “Segredos Oficiais” (2019)

Se o vazamento das informações foi bem-sucedido ou não, não é o foco da narrativa. Seu olhar é muito mais focado na repercussão dos fatos, e no quanto alguém, ao tentar um ato heroico, consegue ser prejudicado e taxado como traidor apenas por estar tentando salvar vidas. A discussão colocada em pauta é extremamente relevante, e o filme não procura tentar reescrever os acontecimentos para tentar manipular a opinião de quem o assiste. 

É interessante ver Keira Knightley em um papel fora da sua zona de conforto. As conversas e críticas referentes a falta de variedade de projetos que a atriz participa já é algo batido. Porém, aqui ela mostra, mais uma vez, seu talento, entregando uma performance poderosa. Katherine passa longe de se mostrar arrependida pelo que fez. E Knightley transparece a força da personagem de forma esplêndida. 

Há quem se sentirá cansado com o ritmo lento de Segredos OficiaisAfinal, o filme está sendo vendido como um suspense político frenético, algo que ele não é. Ele segue à risca a fórmula de filmes que contam histórias reais, tendo uma direção de Gavin Wood bastante mecânica, não demonstrando nenhum interesse em sair fora da caixinha. Mas, neste caso, esse aspecto não incomoda.  

Segredos Oficiais possui a importante missão de contar ao mundo uma história que deveria ser mais conhecida. É formulaico em muitos momentos, mas sua intenção nunca foi em ser algo diferente. Keira Knightley brilha como Katherine Gun, uma heroína que arriscou sua liberdade em prol do direito à vida de outros. Alguém para se levar como exemplo, com certeza. 

SEGREDOS OFICIAIS | OFFICIAL SECRETS
3.5

RESUMO:

Segredos Oficiais é mais um exemplo de projeto que procura trazer à tona uma história real pouco conhecida pelo público. Porém, este fator não anula o seu brilho. Keira Knightley está esplêndida como Katherine Gun, uma simples funcionária do governo que se torna conhecida ao arriscar a sua liberdade em prol do direito à vida de uma população.

Segredos Oficiais é uma das atrações da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

ONDE E QUANDO ASSISTIR:

Terça-feira, 29/10
17h40 – CINESALA

Quarta-feira, 30/10
14h30 – CINEARTE 1

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Gabriel Granja

Jornalista apaixonado pela sétima arte. Acredita que o cinema tem o poder de mudar pensamentos, pessoas e o mundo. Encontra nos filmes e séries um refúgio para o caos da vida cotidiana.