Sem recursos, Festival do Rio pode não acontecer em 2019

O tradicional Festival do Rio está ameaçado em 2019. Através de um post no Facebook, os organizadores fizeram um apelo, e caso não consigam os investimentos necessários, o evento com data prevista de 7 a 17 de novembro deste ano será cancelado.

“Estamos buscando apoio junto a várias empresas e parceiros com interesse na viabilidade do Festival do Rio e que apostam também no Estado e na Cidade do Rio de Janeiro”, diz a nota oficial. “No entanto, vivemos a possibilidade real de cancelamento do nosso evento, com todas as perdas que tal decisão acarretará para o cinema brasileiro, para todo o mercado audiovisual e ainda para cidade e o país”, diz outro trecho da nota.

A publicação destaca ainda que há dificuldades em realizar até mesmo um modelo “compacto” do festival, e que se dentro de alguns dias não tenham captado recursos suficientes, a decisão será tomada. Caso aconteça, será a 21ª edição.

Veja a publicação na íntegra:

O Festival do Rio – após 20 anos de existência e sucesso de realização para o audiovisual brasileiro e internacional -…

Posted by Festival do Rio l Rio de Janeiro Int'l Film Festival on Thursday, September 12, 2019

O Festival do Rio é uma dos mais importantes eventos do audiovisual brasileiro. O vencedor da Palma de Ouro, Assunto de Família, foi exibido no ano passado. A edição também homenageou o aniversário de 20 anos de Central do Brasil, uma das mais importantes produções brasileiras já realizadas.

Em 2017, a abertura do festival contou com o filme A Forma da Água, de Guillermo Del Toro, que ganhou o Oscar da categoria principal no ano seguinte.

Este ano, outro evento cultural tradicional da cidade esteve ameaçado. O Anima Mundi precisou lançar uma campanha de financiamento para que pudesse ser realizado. Em São Paulo, o cinema Belas Artes quase encerrou suas atividades, mas conseguiu um novo patrocínio e segue em funcionamento.

As dificuldades financeiras começaram a aparecer quando, por decisão do governo Jair Bolsonaro, foram cortados patrocínios de empresas estatais, como a Petrobras.

A cultura permanece sob um cerco constante em 2019, e não é demais lembrar que a Ancine (Agência Nacional do Cinema), que esteve ameaçada de extinção, teve 43% do fundo audiovisual cortado. É simplesmente a principal fonte de fomento de produções audiovisuais no país, responsável pela geração de milhares de empregos todos os anos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...