Primeiras impressões | Elite retorna trazendo o que a primeira temporada possuía de melhor

Elite, série espanhola original da Netflix, chegou ao catálogo em meio à muito burburinho em outubro do ano passado. Polêmica, sensual, e com muito mistério, o programa caiu em cheio no gosto do público, se tornando um sucesso imediato. Não era de se duvidar que o segundo ano da série carregaria uma enorme expectativa em cima do rumo que a história iria seguir e, claro, se os romances deixados em aberto iriam se concretizar. Levando em consideração apenas os 2 primeiros episódios, as expectativas foram alcançadas com muito louvor. 

NOVO MISTÉRIO 

Logo nos primeiros minutos, Elite apresenta um novo mistério, o que faz a série ter a mesma estrutura que possuía na temporada passada, alternando flashbacks com situações do presente e relatos dos personagens à polícia. O mistério consegue ser envolvente da mesma forma que o assassinato de Marina (María Pedraza) conseguiu ser, prometendo consequências devastadoras aos alunos de Las Encinas. 

CONSEQUÊNCIAS DO ASSASSINATO DE MARINA 

A nova temporada inicia algum tempo depois do assassinato de Marina – não deixando claro exatamente quanto tempo se passou – mas consegue mostrar as consequências que a morte da personagem trouxe a rotina escolar e pessoal de cada um dos adolescentes. Guzmán (Miguel Bernardeau)é o mais afetado, indo contra Samuel (Itzan Escamilla ) a todo momento pelo fato de Nano ter sido dado como culpado pelo assassinato de sua irmã.  

Carla (Ester Expósitoe Christian (Miguel Herrántambém sofrem com as consequências por estarem envolvidos na morte de Marina. É dito que o casal passou as férias de verão viajando juntos, mas atualmente as crises tomam conta do relacionamento devido a Christian culpar Carla por proteger Polo (Álvaro Rico). Há muito o que se explorar neste núcleo, principalmente quando se trata de Carla e a gravidade do segredo que ela carrega. 

ROMANCES 

Pela primeira vez, os romances não estão em alta em Elite. O início da temporada deixa um pouco de lado as tramas românticas para dar espaço ao desenvolvimento dos traumas, raivas, e dilemas dos personagens. Samuel, Guzmán, Carla e, surpreendentemente, Lucrécia (Danna Paola), são os maiores foco do roteiro até o momento. Nadia (Mina El Hammani), Omar (Omar Ayuso), Ander (Arón Piper)Polo e Christian ficam um pouco de lado, mas ainda possuem alguns momentos para brilhar. 

Mas, como ainda se trata de Elite, o romance não é deixado totalmente de lado. O relacionamento de Omar e Ander possui pouco tempo de tela, mas é possível perceber que eles terão que passar por diversos desafios para ficarem juntos nessa temporada. Guzmán também não consegue esconder seu interesse por Nadia que, inclusive, está muito mais confiante e segura de si mesma. 

NOVOS PERSONAGENS 

O material de divulgação não escondeu a aparição de novos personagens para movimentarem a trama. Eles são encaixados entre o núcleo de personagens principais de forma orgânica, além de serem extremamente carismáticos. Valerio (Jorge López) é o que mais se destaca devido a sua personalidade brincalhona e festeira, e promete trazer reviravoltas para a vida de Lucrécia, sua meia-irmã. 

Rebeca (Claudia Salas) também consegue chamar a atenção, se tornando bastante próxima de Nadia. A amizade entre as duas promete tirar Nadia da zona de conforto, deixando-a ainda mais segura de si mesma e solta. Entretanto, é uma pena que Cayetana (Georgina Amorós) ainda não tenha tido muito tempo de tela igual à Rebeca e Valerio. Futuramente sua presença promete ser mais recorrente, se tornando, talvez, uma das personagens mais interessantes desta temporada. 

Elite é um novelão teen bastante intrigante, e retorna trazendo o que a primeira temporada possuía de melhor: sexo, mistério, e o carisma dos personagens. Resta saber se ela conseguirá manter o nível até o final do novo ano. 

A segunda temporada completa de Elite chega à Netflix no dia 6 de setembro. Confira aqui a crítica da primeira temporada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Gabriel Granja

Jornalista apaixonado pela sétima arte. Acredita que o cinema tem o poder de mudar pensamentos, pessoas e o mundo. Encontra nos filmes e séries um refúgio para o caos da vida cotidiana.