Grande Prêmio de Cinema Brasileiro 2019 | ‘Benzinho’ é o grande vencedor e ‘O Grande Circo Místico’ se destaca; confira a lista completa de vencedores

Foi realizada a cerimônia do Grande Prêmio de Cinema Brasileiro 2019, que representa a maior premiação do setor do audiovisual no Brasil.

Num momento em que o audiovisual brasileiro está enfrentando diversos ataques, a Academia Brasileira de Cinema tirou um longo tempo da premiação para reforçar os benefícios da indústria cinematográfica brasileira (geração de empregos diretos e indiretos, geração de renda através da bilheteria e do pagamento de impostos, criação de empresas, etc) e o reconhecimento de filmes nacionais em festivais de cinema ao redor do mundo, podendo citar o sucesso recente de Bacurau, de Kleber Mendonça Filho.

Ao som de protestos contra o Presidente Jair Bolsonaro, discursaram no palco do Teatro Municipal de São Paulo o Presidente da Academia Brasileira de Cinema, Jorge Peregrino, o Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), o Secretário Estadual de Cultura de SP e ex-ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e a cineasta Laís Bodansky. Todos eles ressaltaram a felicidade por estarem recebendo a cerimônia na cidade e registraram o seu apoio ao setor do audiovisual brasileiro.

“Filtro na cultura tem nome e o nome é censura!”, disse Bruno Covas em seu discurso, fazendo uma referência à fala de Bolsonaro sobre o “filtro” que o Governo Federal pretende aplicar à Ancine e aos filmes. Entenda aqui.

A atriz Zezé Motta recebeu uma grande homenagem por sua longa e espetacular carreira no cinema. Muito emocionada, ela agradeceu à Academia, às pessoas com quem ela trabalhou e compartilhou o prêmio com a família. Depois, cantou “Minha Missão”, de Diogo Nogueira, pois ela achou que seria a melhor maneira de se expressar.

A animação Peixonauta: O Filme foi lembrado por ter sido o único longa-metragem da categoria a ser produzido no ano passado.

A Cinemateca do Museu de Arte Moderna do RJ também foi condecorada por seu trabalho de preservação de 7.000 títulos em 35mm e 16mm, e cerca de 60.000 em base videomagnética analógica e digital e em mídias óticas.

Através da música, a história do cinema brasileiro foi revisitada nessa noite e, assim, as categorias foram apresentadas.

O maior vencedor foi O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues. Foram seis vitórias no total, cinco em categorias técnicas mais Melhor Roteiro Adaptado. O cineasta subiu ao palco, ao lado de Gustavo Hadba – quando ganharam na categoria Melhor Direção de Fotografia -, e fez um discurso tentando tranquilizar os profissionais do audiovisual. Carlos registrou que ele já enfrentou muitos desafios com o cinema no Brasil e piores do que o que aparece no momento e, portanto, o cinema nacional não seria destruído agora.

Cacá Diegues, diretor de ‘O grande circo místico’, que ganhou seis prêmios. Foto: Mario Miranda Filho/Agencia Foto (Reprodução).

Benzinho, que ao todo recebeu 6 prêmios, foi o grande vencedor na categoria de Melhor Longa-Metragem de Ficção. Karine Teles foi escolhida como Melhor Atriz pelo longa. Ela também ganhou, ao lado de Gustavo Pizzi, o prêmio de Melhor Roteiro Original. Ainda sobre esse filme, Adriana Esteves, ao ganhar como Melhor Atriz Coadjuvante, protagonizou um momento engraçado. Ela simplesmente não sabia por qual filme tinha vencido, uma vez que também estava indicada à Melhor Atriz por Canastra Suja. Quem pode, pode, né.

Stepan Nercessian ganhou na categoria Melhor Ator por Chacrinha: O Velho Guerreiro. Em seu discurso, ele dedicou o prêmio aos “estúpidos e canalhas que não entendem o que é cinema brasileiro.”  O longa teve mais duas vitórias, incluindo o Voto Popular na categoria Melhor Filme.

No ano passado, o vencedor da categoria Melhor Longa-Metragem de Ficção foi Aquarius, de Kleber Mendonça Filho. O filme também levou outros 2 prêmios (Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora). No entanto, o maior vencedor do Grande Prêmio de Cinema Brasileiro foi Elis, de Hugo Prata. Venceu em 9 categorias, incluindo Melhor Atriz para Andreia Horta.

Veja a lista de vencedores abaixo (em negrito). Lembrando que para as categorias Melhor Longa-Metragem Ficção, Melhor Longa-Metragem Documentário, Melhor Longa-Metragem Estrangeiro e Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano além do voto da Academia, também contam com o voto popular.

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO
A Voz do Silêncio
Benzinho (Academia)
Chacrinha: O Velho Guerreiro (Voto Popular)
O Grande Circo Místico
O Paciente: O Caso Tancredo Neves

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
A Luta do Século
Ex Pajé (Academia)
My Name is Now, Elza Soares (Voto Popular)
O Processo
Todos os Paulos do Mundo

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL
Detetives do Prédio Azul 2 – O Mistério Italiano
O Colar de Coralina

MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA
Minha Vida em Marte
Mulheres Alteradas
Não se Aceitam Devoluções
Os Farofeiros
Todas as Razões Para Esquecer
Uma Quase Dupla

MELHOR DIREÇÃO
Aly Muritiba por Ferrugem 
Andrucha Waddington por Chacrinha: O Velho Guerreiro 
Carolina Jabor por Aos Teus Olhos
Gabriela Amaral Almeida por O Animal Cordial
Gustavo Pizzi por Benzinho

MELHOR ATRIZ
Adriana Esteves por Canastra Suja 
Débora Falabella por O Beijo no Asfalto 
Gace Passô por Praça Paris 
Karine Teles por Benzinho 
Marjorie Estiano por As Boas Maneiras

MELHOR ATOR
Daniel de Oliveira por 10 Segundos para Vencer
Lázaro Ramos por O Beijo no Asfalto
Murilo Benício por O Animal Cordial 
Otávio Müller por Benzinho 
Othon Bastos por O Paciente: O Caso Tancredo Neves 
Stepan Nercessian por Chacrinha: O Velho Guerreiro

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Adriana Esteves por Benzinho
Fernanda Montenegro por O Beijo no Asfalto
Gilda Nomacce por As Boas Maneiras 
Laura Cardono por Encantados 
Marjorie Estiano por Paraíso Perdido
Sandra Corveloni por 10 Segundos para Vence

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Ailton Graça por Mare Nostrum
Enrique Diaz por Ferrugem 
Matheus Nachtergaele por O Nome da Morte
Milhem Cortaz por Canastra Suja 
Otávio Müller por O Beijo no Asfalto 
Otávio Müller por O Paciente: O Caso Tancredo Neves

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
Fernando Young por Chacrinha: O Velho Guerreiro 
Gustavo Hadba por Motorrad 
Gustavo Hadba por O Grande Circo Místico 
Lula Carvalho por 10 Segundos para Vencer 
Mauro Pinheiro Jr por Unicórnio 
Walter Carvalho por O Beijo no Asfalto

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Aly Muritiba e Jessica Candal por Ferrugem
André Ristum por A Voz do Silêncio 
Claudio Paiva, Julia Spadaccini e Carla Faour por Chacrinha: O Velho Guerreiro 
Gabriela Amaral Almeida por O Animal Cordial 
Juliana Rojas e Marco Dutra por As Boas Maneiras 
Karine Teles e Gustavo Pizzi por Benzinho

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Carlos Dieges e George Moura por O Grande Circo Místico 
Felipe Hirsch por Severina 
Gustavo Lipsztein por O Paciente: O Caso Tancredo Neves 
Jorge Furtado, Ana Luiza Azevedo e Vicente Moreno por Rasga Coração 
Murilo Benício por O Beijo no Asfalto

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
André Weller por Unicórnio 
Artur Pinheiro por O Grande Circo Místico 
Dina Salem Levy por Benzinho 
Marcos Flaksman por O Paciente: O Caso Tancredo Neves 
Rafael Targat por Chacrinha: O Velho Guerreiro

MELHOR FIGURINO
Diana Leste por Benzinho 
Flávia Lhacer por O Doutrinador – O Filme 
Kika Lopez por O Grande Circo Místico 
Kika Lopes por O Paciente: O Caso Tancredo Neves 
Marcelo Pies por 10 Segundos para Vencer 
Marcelo Pies por Chacrinha: O Velho Guerreiro

MELHOR MAQUIAGEM
Adriano Manques por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
André Anastácio por O Animal Cordial 
Catherine LeBlanc Caraes e Emmanuelle Fèvre por O Grande Circo Místico 
Marlene Moura por Chacrinha: O Velho Guerreiro
Martín Macías Trujillo por 10 Segundos para Vencer

MELHOR EFEITO VISUAL
Claudio Peralta por Chacrinha: O Velho Guerreiro
Cyrille Bonjean, Guilerme Ramalho, Hugo Gurgel, Guillaume Castagné, Nicolas Herlin e Eduardo Schaal por As Boas Maneiras 
Marcelo Siqueira e Thierry Delobel por O Grande Circo Místico 
Marcelo Siqueira por Motorrad 
Marco Prado por O Doutrinador – O Filme

MELHOR MONTAGEM – FICÇÃO
Gustavo Giani por A Voz do Silêncio
Idê Lacreta por O Animal Cordial 
Livia Serpa por Benzinho 
Lucas Gonzaga por Motorrad 
Mair Tavares e Daniel Garcia por O Grande Circo Místico 
Thiago Lima por Chacrinha: O Velho Guerreiro

MELHOR MONTAGEM – DOCUMENTÁRIO
Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira por Todos os Paulos do Mundo
Karen Akerman por O Processo 
Karen Harley por Hilda Hilst pede Contato 
Lorena Ortiz e Pablo Paniagua por My Name is Now, Elza Soares 
Natara Ney por A Última Abolição 
Richardo Farias por Ex Pajé
Yan Motta por Soldados do Araguaia

MELHOR SOM
Christophe Penchenat, Simone Petrillo e Emmanuel Croset por O Grande Circo Místico 
Gabriela Cunha, Bernando Uzeda e Christophe Vingtrinier por As Boas Maneiras 
Gabriela Cunha, Daniel Turini e Fernando Henna por O Animal Cordial 
George Saldanha, Roberto Ferraz e André Tadeu por Legalize Já – A Amizade Nunca Morre
Jorge Rezende, Eduardo Hamerschlack, Alan Zilli e Armando Torres Jr. por O Doutrinador – O Filme
Jorge Saldanha, Armando Torres Jr., Alessando Laroca, Eduardo Virmond Lima e Renan Deodato por Chacrinha: O Velho Guerreiro

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
Antonio Pinto por Chacrinha: O Velho Guerreiro
Antonio Pinto por O Banquete
Berna Ceppas por 10 Segundos para Vencer 
Edu Lobo por O Grande Circo Místico 
Elza Soaes e Alexandre Martins por My Name is Now, Elza Soares

MELHOR TRILHA SONORA
Fabio Góes por Detetives do Prédio Azul 2 – O Mistério Italiano
Frejat, Leoni e Vinícios Cantuária por Intimidade entre Estranhos 
Maria Gadú por Todas as Canções de Amor 
Mauricio Nader por Rasga Coração
Sinai Sganzerla por O Desmonte do Monte 
Yan Motta por Soldados do Araguaia 
Zeca Baleiro por Paraíso Perdido

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO
A Forma da Água
Bohemian Rhapsody
Eu, Tonya
Infiltrado na Klan (Academia)
Me Chame Pelo Seu Nome
Nasce Uma Estrela (Voto Popular)
The Square – A Arte da Discórdia
Três Anúncios Para Um Crime

MELHOR LONGA-METRAGEM IBERO-AMERICANO
A Noiva do Deserto (Argentina)
Alguém Como Eu (Brasil, Portugal)
As Herdeiras (Paraguai, Alemanha, Brasil, Uruguai, Noruega, França)
Cachorros (Chile)
Uma Noite de 12 Anos (Argentina, Espanha, Uruguai) (Academia/Voto Popular)

MELHOR CURTA-METRAGEM
Aquário
Guaxuma
Lé Com Cré
O Malabarista
Sobre a Gente

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
Azul Vazante
Copacabana Auschwitz
Cor de Pele
Maré
Um Corpo Feminino

MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO
Adeus à carne
Nova Iorque
O Menino Pássaro
O Órfão
Peripatético

MELHOR SÉRIE BRASILEIRA DE ANIMAÇÃO
Boris e Rufus
Cupcake e Dino: Serviços Gerais
Irmão do Jorel
Vivi Viravento
O Show da Luna!

MELHOR SÉRIE BRASILEIRA DOCUMENTÁRIO
Aeroporto – Área Restrita
Arquitetos
De Carona com os Óvnis
Inhotim
Mil Dias – A Saga da Construção de Brasília

MELHOR SÉRIE BRASILEIRA DE FICÇÃO
A Lei do Riso – Crimes Bizarros
Escola de Gênios
Mostra Tua Cara!
Natália
Z4

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.