Better Call Saul | Bob Odenkirk explica porque o grande momento da série não é tão importante quanto os fãs pensam

Depois de quatro temporadas em Better Call Saul, Jimmy McGill (Bob Odenkirk) finalmente se tornou seu alter-ego Saul Goodman. Este momento era certamente o grande desejo da maioria dos fãs de Better Call Saul, desde 2015, quando o primeiro episódio da série foi ao ar. Mas, para Odenkirk, indicado mais uma vez ao Emmy por este papel, esse momento não foi tão grandioso assim. O motivo alegado é simples: ele se sente como se fosse Saul Goodman desde o início, disse em entrevista ao TheWrap:

Eu não acho que ele realmente seja completamente Saul ou completamente Jimmy“, disse Odenkirk. “Há sempre um pouco de Jimmy dentro de Saul e há sempre um pouco de Saul dentro de Jimmy. Para mim, é uma constante mudança de forma e menos sensação”, disse o ator que também viveu o personagem em Breaking Bad.

Durante a quarta temporada, Jimmy usou efetivamente o nome “Saul Goodman” quando estava vendendo seus celulares pré-pagos para criminosos, já que no terceiro ano da série, ele já havia gravado um vídeo com sua pitoresca equipe de filmagem utilizando o alter-ego em um comercial. Porém, no penúltimo episódio do quarto ano da série, ele conta a sua namorada Kim Wexler (Rhea Seehorn) que, enquanto ele vê esses mesmos criminosos como potenciais novos negócios (afinal, eles tendem a precisar de advogados), eles só o conhecem sob seu pseudônimo, aprimorando ainda mais a ideia de se tornar um advogado picareta.

Acho que todos nós temos vários lados para nós – os lados que mostramos à nossa família, os lados que mostramos ao nosso parceiro, os lados que mostramos aos nossos amigos ou no trabalho“, disse Odenkirk. “Eu só acho que a grande escolha [de Saul] ainda está por vir, e é a escolha onde ele explodiu sua vida.”

Companheira fiel, Kim Wexler é o equilíbrio na vida de Jimmy. A partir do momento desse grande nascimento que ainda está por vir, sua participação deve ser importantíssima no processo. Até poque não vemos a personagem em momento algum nos eventos de Breaking Bad. Apesar de não saber como e quando isso irá acontecer, para Odenkirk, elá será o grande ponto de inflexão para a transformação do personagem, e para ele, Kim estará no centro disso, tendo testemunhado em primeira mão esse “nascimento”:

Isso só tem que acontecer quando Kim não for mais viável. Assim que Kim se for, acho que ele fará uma escolha consciente de se comprometer em ser Saul e viver nessa pessoa o máximo que puder. Isso sera interessante de se ver. Não sei como chegaremos lá.”

Outro ponto crucial nessa virada de Jimmy McGuill é o seu comportamento. É impossível não admitir que o carisma do personagem nos faça esquecer, muitas vezes, de sua conduta. Mas, no decorrer da série, ele assume um comportamento mais impulsivo e raivoso, fruto de escolhas e decepções que enfrenta. “Ele está muito zangado – é assim que eu percebo“, disse Odenkirk. “Percebo isso como raiva, em retomar o mundo e dizer: ‘Você nunca mais vai me pegar de novo. Você nunca vai me fazer tentar ser bom novamente. Porque eu nunca ganho quando tento fazer a coisa certa ‘”.

Sobre o destino de Saul, Bob diz ter bastante liberdade em dar ideias e conversar com os criadores da série, Vince Gilligan e Peter Gould, sobre os rumos de Jimmy McGuill/Saul Goodman, e embora tenha pleno controle sobre o personagem que interpreta em um total de nove temporadas incluindo as duas séries, frequentemente se sente no escuro quanto ao que vai acontecer. “Eu sinto que estou muito dentro desse cara muito e tenho algum instinto para o que acontecerá, mas no final estou sempre surpreso.”

Better Call Saul retorna em 2020. As quatro temporadas da série estão disponíveis na Netflix.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...