Oscar 2020 | Argélia é o primeiro país a anunciar representante na categoria Melhor Filme Internacional

Após as novas mudanças da Academia para o Oscar, a famosa categoria de Melhor Filme Estrangeiro, a partir de 2020, passa a ser chamada de Melhor Filme Internacional. Como todo ano, a categoria recebe um filme representante de cada país, para que a partir de uma comissão, seja escolhida a pré-seleção anunciada dias antes dos indicados da premiação serem revelados.

Anteriormente, a pré-seleção contava com sete filmes, entretanto, a partir de 2020 a lista irá conter dez longas. A partir de agora até o mês de outubro de 2019, os países que queiram disputar por uma indicação na premiação devem mandar os seus representantes para a Academia. Os mesmos serão elegíveis se cumprirem com as regras necessárias.

Pré-requisitos

– Estrear nos cinemas do país de origem antes de estrear nos Estados Unidos;
– Ficar por pelo menos sete dias em cartaz em cinema comercial no país de origem;
– Não deve conter muitas falas em inglês;
– Não pode ter produção americana.

A Argélia foi o primeiro país a apontar o seu representante na corrida para o Oscar 2020. O país escolheu o drama Papicha, de Mounia Meddor, filme que esteve presente na mostra Un Certain Regard na última edição do Festival de Cannes.  O filme se passa em 1997 e conta a história de uma Argélia controlada por grupos terroristas com intenções de transformar o país em um arcaico Estado Islâmico. Nedjma (Lyna Khoudri), uma estudante universitária apaixonada pelo mundo da moda, deseja lutar contra a opressão que o governo exerce sobre mulheres tentando controlar seus corpos e presença em espaços públicos. Determinada em unir as mulheres de seu campus, ela organiza um desfile em protesto, que desafia as regras impostas pela sociedade argelina.

Cena de “Papicha”

O filme foi bem recebido no festival, marcado pelo protesto que o elenco fez com bottons e mensagens “Yetnahaw Ga3” e “2nd RepublicYetnahaw Ga3 é um famoso movimento na Argélia, conhecido por pedir a renúncia do presidente do Senado, do presidente da Assembléia Constituinte, presidente do NPC, e todos os membros do governo, incluindo o primeiro-ministro e assim como a substituição por uma Assembleia Constituinte escolhida pelo povo para fazer a transição e realizar as eleições. A nossa cobertura sobre o que ocorreu no protesto pode ser lido aqui.

Este ano, Meddor foi uma das 13 diretoras a estar com filme em Cannes. Apesar de ser falado em francês, o filme se qualifica para a categoria já que não é utilizado o inglês. Sua estréia está prevista para 9 de outubro na França, entretanto não há data para chegar ao Brasil.

A Argélia já foi indicada cinco vezes na categoria com Z (1969), de Costa Gavras, pelo qual levou o prêmio, sendo esta a primeira vez que o país submetia um longa; Le Bal (1963), de Ettore Scola; Dust of Life (1995), Days of Glory (2006) e Outside de Law (2010) de Rachid Bouchareb.

Os indicados serão conhecidos no dia 13 de janeiro de 2020.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Juliana Oliveira

Estudante de psicologia e fascinada pelo audiovisual. Acredita que o cinema seja uma arte de teor político que dá voz a quem não é ouvido. Gosta de conhecer novas culturas e acredita que o cinema seja a melhor forma para isso, expandindo assim a visão de mundo dentro se sua limitada realidade.