Crítica | Fé e ciência se chocam na primeira temporada de ‘O Escolhido’

Adaptação da série mexicana “Niño Santo”, O Escolhido conta a história de três jovens médicos enviados a um vilarejo remoto do Pantanal para vacinar os moradores contra uma nova mutação do vírus da Zika. Seus esforços para tratar a população são recusados, e os médicos se veem subitamente presos em uma comunidade isolada coberta de segredos e devota de um líder enigmático que os força a confrontar o poder da fé com a ciência.

Ao chegar em Aguazul, Lúcia (Paloma Bernardi), Damião (Pedro Caetano) e Enzo (Gutto Szuster) logo conhecem os moradores nada convidativos daquele vilarejo fantasma; não acreditam na medicina, não tomam vacinas e nem ficam doentes, são protegidos e guiados pela palavra do “Escolhido” (Renan Tenca), um ser divino que tem o poder de cura e recebe ordens através da palavra do “Pai”. Assim, os médicos interrompem a paz local de uma cidade isolada que parecia funcionar muito bem.

Toda a ambientação macabra já toma conta da série por conta de as gravações realmente terem acontecido em um vilarejo o qual aparenta estar décadas atrasado – além de também reforçar a ideia de sua população estar do mesmo modo – fator aprimorado pelos figurantes que são os próprios moradores e pela direção de arte que concede um tom a mais de mistério à cidade e ao acampamento que por ora parece um verdadeiro culto religioso.

O roteiro assinado pelos também co-produtores da série Carolina Munhóz e Raphael Draccon amarra muito bem as questões de fé x ciência pelos primeiros episódios e os demais fatores que movem a trama. É um roteiro muito bem estruturado que insere lendas como as serpentes presas nos fios de cabelo da Nossa Senhora e a “dama” de branco – lenda sobre uma figura que faz os homens sumirem – e surge na história justamente quando um personagem desaparece.

O Escolhido – Emiliano Capozoli/Netflix

Por outro lado, alguns elementos do roteiro mereciam mais atenção. Os flashbacks que contam a história de Lúcia são os únicos que acrescentam algo a mais na narrativa já que justificam todas as suas ações e o motivo de colocar a medicina acima da religião. Quando se trata das memórias dos outros dois médicos, seus flashbacks são bem mais rasos. Enzo, resumido ao riquinho mimado, demonstra uma vontade de descobrir a origem das coisas, mas ao mesmo tempo mal pode esperar para sair daquele lugar; e o flashback de Damião, negro de origem pobre, se remete somente a esse fator – pelo menos entendemos o porquê de nunca aceitar ser tratado como inferior.

O pano de fundo da história de Enzo e Damião só reforça a ideia apresentada pelos dois nos primeiros episódios com as brincadeiras de “ser mimado” e de “ser do morro”, ao invés de aprofundá-los para conhecemos suas intenções como médicos no vilarejo e o que realmente os força a ficar naquele local, assim como Lúcia.

Ainda, com o passar dos episódios, os questionamentos por parte dos moradores de Aguazul sobre a fé dos três médicos começa a ser questionada repetitivamente por meio de diálogos desnecessários, já que os próprios forasteiros questionam entre si suas próprias crenças diante do poder de cura do líder religioso. Não se classifica como problema, mas a força de O Escolhido se baseia nos mistérios daquele vilarejo enquanto os três médicos duvidam de algo que estavam tão certos ao chegarem naquele local.

Ao mesmo tempo que a primeira temporada da série desvenda os segredos de Aguazul, aparecem cada vez mais mistérios, principalmente aos que se referem ao líder que guia a cidade. Apesar das atuações as vezes parecerem um pouco engessadas, no final das contas, o elenco faz um bom trabalho e consegue engajar o espectador por esses aspectos. Os episódios, que possuem uma duração mais curta que o habitual para originais da Netflix, favorece a série tanto em questões de ritmo quanto em questões de aumentar gradativamente a curiosidade do público, sempre indo direto ao ponto.

O Escolhido – Emiliano Capozoli/Netflix

Primeiro thriller sobrenatural brasileiro produzido pela Netflix, O Escolhido é uma ótima aposta da plataforma para começar a investir em um gênero tão pouco explorado nacionalmente.

O ESCOLHIDO - 1ª TEMPORADA
3.5

RESUMO:

Primeiro thriller sobrenatural brasileiro da Netflix, O Escolhido traz questões interessantes sobre fé e ciência com a chegada de três médicos em um vilarejo fantasma.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Rafaella Rosado

Jornalista apaixonada pela sétima arte desde pequena, quando achava que era possível assistir todos os filmes do mundo. Acredita que o cinema é uma arma poderosa de transformar realidades e uma forma de explorar diferentes culturas.