Crítica | Jennifer Aniston e Adam Sandler retomam boa parceria em ‘Mistério no Mediterrâneo’

Adam Sandler e Jennifer Aniston não se reuniam em um filme desde 2011, quando estrelaram Esposa de Mentirinha. Mistério no Mediterrâneo (Murder Mystery), uma comédia com tons investigativos à la Agatha Christie, a dupla emprega sua química em um filme que se destaca mais pela boa interação entre os dois.

No longa, quando um policial de Nova York (Sandler) finalmente leva sua esposa (Aniston) para uma viagem na Europa, um encontro casual no avião os leva ao iate do idoso bilionário Malcolm Quince. Quando o ricaço é assassinado misteriosamente, eles se tornam os principais suspeitos e precisam descobrir o assassino e provar sua inocência.

Dirigido por Kyle Newacheck e escrito por James Vanderbilt, Mistério no Mediterrâneo nunca deixa de ser uma comédia, mas faz do elemento da investigação um bom pano de fundo para os pouco mais de oitenta minutos que são facilmente esquecíveis no dia seguinte. Porém, o longa se beneficia da boa interação entre a dupla, com piadas que se não te fazem gargalhar, também não irão dar ao público a sensação de vergonha alheia. Salvo um ou outro momento, o filme é um bom entretenimento casual.

A ação, aliás, é outro ponto positivo. As cenas de perseguição e fuga encontram equilíbrio entre o cômico e o frenético. Afinal de contas, não dá para levar o filme a sério, mas é possível não fazer isso de qualquer maneira. No entanto, há alguns diálogos longos que podem cansar, principalmente após o ponto de virada, o que enfraquece um pouco ritmo em determinado ponto.

Porém, outro aspecto positivo é a maneira como a dinâmica do casal é retratada. Audrey e Nick Spitz estão casados há 15 anos e o casamento é tratado de uma forma não depreciativa. Há situações em que piadas surgem em torno disso, a respeito das situações peculiares que casais juntos há muito tempo vivem, típicas dos filmes do gênero. Mas na maior parte do tempo, vemosos dois preocupados em manter-se juntos, ao invés do filme partir para uma crise que geralmente surge na segunda metade do segundo ato dos filmes do gênero (embora haja uma breve sugestão disso que felizmente não avança).

Costumeiramente atuando no modo “eu mesmo”, Adam Sandler não mostra nada de novo, mas a boa interação com Jennifer Aniston acaba beneficiando o seu personagem. A atriz esbanja carisma e a direção capta isso de forma certeira, e ainda há aqui algumas participações interessantes como Luke Evans, no papel de um playboy charmoso, a pitoresca Gemma Arterton, e Terence Stamp, o magnata sem papas na língua que tem uma curta mas engraçada participação. Personagens caricatos, sim, mas não tanto quanto os demais.

No fim, Mistério no Mediterrâneo está longe de ser a comédia do ano, mas dentro dessa leva de filmes de Adam Sandler para a Netflix (o ator tem um contrato vigente com a plataforma), é um dos melhores. Não supera, obviamente, o ótimo drama Os Meyerowitz (em uma de suas melhores atuações da carreira), é lógico, mas não se compara os sofríveis Sandy Wexler e Os 6 Ridículos, muito por conta da boa dupla com Jennifer Aniston.

MISTÉRIO NO MEDITERRÂNEO | MURDER MISTERY
3

RESUMO:

A química entre Adam Sandler e Jennifer Aniston segura Mistério no Mediterrâneo, comédia investigativa que não apresenta nada de inovador, mas diverte e cumpre seu propósito.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...