Crítica | ‘Como Vender Drogas Online (Rápido)’ traz em sua primeira temporada uma comédia que retrata bem a vida adolescente atual

Com o grande número de produções originais em que a Netflix tem lançado a cada semana, é muito comum encontrar séries que chegam de maneira bastante sutil pela plataforma, o que acaba resultando em produções que passam a ter um público gigante derrepente, como por exemplo La Casa De Papel e Love, Death & Robots.

A grande surpresa da vez é a nova comédia original alemã, Como Vender Drogas Online (Rápido), que conta a história de Moritz, um nerd que, após sua namorada terminar com ele e passar a ter um relacionamento com o traficante de drogas da escola, resolve abrir seu próprio negócio de venda de drogas online na Deep Web para reconquistá-la.

A série, que conta apenas com 6 episódios de 30 minutos cada, se passa através dos relatos de Moritz, que não só narra a história principal, mas também faz questão de pará-la (de maneira literal as vezes) para ou explicar os efeitos e consequências das drogas que estão sendo mostradas (gerando sequências engraçadíssimas em que o protagonista dá ao telespectador a opção de pular essas explicações caso ele já conheça a droga, por meio do sistema de pular aberturas da Netflix), ou para contar como grandes criadores de empresas milionárias fizeram suas fortunas, muitas vezes fazendo comparações com si mesmo.

Porém, a grande pegada da série fica por conta de seus personagens, que não só apresentam características extremamente realistas de adolescentes, mas apresenta personalidades completamente humanas, como por exemplo o próprio Moritz. Mesmo você entendendo o porquê de o protagonista tomar certas decisões, passa a impressão de ser um personagem que não se importa nem com o melhor amigo Lenny, com quem divide o seu negócio de venda de drogas online, nem com sua família.  Além de claro, a maior parte do tempo, esses personagens estarem grudados em seus celulares (inclusive criando memes sobre o que acontece na trama).

Um fator que contribui bastante na ambientação realística do universo adolescente atual da série, é a sua linguagem. Seus personagens trocam mensagens via Whatsapp, ficam preocupados com as curtidas de suas fotos no Instagram, entre outros pequenos detalhes que contribuem para essa ambientação. E com sua classificação indicativa de 18 anos, a série não tem medo de rechear seus diálogos com palavrões, insinuações de sexo e drogas.

Com uma linguagem extremamente divertida, porém realista e cheia de metalinguagens, Como Vender Drogas Online (Rápido) apresenta uma ótima primeira temporada que apresenta bem seus personagens e cria altas expectativas para uma segunda temporada, e isso em apenas 6 episódios.

COMO VENDER DROGAS ONLINE (RÁPIDO)
4

RESUMO:

Com uma linguagem extremamente divertida, porém realista e cheia de metalinguagens, Como Vender Drogas Online (Rápido) apresenta uma ótima primeira temporada que apresenta bem seus personagens e cria altas expectativas para uma segunda temporada, e isso em apenas 6 episódios.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Matheus Ribeiro

Paulista, jornalista em formação, gamer e viciado em filmes e séries. Acredita que boas histórias nos ajudam a conhecer não só a maneira que a sociedade funciona, mas a conhecer a nós mesmos.