Festival de Cannes 2019 | É do Brasil! ‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’ leva o prêmio de Melhor Filme na mostra ‘Um Certo Olhar’

Festival de Cannes já está terminando, e com isso, as mostras paralelas começam a entregar seus prêmios aos favoritos da edição. No dia 23 de maio, ocorreu a premiação da Semana da Crítica. Hoje, dia 24, foi vez da mostra Um Certo Olhar.

O júri da mostra este ano foi presidido pela diretora libanesa Nadine Labaki, vencedora do Prêmio do Júri em 2018 com Cafarnaum, filme pelo qual concorreu ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Além dela, compuseram o júri a atriz francesa Marina Foïs, a produtora alemã Nurhan Sekerci-Porst, o diretor belga Lukas Dhont e o cineasta argentino Lisandro Alonso.

O maior prêmio da seção, que possui o mesmo nome da mostra, ‘Un Certain Regard’, foi entregue ao filme brasileiro A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, do diretor cearense Karim Aïnouz.

Eu vou falar em português. Eu tenho muito orgulho de estar representando o Brasil aqui hoje. Eu queria muito celebrar os outros filmes brasileiros que estão na seleção esse ano, uma seleção impressionante. Eu queria também dizer que a gente tá passando por um momento no Brasil aonde a intolerância é algo muito forte. As ameaças contra a educação, a criatividade e a cultura e a diversidade são gigantescas. E eu queria portanto, dedicar esse prêmio a vivacidade do cinema brasileiro primeiro, queria dedicar as minhas atrizes que estão aqui. Eu queria agradecer aos meus produtores, a Viola, o Michael e o Rodrigo. E eu queria, sobretudo, dedicar este prêmio a atriz Fernanda Montenegro, que é uma atriz impressionante e à todas as mulheres do mundo. Por um futuro sempre melhor que o presente“, disse Aïnoz quando subiu ao palco após sua vitória ter sido anunciada.

O longa é baseado em livro de mesmo nome escrito por Martha Batalha em 2015. O  filme se passa na década de 1940, onde Eurídice é uma jovem talentosa, mas bastante introvertida. Guida é sua irmã mais velha, e o oposto de seu temperamento em relação ao convívio social. Ambas vivem em um rígido regime patriarcal, o que faz com que trilhem caminhos distintos: Guida decide fugir de casa com o namorado, enquanto Eurídice se esforça para se tornar uma musicista, ao mesmo tempo em que precisa lidar com as responsabilidades da vida adulta e um casamento sem amor.

O filme, que já havia sido muito bem recebido no Festival, é a primeiro do diretor que leva prêmio em Cannes, apesar de já ter estado lá com dois outros filmes: Madame Satã (2002) e O Abismo Prateado (2011).

Confira abaixo a lista completa dos vencedores:

PRIX UN CERTAIN REGARD (Prêmio Um Certo Olhar): Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnoiz

PRIX DE LA MISE EN SCENE (Prêmio de Direção UCR): Kantemir Balagov, diretor de Beanpole

PRIX DU JURY (Prêmio do Júri): O que arde, de Oliver Laxe

PRIX D’INTERPRÉTATION (Prêmio de Interpretação UCR): Chiara Mastroianni de Chambre 212

PRIX SPECIAL DU JURY (Prêmio Especial do Júri UCR): Liberté, de Albert Serra

COUP DE COEUR DU JURY: The Climb, de Michael Angelo Covino, e La femme de mon frére, de Monia Chokri

MENTION SPECIALE DU JURY (Menção honrosa): Jeanne, de Bruno Dumont

O Festival de Cannes termina no sábado (25), com a entrega de prêmios da seleção Oficial.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Juliana Oliveira

Estudante de psicologia e fascinada pelo audiovisual. Acredita que o cinema seja uma arte de teor político que dá voz a quem não é ouvido. Gosta de conhecer novas culturas e acredita que o cinema seja a melhor forma para isso, expandindo assim a visão de mundo dentro se sua limitada realidade.