Festival de Cannes 2019 | Atualização no Jury Grid: ‘Parasite’ desbanca Dor e Glória’ e se torna o favorito dos críticos.

Depois da exibição dos filmes Parasite, do coreano Bong Joon-ho; Young Ahmed dos irmãos belga Luc e Jean-Pierre Dardenne e Oh Mercy! do francês Arnaud Desplechin, a tabela mais famosa dos críticos do Festival de Cannes, o jury grid, foi atualizada.

Anteriormente, Dor e Glória liderava com 3.3, seguido por Portrait of a Lady on Fire com 3.2 e Era Uma Vez em Hollywood com 3.0

O thriller coreano de Bong Joon-ho ultrapassou todos os favoritos, recebendo a maior nota no festival até o momento: 3.5. Além disso, a crítica Stephanie Zacharek do Time Magazine alterou sua nota do longa de Sciamma, Portrait of a Lady on Fire, aumentando uma estrela – de 3 para 4 -. Isso alterou a nota final do filme, que agora segue com 3.3, empatando com a obra de Almodóvar.

Assim, Parasite lidera com 3.4 e empatados no segundo lugar estão Dor e Glória e Portrait of a Lady on Fire com 3.3. Em terceiro lugar segue um dos filmes mais esperados do festival, Era Uma Vez em Hollywood com 3.0.

As duas coproduções brasileiras, coincidentemente, receberam a mesma nota de 2.6. Bacurau, filme de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, feito em parceria com a França. E o O Traidor, de Marco Bellocchio, coprodução entre Brasil, Itália, França e Alemanha.

Configuram o top 10, além dos três primeiros lugares:

4. Atlantique (2.8);
5. The Wild Goose Lake (2.7);
6. Bacurau e The Traitor (2.6);
7. The Whistlers, A Hidden Life e Sorry We Missed You (2.5);
8. Les Misérables, Young Ahmed e Oh Mercy! (2.4);
9. Little Joe (2.3)
10. The Dead Don’t Die (2.2)

O novo filme de Xavier Dolan, Matthias e Maxime, apesar de ter tido uma boa recepção inicial pelos críticos, recebeu 1.7 no jury grid e se torna um dos piores avaliados do festival juntamente com Frankie, de Ira Sachs, longa estrelado por Isabelle Huppert.

Entretanto, o posto de  pior filme do festival vai para o novo longa de Abdellatif Kechiche, diretor que levou a Palma de Ouro em 2013 com o seu Azul é a cor mais quente. O novo de Kechiche, Mektoub, My Love: Intermezzo, que inicialmente possuía 4 horas de duração, foi editado e reduzido para 3h30min. O filme recebeu a média de 1.5.

Apesar  do jury grid não influenciar nos prêmios entregues no festival, as obras que figuram dentre os primeiros lugares costumam sair premiados. Já se fala de prêmios para os filmes de Almodóvar, Sciamma , Kleber Mendonça Filho e Dornelles, além de Quentin Tarantino, visto que comemora-se 25 anos da Palma de Ouro de Pulp Fiction (1994).

A premiação do Festival de Cannes ocorre no próximo sábado, 25 de maio.

(Via Screen Daily)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Juliana Oliveira

Estudante de psicologia e fascinada pelo audiovisual. Acredita que o cinema seja uma arte de teor político que dá voz a quem não é ouvido. Gosta de conhecer novas culturas e acredita que o cinema seja a melhor forma para isso, expandindo assim a visão de mundo dentro se sua limitada realidade.