Crítica | Lucifer: 4ª Temporada prova que valeu a pena salvar o diabo mais carismático da TV

Review of:

Reviewed by:
Rating:
4
On 12 de maio de 2019
Last modified:12 de maio de 2019

Summary:

Contem spoilers da quarta temporada de Lucifer

A Netflix salvou o diabo quando a Fox tentou exorcizá-lo da TV, após a terceira temporada, e nos entregou uma quarta temporada muito, mas muito melhor que a última, que foi longa e cheia de episódios desnecessários.

Para a alegria dos fãs de Tom Ellis (Lucifer) e Lauren German (Chloe), Lucifer voltou de casa nova e… bem mais a vontade! É que na Fox não se podia forçar muito a barra, com xingamentos e vulgaridade, não se podia mostrar o corpo. Mas na Netflix a coisa é um pouco diferente. Mesmo assim, não era a intenção mudar muito a vibe do seriado, já que foi ela que cativou a legião de fãs que imploraram pelo seu não cancelamento.

E como Lucifer podia ser cancelado depois daquele final, quando Chloe finalmente descobre a verdadeira face de seu parceiro? Como poderíamos ficar sem saber os desdobramentos disso? Mas chegou a gigante do streaming salvando a pátria. E muito disso, fiquem sabendo, se deu por causa dos fãs brasileiros, que gritaram e espernearam, fazendo com que o próprio protagonista gravasse vários vídeos agradecendo o Brasil pelo carinho.

A quarta temporada trouxe apenas dez episódios – no jeito Netflix de ser – e entregou tudo o que prometeu. A série ficou um pouco mais sombria – embora divertida como sempre! -, e sexy. Depois que Caim (Tom Welling) finalmente morreu pelas mãos de Lucifer, o ser celestial da vez é sua mãe, Eva (Inbar Lavi), que surgiu para tentar o diabo de todas as formas devassas possíveis, fazendo Chloe morrer de ciúmes.

Durante os dez episódios, vimos a detetive da LAPD lidar com sentimentos contraditórios, uma mistura de medo, confusão e o desejo que sente pelo rei do inferno, enquanto ele mesmo tem que lidar com a culpa que sente e o fato de se odiar. Rimos com a divertida perita forense Ella (Aimme Garcia) e com o demônio Mazikenn (Lesley-Ann Brandt) – Maze, para os íntimos, com suas características roupas de couro preto e as constantes mudanças de penteado.

Sentimos vontade de bater em Dan (Kevin Alejandro), que estava mais chato do que nunca. É bonitinho acompanhar a gravidez celestial de Linda (Rachael Harris) – que foi a desculpa para o entediante Amenadiel (D. B. Woodside) continuar no seriado. E no meio disso tudo, uma antiga profecia se revela para ameaçar as férias do diabo na Terra.

Não teve como não gostar desse Lúcifer versão-nova-mas-parecida-com-a-anterior que a Netflix produziu e do gancho que deixou para a próxima temporada. Afinal, o que foi o Lucifer sentado naquele trono, não é? Pelo visto, não são só Jon Snow e Daenerys que têm uma reivindicação válida para reinar!

LUCIFER - QUARTA TEMPORADA
4

RESUMO:

Mudança de Luficer da Fox para Netflix traz temporada mais curta, sombria e sexy, mas mantém a vibe divertida e carismática do diabo mais carismático da TV.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Flávia Leão

Cinéfila mineira que ama os filmes desde quando os clássicos da Disney ainda eram em VHS e os seriados desde que Jeffrey Lieber e J.J. Abrams inventaram Lost.