Anima Mundi lança campanha de crowdfunding para viabilizar 27ª edição

Um dos principais festivais de animação do mundo, com mais de 500 filmes exibidos todos os anos para um público de 50 mil pessoas, o Anima Mundi, lança a partir de segunda, dia 13 de maio, uma campanha de crowdfunding por meio do Benfeitoria. O objetivo é viabilizar a realização da 27ª edição, prevista para acontecer entre os dias 17 e 21 de julho no Rio de Janeiro, e 24 e 28 de julho, em São Paulo. A campanha vai até o dia 27 de junho.

Para participar da iniciativa, o público pode acessar https://benfeitoria.com/animamundi. A campanha de financiamento online terá três metas.

1 – R$400 mil: para a realização da mostra de filmes no Rio de Janeiro e em São Paulo;

2 – R$ 600 mil: para a realização da mostra de filmes e do Papo Animado no Rio de Janeiro e em São Paulo;

3 – R$800 mil: para a realização da mostra de filmes e do Papo Animado no Rio de Janeiro e em São Paulo e Anima Fórum em São Paulo

Corte de verbas para a cultura

A Petrobrás decidiu não renovar o patrocínio de 13 eventos culturais deste ano, entre eles a Mostra de Cinema de São Paulo, o Festival do Rio, O Festival de Brasília, e o próprio Anima Mundi. A campanha do evento é uma resposta ao corte.

Vale lembrar que o Cine Belas Artes, que corria o risco de fechar as portas, conseguiu manter seu funcionamento através de um novo patrocinador do setor privada, a Cerveja Petra. O tradicional cinema de rua era patrocinado pela Caixa Econômica Federal, que também está seguindo a mesma linha adotada pela empresa petrolífera.

A campanha feita pelo Anima Mundi é tudo ou nada, ou seja, o Festival precisa bater, pelo menos, a meta de R$400 mil para conseguir os recursos e viabilizar suas ações. O Anima Mundi tem buscado também apoio junto a produtoras, estúdios de animação e animadores. As doações vão de R$20 a R$ 50 mil, com contrapartidas específicas para cada valor de doação. A lista completa de contrapartidas pode ser acessada no site do Benfeitoria.

O festival foi criado em 1993 por Aída Queiroz, Cesar Coelho, Lea Zagury e Marcos Magalhães, responsáveis pela curadoria do Festival. Desde a criação, exibiu mais de 10 mil filmes de animação do mundo inteiro a preços populares, entre longas e curtas-metragens, além de promover oficinas abertas e gratuitas, debates, exposições, entre outras atividades.

O Anima Mundi realiza, ainda, o Anima Escola, que busca levar a linguagem da animação para a sala de aula e já capacitou mais de 2.500 professores e atendeu mais de 15 mil alunos. E o Anima Forum, voltado para o fomento, profissionalização e internacionalização do mercado de animação. A última edição do Festival, em 2018, movimentou R$ 26,8 milhões e gerou R$ 2,6 milhões em impostos, tendo público estimado de 50 mil pessoas.

Desde 2012, o Anima Mundi é qualificado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA (Academy of Motion Pictures Arts and Sciences) e o curta-metragem vencedor do Grande Prêmio Anima Mundi é elegível a participar das seleções para a disputa do Oscar. Neste ano, “Animal Behaviour”, de David Fine, ganhador do Grande Prêmio de 2018, concorreu ao Oscar de melhor curta-metragem de animação.

No ano passado, o francês “Negative Space”, de Max Porter (EUA) e Ru Kuwahata (Japão), foi premiado, indicado pelo Anima Mundi e entrou na disputa do Oscar 2018. Outros dois curtas indicados pelo Anima Mundi foram candidatos à disputa do Oscar: em 2013, “Head Over Heels”, do Reino Unido (Melhor Filme Anima Mundi 2012), e em 2014: “Feral”,coprodução Portugal e EUA (Melhor Filme Anima Mundi 2013).

Vamos juntos fazer o Anima Mundi acontecer! Quem anima?

#euanimo

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...