Game of Thrones | Diretor de fotografia rebate críticas: “muitas pessoas não sabem ajustar suas TVs corretamente”

Que “The Long Night” foi um grande episódio de TV, ninguém discorda. Ou melhor, quase ninguém. Ele foi assistido por 12,02 milhões de telespectadores durante a sua transmissão inicial. Este foi o capítulo com a maior duração até hoje em Game of Thrones, com uma hora e 22 minutos de duração, o segundo mais visto em toda a série.

Porém, uma coisa incomodou muito os fãs. As cenas escuras e a qualidade das imagens inviabilizaram a boa visualização do episódio para muitas pessoas. Assinantes da HBO no mundo inteiro se queixaram do problema. Afinal, de quem é a culpa? Do diretor Miguel Sapochnik, do diretor de fotografia Fabian Wagner, da HBO ou das emissoras que retransmitiram?

Procurado pelo site wired, o diretor de fotografia deu sua opinião sobre o assunto, e culpou os telespectadores por isso. Sim, a culpa é toda nossa:

Grande parte do problema é que muitas pessoas não sabem ajustar suas TVs corretamente. Muitas pessoas também assistem em iPads pequenos, o que de forma alguma pode fazer justiça a um programa como esse, de qualquer maneira. Pessoalmente, eu não preciso sempre ver o que está acontecendo porque é mais sobre o impacto emocional”.

Em um ponto, ele não deixa de ter razão. A qualidade do dispositivo e o fato do canal não ser HD podem não extrair o melhor do episódio. Porém, assinantes do HBO GO e de canais em alta resolução também relataram dificuldades. Mas ainda bem que Wagner deu dicas para os fãs que, além de ajustarem suas TVs corretamente, precisam criar um ambiente imersivo, como se estivessem no escurinho do cinema:

“Game of Thrones é um show cinematográfico e, portanto, você tem que assistir como se estivesse em um cinema: em uma sala escura. Se você assistir a uma cena noturna em uma sala bem iluminada, isso não ajudará você a ver a imagem corretamente”.

Leia a nossa crítica do episódio ‘The Long Night’

Wagner diz que a maior parte da escuridão mostrada no episódio se deu graças às filmagens noturnas, com o resto da atmosfera produzida no set através de escolhas de iluminação. “Outra visão estaria errada. Tudo o que queríamos que as pessoas vissem estava lá”, diz ele.

“Os showrunners decidiram que isso deveria ser um episódio sombrio. Nós vimos tantas cenas de batalha ao longo dos anos – para torná-lo verdadeiramente impactante e para cuidar dos personagens, você tem que encontrar uma maneira única de retratar a história“, completou Wagner.

A HBO afirmou que não houve problemas em nenhuma das plataformas da HBO. É bom lembrar que, além do episódio escuro, milhares de usuários não conseguiram acessar o site no horário da exibição, provavelmente por causa do tráfego intenso. É a terceira vez – em três episódio – que isso acontece esse ano.

Leia: Como Melisandre previu acontecimentos da Batalha de Winterfell

Apesar da controvérsia, “The Long Night” é agora o segundo episódio mais visto na história de Game of Thrones, atrás apenas do final da 7ª temporada, que atraiu 12,1 milhões de telespectadores. O episódio de domingo também foi o episódio de televisão roteirizado mais comentado no Twitter de todos os tempos, com mais de 7,8 milhões de tweets.

Os episódios inéditos da oitava temporada de Game of Thrones vão ao ar aos domingos, às 22 horas, na HBO e HBO GO.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...