Roman Polanski processa Academia para ser reintegrado após expulsão

O diretor Roman Polanski está processando a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, exigindo uma reintegração depois de ter sido expulso no ano passado.

Polanski alega que a Academia não seguiu o devido processo quando tomou a decisão. Na época, a organização declarou que decidiu expulsá-lo “de acordo com os Padrões de Conduta da organização” e acrescentou que os membros “defenderiam os valores da Academia de respeito à dignidade humana”. O processo narra que a expulsão do diretor “não é apoiada por descobertas, e as descobertas da Academia não são apoiadas por evidências”.

Harland Braun, advogado do diretor, disse à Variety“Estamos litigando a justiça de seu procedimento. Eles o expulsaram sem aviso e sem lhe dar uma chance de responder. Não houve sequer qualquer aviso do porquê. Depois de 40 anos no mesmo dia que [Bill] Cosby. Me poupe!”

Polanski foi expulso da Academia em meio à forte pressão de movimentos como #MeToo. Além do diretor e do comediante Bill Cosby, o produtor Harvey Weinstein também sofreu essa punição por parte da Academia.

A suspensão ou expulsão do grupo, que escolhe os vencedores anuais do Oscar, exige a aprovação de dois terços dos 54 membros do conselho de governadores. A Academia, presidida por John Bailey, ainda não se manifestou pelo processo.

Polanski, que foi preso em 1977 por estuprar uma menina de 13 anos, vive na França há décadas para evitar a prisão. Em 2003, ele ganhou um Oscar pelo filme O Pianista, mesmo não podendo ir à cerimônia receber o prêmio.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.