Vingadores: Ultimato | Filme será “uma experiência única na história do cinema”, diz co-diretor Joe Russo

O próximo filme da Marvel Studios, Vingadores: Ultimato, vai marcar o fim da Fase 3 do estúdio nos cinemas. Mais do que uma simples transição, será o fim de uma era para parte desses heróis, que por mais de uma década, dominam cada vez mais a atenção do público.

Em entrevista ao BoxOficcePro, Joe Russo, co-diretor de Ultimato, Vingadores: Guerra InfinitaCapitão América: Guerra Civil e Capitão América: O Soldado Invernal, falou sobre o próximo filme e uma variedade de assuntos relacionados ao legado desses super-heróis da Marvel nos cinemas.

Tem sido uma experiência realmente única”, diz Russo. “São 10 anos de narrativa serializada e multifacetada – várias franquias com personagens de grande sucesso em todas as franquias. O público tem um investimento emocional em todas as franquias de uma maneira que eu acho que nunca foi feito antes no setor cinematográfico. Certamente, tem havido franquias singulares como Harry Potter, O Senhor dos Anéis, ou Star Wars, mas eu não sei se alguém já fez várias franquias como essa, todas construídas para um final como o Ultimato,” completa.

Como o co-diretor afirma, os filmes da Marvel fazem parte de uma construção em série, como uma história em quadrinhos transportada para a tela do cinema. Os filmes se tornaram um grande evento, dignos de serem apreciados nas telonas com tudo o que tem de melhor em termos de efeitos especiais, algo importante para criar cenários e personagens de dimensões cósmicas. Sobre isso, ele diz que não vai faltar capricho no próximo filme:

Nós enfrentamos a dor e o esforço para filmar tanto o Guerra Infinita quanto Ultimato em IMAX, então eles foram feitos em uma escala incrível. Eu acho que eles são dois dos maiores filmes já feitos do ponto de vista do personagem e do ponto de vista visual. A escala é tremenda ”, diz Russo.

Vingadores: Guerra Infinita (2018)

Russo acrescenta: “A melhor coisa que acho que a Marvel fez é inflamar o público. É como um show de rock quando você vai a um filme da Marvel no fim de semana de abertura. Há uma energia e uma excitação lá que você não vai querer ficar em casa. Existe um senso de comunidade. Há pessoas aplaudindo e rindo e chorando e acompanhando a história coletivamente de uma maneira que eu não sei se você verá novamente fora da franquia Star Wars. A conexão emocional é tão forte para muitas pessoas”.

Sobre a percepção que os artistas tem, de dentro para fora, Russo deu um depoimento curioso sobre uma experiência que Mark Ruffalo (Bruce Banner / Hulk) viveu em uma sessão do filme anterior dos Vingadores:

Mark Ruffalo estava com um boné de beisebol e óculos escondidos na noite de estreia de Guerra Infinita Nova York, de onde ele é. No final do filme, ele me enviou um vídeo de um cara que estava tão chateado porque metade dos personagens morreram que ele arrancou sua camisa e estava pisando em cima dela no cinema gritando ‘Por quê ?!’ Eu acho que há muito poucas franquias que motivam e movem seu público da maneira que esses filmes fazem.

De fato, Vingadores: Guerra Infinita foi uma experiência singular. O estalar de dedos de Thanos provocou uma histeria, ou melhor, uma comoção coletiva, além dos momentos de catarse provocados pelo embate entre os heróis mais poderosos da Terra e o Titã Louco. Para o diretor, vivenciar isso em grupo se tornou parte de uma experiência única, que será maior agora, prevê:

“Será uma experiência única e singular na história do cinema, e as pessoas vão querer compartilhar essa experiência juntos – até mais do que a Guerra Infinita, francamente”.

Vingadores: Guerra Infinita (2018)

 

Junto ao seu irmão Anthony Russo, Joe dirigiu filmes com diferentes tons e temáticas para a Marvel. Sobre Ultimato, o diretor foi cuidadoso e mediu as palavras ao dizer o que podemos esperar. Mas pelas suas palavras, Guerra Infinita foi um filme sobre o ponto de vista de Thanos. Já no próximo longa, deveremos ver as coisas pela ótica dos heróis derrotados, devastados pela perda:

É complicado responder sem revelar nada, mas vou dizer que o filme tem um tom único. Tem o seu próprio espírito que é diferente de Guerra Infinita, e é por isso que eu queria separar os filmes. Claro, estamos distribuindo narrativas que foram serializadas em 22 filmes. Mas, é diferente tonalmente do que a Guerra Infinita e é contada de um ponto de vista diferente. Era importante para nós, em nossas mentes, que os diretores de cinema separassem os dois porque não queremos fazer o mesmo filme duas vezes, e as maneiras pelas quais você pode diferenciar os filmes são através do tom e do ponto de vista”.

Todos os filmes da Marvel tratam, de maneiras diferentes, do significado do heroísmo. Para o co-diretor, esse é um dos temas presentes de maneira muito explícita nos dois filmes:

“Em ‘Ultimato’, é exatamente isso a que queríamos fazer alusão”, disse Joe Russo. “Qual é a definição de herói. Em todos os quatro filmes, se você olhar para eles juntos, estará sendo perguntado isso e os personagens estarão buscando essa resposta: ‘o que significa ser um herói e o que significa se levantar“.

Fazer uma franquia desse porte não é um desafio fácil. A própria Marvel já passou por problemas como saída de atores e uma oscilação nos anos iniciais, até que encontrasse a “fórmula” ideal. Questionado sobre a unidade criativa que está presente e liga todos os filmes, Russo, que além do irmão Joe está na sua quarta parceria com os roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely, pondera:

É realmente único e todos nos damos muito bem. É uma verdadeira parceria. Quando você está em uma parceria criativa, precisa colaborar diariamente. Você tem que ser capaz de se comunicar. Você tem que ser capaz de discutir seu ponto de vista, suspender seu ponto de vista, elaborar seu ponto de vista. Eu acho que é porque somos duas duplas, o que torna muito fácil para nós nos misturarmos e trabalharmos juntos. Todo mundo tem o mesmo objetivo em mente. Qual é o melhor roteiro que podemos criar? Qual é a melhor história que podemos contar? Qual é o melhor filme que podemos fazer?”

Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014)

Questionado sobre o tempo de duração do filme (o mais longo da história do MCU), Russo diz que o tempo se faz necessário pela densidade da história, e que o passeio será agradável. Mas, segundo ele, o público não precisará se preocupar com o relógio:

Temos tantos personagens com os quais estamos trabalhando novamente que exigem esse tipo de tempo de execução. Meu irmão e eu estamos realmente comprometidos com as apostas emocionais…Quando você tem uma trama se alastrando com muitos personagens e interesses emocionais, isso requer tempo para respirar emocionalmente. Na escala, você só vai acabar em um determinado tempo de execução. Nós temos sido muito exigentes no filme. Nós não gostamos de tempos de execução excessivos; É muito difícil encerrar 10 anos de histórias”.

Sobre os temidos spoilers, que além de provocar um estado de paranoia nos diretores poderiam estragar a experiência dos fãs em Guerra Infinita (e que certamente estão sendo guardados a sete-chaves em Ultimato) o co-diretor garante que a preocupação é ainda maior e pede aos fãs que não estraguem a experiência dos demais. Mas ele recomenda uma ida ao cinema logo no primeiro fim de semana, e explica o motivo mais do que óbvio:

A certa altura (a entrevista foi concedida no início do ano), tenho certeza de que escreveremos outra carta este ano que pede a todos que fiquem fora da internet. Eu acho que este tem ainda mais spoilers do que o último. Esta é uma cultura que quer tudo agora e está piorando. O mundo está conectado via redes sociais e a informação viaja em segundos. Se você acompanha esta narrativa há 10 anos, vai querer se proteger. É melhor ir limpo. Encorajo as pessoas a irem para o fim de semana de estreia porque tenho certeza de que tudo vai chegar à internet no momento em que o filme chegar à tela.

Vingadores: Ultimato (2019)

Ainda sobre os spoilers, Russo usa sua experiência pessoal com Star Wars como referência e conta como um dos filmes da franquia criada por George Lucas lhe ofereceu uma experiência única. O que explica todo o cuidado com os materiais de divulgação e trailers, que contém até agora, informações econômicas:

Quando eu tinha 11 anos, fui ver O Império Contra-Ataca (Episódio V) , tendo visto Star Wars várias vezes com meu tio…eu não sabia nada sobre o que iria acontecer no filme além do que eu tinha visto em um trailer uma ou duas vezes. A informação era muito mais limitada. Foi tão chocante para mim o que aconteceu que eu estava emocionado assistindo. Essa é a sensação que meu irmão e eu estamos tentando reproduzir para outras crianças que querem ser surpreendidas. É por isso que limitamos a quantidade de informações nos trailers. É por isso que ousamos fazer isso…Todo mundo tem um PhD em conteúdo agora e é instantâneo. A menor pista em um trailer pode arruinar um filme.

Questionado se o fim da Saga do Infinito também representa o fim da linha para e o irmão, Joe Russo faz questão de enaltecer o quão importante esses filmes foram e são importantes em sua vida:

A porta está sempre aberta. Todos na Marvel são como uma família para nós. Nós crescemos lendo revistas em quadrinhos, e essas histórias são incrivelmente importantes para nós. Qualquer coisa que tenha te tocado quando criança ou falado com você quando criança tem uma ressonância emocional que você carrega consigo a vida toda. É muito difícil encontrar uma história que possa falar com você da mesma maneira quando você era mais jovem”.

Será uma experiência e tanto, de fato. O tempo dirá se o impacto cultural do MCU será semelhante aos filmes da saga Star Wars, por exemplo. A história está sendo escrita e somos parte dela, nesse momento. Quem começou a viver isso, ainda em 2008 com Homem de Ferro, deverá ter a mesma percepção.

Homem de Ferro (2008)

Confira a sinopse oficial de Vingadores: Ultimato.

“Depois dos eventos de Vingadores: Guerra Infinita, o universo está em ruínas. Com a ajuda de aliados, os Vingadores vão se reunir para desfazer as ações de Thanos e restaurar a ordem do universo.”

Anthony e Joe Russo retornam para a direção do novo filme. O elenco inclui Robert Downey JrChris EvansChris HemsworthScarlett JohanssonJeremy RennerMark RuffaloPaul RuddDon CheadleTessa ThompsonBradley CooperBrie LarsonKaren Gillan e Josh Brolin.

Vingadores: Ultimato estreia no dia 25 de abril nos cinemas brasileiros.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...