Crítica | ‘A Cinco Passos de Você’ trata de um tema importante em um mar de clichês

A fibrose cística é uma rara doença genética na qual pessoas que a possuem produzem uma grande quantidade de muco pelos pulmões. Assim como na realidade, no cinema a enfermidade é pouco conhecida do público, tendo sido retratada apenas em pequenos filmes como A Vida é Para Viver (2012) de Max McGuire, onde o protagonista que possui fibrose cística embarca em uma aventura ao levar a cinzas de seu amigo a um santuário de cura no México. Em A Cinco Passos de Você, dirigido por Justin Baldoni, uma adolescente vive em uma ala no Saint Grace Hospital destinada a patologia onde faz seu tratamento. Lá, ela conhece Will, um jovem rebelde por quem se apaixona.

A história central do filme poderia terminar por aí, entretanto, pessoas que possuem fibrose cística não podem ficar perto de outros acometidos pela mucoviscidose, pois há grande risco de contaminação por bactérias um do outro. Assim, recomenda-se 1,5 metros de distância para a interação dos sujeitos utilizando máscaras. Eis aqui o grande empecilho do romance.

A história é baseada no livro de mesmo nome escrito por Rachael Lippincott e colaboradores. O filme segue o caminho do famoso filme A Culpa é das Estrelas (2014) de Josh Boone, tendo como fio condutor o envolvimento de dois jovens apaixonados que possuem uma mesma doença. Não há como distanciar ambos os filmes já que o próprio faz referência ao longa utilizando uma das principais músicas de sua trilha sonora, “Wait” da banda M83, tocada na cena final do filme de Boone.

As semelhanças com o fenômeno de 2014, entretanto terminam por aí. Apesar de serem dois filmes que possuem circunstancias similares, A Cinco Passos de Você falha no que A Culpa é das Estrelas triunfa. Não há química entre o casal principal, os personagens coadjuvantes são extremamente caricatos, além de suas falas soarem de forma forçada.

Haley Lu Richardson sempre excelente; carismática, otimista e controladora, convence ao interpretar uma jovem que além de ter fibrose cística também possui transtorno obsessivo compulsivo, o famoso TOC. Com a franja sempre lavada de suor e a falta de ar devido a doença, a personagem também vive as conturbações da adolescência e Richardson não deixa a desejar em nenhum dos âmbitos. A personagem é bem explorada, bem como o seu passado que vem à tona aos poucos e de forma não muito óbvia, o que torna o filme mais interessante.

Dylan Sprouse não funciona. O garoto não possui desenvoltura e decepciona principalmente nas cenas de maior dramaticidade. As falas saem vazias junto às suas vagas expressões.

A cena inicial do filme é também a sua última, apesar disso e do destino do jovem casal também já não ser uma grande surpresa, é possível se emocionar – mesmo que de forma mínima – com a triste realidade de pessoas que possuem fibrose cística, e principalmente daquelas que se encontram em semelhante situação amorosa.

Assim, é importante destacar que A Cinco Passos de Você é o primeiro filme de grande sucesso a trazer a problemática da fibrose cística, levando ao público uma doença pouco explorada. Isso influencia o surgimento de um debate sobre a enfermidade, bem como abre portas para que novos filmes possam explorá-la de diferentes formas.

A CINCO PASSOS DE VOCÊ | FIVE FEET APART
2.5

RESUMO:

A Cinco Passos de Você inova em sua abordagem, entretanto se sustenta em sua protagonista que, mesmo entregando uma linda performance acerca de um importante tema, ainda faz parte de um mar de clichês.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Juliana Oliveira

Estudante de psicologia e fascinada pelo audiovisual. Acredita que o cinema seja uma arte de teor político que dá voz a quem não é ouvido. Gosta de conhecer novas culturas e acredita que o cinema seja a melhor forma para isso, expandindo assim a visão de mundo dentro se sua limitada realidade.