Emilia Clarke revela que teve dois aneurismas cerebrais após a primeira temporada de ‘Game of Thrones’

Em entrevista ao The New YorkerEmilia Clarke revelou um luta pessoal contra dois aneurismas cerebrais que ameaçaram a sua vida alguns anos atrás, depois de filmar a primeira temporada de Game of Thrones. O relato é impressionante, principalmente pelo fato haver um alto risco de morte e sequelas nesse tipo de caso.

Quando todos os meus sonhos de infância se tornaram realidade, quase perdi a cabeça e depois a minha vida. Eu nunca contei essa história publicamente, mas agora é a hora”, disse a intérprete de Daenerys Targaryen. A atriz revelou ainda que todo o processo envolvendo as gravações foram estressantes, aliado ao fato de ser uma atriz novata e sob os holofotes de uma série com visibilidade mundial.

Eu estava apavorada. Aterrorizada com a atenção, apavorada com um negócio que eu mal entendia, com medo de tentar compensar a fé que os criadores da série tinham colocado em mim. Eu me senti, em todos os sentidos, exposta. No primeiro episódio, eu apareci nua e, desde aquela primeira coletiva de imprensa, sempre recebi a mesma pergunta: alguma variação de “você é uma mulher tão forte e, mesmo assim, tira a roupa. Por quê? ”Na minha cabeça, eu respondia: “ Quantos homens eu preciso matar para provar a mim mesmo?

Clarke descreveu a experiência do primeiro aneurisma como angustiante, e declarou que acreditou que ia morrer. “Como eu aprendi mais tarde, cerca de um terço dos pacientes com hemorragia subaracnoidea morrem imediatamente ou logo depois disso. Nos pacientes que sobrevivem, o tratamento urgente é necessário para isolar o aneurisma, pois há um risco muito alto de um segundo sangramento, muitas vezes fatal. Se eu quisesse viver e evitar sequelas terríveis, eu teria que fazer uma cirurgia urgente. Mesmo assim, não haviam garantias”, contou.

Depois da cirurgia no cérebro, Clarke declarou ao produtores que voltaria ao trabalho, que mas isso dependeria de sua saúde. Naquele momento, Game of Thrones já era um sucesso de crítica e público. A pressão era enorme.

“Mesmo antes de começarmos a filmar a segunda temporada, eu estava profundamente insegura comigo mesma. Eu costumava ficar tão tonta, tão fraca, que achava que ia morrer. Em em um hotel em Londres durante uma turnê publicitária, lembro-me vividamente de pensar: não consigo acompanhar, pensar ou respirar, muito menos tentar ser charmosa. Eu tomei morfina entre as entrevistas. A dor estava lá e a fadiga era como a pior exaustão que eu já havia experimentado, multiplicada por um milhão. E, vamos encarar, sou uma atriz. Vaidade vem com o trabalho. Passei muito tempo pensando em como eu estava. Se tudo isso não bastasse, eu parecia bater na minha cabeça toda vez que tentava entrar em um táxi.”

O segundo aneurisma foi detectado em um exame de rotina, que exigiu outra cirurgia, aparentemente mais simples que a primeira. Era apenas uma impressão. “Sem problemas. Exceto que houve. Quando eles me acordaram, eu estava gritando de dor. O procedimento falhou. Eu tive um sangramento enorme e os médicos deixaram claro que minhas chances de sobreviver eram precárias se não operassem novamente. Desta vez, eles precisavam acessar meu cérebro da maneira antiga – através do meu crânio.

Depois de toda essa experiência, e de ter ficado em silêncio todos esses anos, Emilia Clarke decidiu se dedicar a uma instituição de caridade, a SameYou, que visa fornecer tratamento para pessoas em recuperação de lesões cerebrais e derrame cerebral. “Sinto gratidão infinita – com minha mãe e meu irmão, com meus médicos e enfermeiras, com meus amigos. Todos os dias, sinto falta do meu pai, que morreu de câncer em 2016, e nunca posso agradecê-lo o suficiente por ter segurado minha mão até o fim”, revelou a atriz. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...