Green Book: O Guia | Herdeiros de Don Shirley falam pela primeira vez sobre as polêmicas do filme

Mais uma informação sobre o filme indicado ao Oscar, Green Book: O Guia, que enfrentou uma série de polêmicas. Inicialmente elas aconteceram por causa de certas atitudes do diretor Peter Farrelly quando era mais jovem, e por um comentário preconceituoso feito pelo roteirista Nick Vallelonga. Depois,  houve a crítica feita pela Associação Nacional para O Progresso de Pessoas de Cor (NAACP), nos EUA.

O longa, baseado numa história real e não publicada em outro lugar, fala sobre Tony “Lip” Vallelonga (Viggo Mortensen), um descendente de italianos, que aceita trabalhar como motorista do Dr. Don Shirley (Mahershala Ali), um pianista de jazz negro, durante uma turnê pelo sul dos EUA, na década de 60.

Durante sua longa vida, Dr. Don Shirley fez duas amizades em Manhattan. O primeiro foi o financista holandês Michiel Kappeyne. Ele conheceu o grande pianista em 1995, depois que esse participou de um dos concertos de Shirley. Após o evento, Kappeyne enviou uma carta de agradecimento para Shirley, que ligou para elogiá-lo e agradecer pelo reconhecimento. Os dois se aproximaram muito, estabeleceram uma relação de mentor e protegido. Shirley começou a oferecer aulas de pianos para Kappeyne.

Outro amigo foi John Scoulios. Eles se conheceram no início dos anos 80. O jovem trabalhava numa lanchonete, vendendo hambúrgueres. Shirley era um cliente. Depois de conversarem uma vez ou outra, o pianista o convidou para sua casa para ouvirem música. Scoulious lembrou numa entrevista ao Hollywood Reporter: “Eu não sabia que as pessoas viviam no Carnegie Hall. Eu estava impressionado com aquele apartamento, o lustre, o piano de cauda … Nós conversamos a noite toda. Ele ficava me dizendo que sou inteligente. Fiquei pensando: ‘Esse cara nem me conhece!'”.

Mahershala como Don Shirley em “Green Book”

Scoulios foi convencido por Shirley a retornar à faculdade para terminar o curso de matemática e conseguir o seu diploma. E a amizade não parou por aí. Mais tarde, quando Scoulios se casou e teve filhos, Shirley ensinou a um deles, Nicholas, a tocar piano. “Ele conseguia ensinar qualquer um em qualquer idade. Foi marcante.”, lembrou o amigo.

Leia a nossa crítica de ‘Green Book: O Guia’

Na última década de sua vida, Shirley foi expulso de seu apartamento no Carnegie Hall. Essas duas amizades foram importantíssimas. Kappeyne e Scoulios ajudaram a contratar um enorme guindaste para retirar o piano pela janela. “Foi uma tarefa complicada. Aquele piano! E havia tantas coisas no apartamento. Foi definitivamente difícil, mas conseguimos. E ele saiu em seus próprios termos.”, disse John. Shirley se mudou para Central Park Place e 57th Street, onde ele podia ver seu amado Carnegie Hall até sua morte.

A propriedade de Shirley, avaliada entre 500 a 1 milhão de dólares, foi deixada para Kappeyne, que também foi nomeado executor da vontade de Shirley, com a condição de que Scoulios assumisse caso Michael não pudesse executar suas funções.

Kappeyne e Scoulios assistiram ao Green Book: O Guia durante uma exibição íntima para amigos e familiares. Eles foram consultados pelos produtores para saberem informações sobre Shirley, como que tipo de músicas ele tocaria?

Participe do nosso bolão do Oscar 2019 e ganhe prêmios!

Viggo Mortensen, o diretor Peter Farrelly, e Mahershala Ali, durante as gravações de “Green Book”

Edwin Shirley III, sobrinho do pianista, também estava nessa sessão e revelou que a experiência de ver aquele filme foi “bastante discordante”. Maurice, irmão de Shirley, e sua esposa Patrice viram o filme mais tarde e disseram que Green Book era uma “sinfonia de mentiras”.

Kappeyne e Scoulios não foram tão críticos assim. O último disse: “Entrando, eu olhei para o filme como é verdade, isso é verdade, isso é falso, isso é algo que Doc faria ou diria. Eu conhecia o cara. Mas é Hollywood e os escritores vão adicionar seu privilégio de escrever, por assim dizer.”

Kappeyne, por outro lado, gostou bastante. “É maravilhoso. Dr. Shirley era uma figura muito complicada. Ele teria ficado muito satisfeito com a maneira como Mahershala o representava.”, comentou o financista.

No entanto, uma cena pegou os dois de surpresa. SPOILER: aquela em que Shirley é preso por se pego tendo relações sexuais com outro homem. Tony aparece e suborna o policial para que o pianista seja solto. Nem Kappeyne, nem Scoulios suspeitavam de que Shirley pudesse ser homossexual.

Dr. Don Shirley (esquerda) e Mahershala Ali (direita) no papel do renomado pianista

Green Book: O Guia recebeu 5 indicações ao Oscar, incluindo Melhor Filme, e está em cartaz nos cinemas. A cerimônia será realizada no dia 24 de fevereiro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.