José Padilha irá dirigir filme sobre a origem do Jiu-Jitsu na Netflix

Conhecido mundialmente, o Jiu-Jitsu brasileiro terá sua história de origem contada por José Padilha na NetflixDead or Alive também será produzido e co-escrito pelo próprio Padilha, em parceria com Peter Maguire. Greg Silverman será co-produtor. A informação é do The Hollywood Reporter.

Dead or Alive acompanhará dois homens, Mitsuyo Maeda e Rickson Gracie, em um conto épico que vai desde o Japão de 1800 até aos dias de hoje, EUA e Japão, focado em dois homens de mundos muito diferentes que desenvolveram e espalharam a arte marcial mista que ficou conhecida como Jiu-Jitsu brasileiro.

Maeda era uma espécie de embaixador de artes marciais que viajou do Japão para as Américas para mostrar a arte da luta, chegando ao Brasil através de um circo em 1914. Em uma demonstração ele conheceu Carlos Gracie, com os dois se tornando mestre e estudante. Gracie depois ensinou seus irmãos, criando uma dinastia familiar de praticantes e campeões de MMA que dura até hoje. Rickson Gracie, sobrinho de Carlos Gracie, é um lutador aposentado que venceu vários campeões e é indicado ao Hall da Fama do MMA.

“Este é um filme com apelo universal com personagens da vida real notáveis”, disse Silverman em um comunicado. “Rickson Gracie é um dos maiores lutadores de todos os tempos e estamos honrados em compartilhar sua história. Sou admirador de José há anos, e estamos honrados por ele ter escolhido a Stampede [produtora de Silverman] para colaborar com o Dead or Alive , e para compartilhá-lo com a audiência global da Netflix.”

Diretor do documentário Ônibus 174, Padilha é o cineasta brasileiro que alcançou maior notoriedade internacional nos últimos anos, impulsionado pelo sucesso dos dois filmes de Tropa de Elite. Ele dirigiu o remake de Robocop em 2014, e se torno produtor executivo e diretor de Narcos, série da Netflix sobre a origem dos cartéis de drogas na América Latina. Padilha também é co-criador da controversa série O Mecanismo, que deve lançar sua segunda temporada em breve.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Léo Barreto

Carioca, apreciador de filmes e séries em tempo integral, quando o Bernardo (filho dele) deixa. Iniciou sua admiração pela sétima arte com os clássicos da sessão da tarde e se apaixonou pelo mundo das séries quando o Voo 815, da Oceanic, caiu misteriosamente em algum lugar no meio do nada...