Green Book: O Guia | Entenda as polêmicas que ameaçam o filme na corrida pelo Oscar

O filme Green Book: O Guia, que acabou de vencer vários prêmios no Globo de Ouro 2019, incluindo Melhor Filme Comédia/Musical, pode sofrer algumas consequências faltando poucos dias para o anúncio dos indicados ao Oscar. Tudo isso por causa de várias polêmicas envolvendo o diretor Peter Farrelly e um dos roteiristas Nick Vallelonga. Entenda mais:

Em relação ao diretor, o site The Cut ficou sabendo de uma história que ocorreu há vinte anos. Foi publicada uma entrevista feita em 1998 com Peter Farrelly e seu irmão e parceiro Bob Farrelly, na qual eles diziam que gostavam de usar truques para que as pessoas olhassem para os seus pênis.

O diretor, ao ficar sabendo da publicação pelo site, se desculpou: “Eu fui um idiota. Eu fiz isso há décadas e eu pensei que estava sendo engraçado e a verdade é que eu estou envergonhado agora. Eu sinto muito.”. Além disso, ele admitiu ter mostrado o pênis à atriz Cameron Diaz durante as gravações do filme Quem Vai Ficar com Mary?. O diretor insiste que aquilo foi somente uma piada. “Não é como se eu tivesse o hábito de simplesmente balançá-lo e dizer: ‘Ei! Veja! Meu pau!”, ele disse.

Em entrevista ao Sunday Times na época, a atriz disse: “Nós estávamos em um restaurante e Peter Farrelly me mostrou seu pênis. Isso foi o bastante, sério. Ele teve uma resposta positiva. Era tudo o que ele precisava saber. Que estava tudo bem por mim.”

Viggo Mortensen, o diretor Peter Farrelly, e Marershala Ali, durante as gravações de “Green Book”.

Mas as polêmicas não param por aí. Um tweet feito pelo roteirista Nick Vallelonga em 2015 foi desenterrado e isso está lhe causando alguns problemas. Ele é filho de Tony Lip Vallelonga, interpretado por Viggo Mortensen em Green Book: O Guia.

Em 2015, Donald Trump, atual Presidente dos EUA, afirmou em entrevista ao The Washington Post que viu várias pessoas em Nova Jersey torcendo pelo atentado do 11 de setembro de 2001. “Eu assisti quando as Torres Gêmeas foram a baixo. Eu assisti na cidade de Jersey, New Jersey, onde milhares e milhares de pessoas estavam torcendo enquanto a construção caía. Milhares de pessoas estavam torcendo.”.

Vallelonga, na época, fez o seguinte comentário: “100% correto. Muçulmanos na cidade de Jersey torcendo enquanto as torres caiam. Eu vi isso, assim como você, possivelmente na CBS News.”.

Veja o tweet abaixo:

Quando questionado sobre o caso, o roteirista respondeu: “A conta no Twitter foi deletada… não tenho certeza se algum comentário é realmente necessário aqui.”.

Vallelonga reiterou como Green Book derruba barreiras raciais e fala honestamente sobre racismo. Em entrevista à Variety, ele disse: “O filme é sobre pessoas se unindo, é sobre amor.”

Depois de toda essa confusão, o roteirista fez uma declaração se desculpando ao ator Mahershala Ali, que é muçulmano. “Eu quero me desculpar. Eu passei a minha vida tentando trazer essa história sobre superar as diferenças e encontrar um terreno comum para as telas e sinto muito por todos os associados ao filme. Eu particularmente me desculpo profundamente com o incrivelmente brilhante e gentil Mahershala Ali e todos os membros da fé muçulmana pela dor que causei. Eu também me desculpo com o meu falecido pai que mudou bastante com a amizade do Dr. Shirley e eu prometo que esta lição foi aprendida. Green Book: O Guia é uma história sobre amor, aceitação e superação de barreiras, e eu farei o melhor.”.

Além disso, o filme tem sido bastante criticado pela família do Dr. Don Shirley, interpretado por Ali, que alegam que o filme é uma “sinfonia de mentiras” e manipula a relação entre Shirley e Frank Vallelonga. Porém também elogiaram a atuação do vencedor do Oscar de 2017 de Melhor Ator Coadjuvante por Moolight: Sob A Luz do Luar.

Apesar das polêmicas, Mahershala Ali tem sido elogiado pelo papel como Don Shirley em “Green Book”

Vale lembrar que no ano passado o ator James Franco ganhou o Globo de Ouro na categoria Melhor Ator Comédia/Musical pelo longa Artista do Desastre. Ele tinha fortes chances de ser indicado ao Oscar, mas elas foram embora quando, logo após a vitória, surgiram escândalos de assédio sexual envolvendo o ator.

Green Book: O Guia, vencedor do Festival de Toronto do ano passado e do National Board of Review, estreia no dia 24 de janeiro no Brasil.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Paulo Victor Costa

Depois que descobriu "The Truman Show" e "Lost", passou a viver de filmes e séries. Também é muito fã dos filmes do Spielberg. Tenta assistir de tudo para poder debater com outras pessoas.