Sul de Minas tem o primeiro cinema autossustentável da América Latina

A Rede Cine A acaba de inaugurar em Itajubá, no Sul de Minas Gerais, um cinema autossustentável, um conceito inédito na América Latina e que demandou investimento de R$ 14 milhões para construção de quatro salas. A inauguração foi em 03 de janeiro.

O local conta com usina própria para geração de energia solar; sistema de captação e reutilização da água da chuva; pontos para carregar carros elétricos e para coleta de lixo eletrônico; além de espaços que incentivam o uso da bicicleta e a prática de exercícios físicos, como Yoga, Slackline, meditação e dança.

E tudo isso está em um cinema de rua.

“Os cinéfilos precisam de mais cinemas de rua. O mundo precisa de mais ações sociais e construções inteligentes. Essa é a nossa proposta, com a construção desse complexo moderno, inovador e autossustentável. Vamos juntos construir um mundo melhor. Um lugar limpo, rico de cultura e repleto de emoção”, afirma Silvio Gutierris, diretor da Rede Cine A.

O empreendimento, com 4 mil m² de área construída, fica no bairro Estiva, próximo à prefeitura e ao teatro da cidade. O projeto arquitetônico traz design arrojado e espaço elegante, que garante conforto e lazer.

Com tudo isso reunido em um só lugar, o Cine A Itajubá já recebeu a certificação de construção verde. O selo é da LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), maior certificadora mundial para edificações que utilizam energias renováveis e outros pré-requisitos de sustentabilidade e design.

O gerente de marketing da Cine A, Fábio Sales, explica que a escolha de Itajubá se deu pelo tamanho da cidade – cerca de 96 mil habitantes, de acordo com estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2018 -, e também pelo perfil do município considerado um polo educacional e de tecnologia.

“Itajubá é conhecida por ser um dos polos de inovação do estado. Estamos felizes e orgulhosos em contribuir para o desenvolvimento cultural e sustentável da cidade”, diz Sales.

Usina solar autossuficiente

A usina solar terá capacidade para gerar 24 mil KWH/mês, quantidade suficiente para abastecer todo o complexo. São 451 placas fotovoltaicas para a produção da energia através da irradiação solar. As células fotovoltaicas presentes nos semicondutores interligados das placas geram partículas de energia quando expostas à luz.

A energia gerada pela usina seria suficiente para abastecer 152 residências de Itajubá, já que o consumo médio nas casas brasileiras foi de 157 KWh por mês.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Natalí Alencar

Jornalista com experiência em redação para Revistas Especializadas e produção de conteúdo para websites, redes sociais e roteiros para vídeos. Tudo com foco em cinema. Apaixonada pela sétima arte!