Da palavra à imagem: Mostra Internacional de SP tem 301 títulos exibidos em mais de 30 espaços

A capital paulista recebe entre 18 e 31 de outubro a 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Durante essas duas semanas, serão exibidos mais de 300 títulos de diversos países e cinematografias apresentados em mais de 30 espaços, entre cinemas, espaços culturais e museus.

A Mostra abre com A Favorita, de Yorgos Lanthimos, vencedor do Grande Prêmio Especial do Júri e da Copa Volpi de Melhor Atriz para Olivia Colman no Festival de Veneza, em uma sessão para convidados no Auditório Ibirapuera.

A programação conta com diversos destaques vencedores em grandes festivais estrangeiros como Uma Terra Imaginada, de Siew Hua Yeo (Leopardo de Ouro no Festival de Locarno); Não Me Toque (Urso de ouro em Berlim), 3 Faces (melhor roteiro no Festival de Cannes) e Roma, de Alfonso Cuarón, que encerra a Mostra (Leão de Ouro em Veneza).

Uma das principais novidades é o Mercado de Ideias Audiovisuais, que ocorre pela primeira vez e terá três atividades: Encontro de Negócios, pitching Do Livro ao Filme e o II Fórum Mostra. A ideia é congregar ideias e debates em torno do audiovisual, desde a concepção do projeto, até a distribuição.

Dentre as homenagens especiais, podemos destacar o cineasta japonês Hirokazu Kore-eda, que será homenageado com o Prêmio Humanidades. Seu mais recente longa, Assunto de Família, foi destaque em Cannes ao receber a Palma de Ouro e também integra a programação da Mostra.

Outro Prêmio Humanidades será entregue à Drauzio Varella. Uma cópia restaurada de Pixote – A Lei do Mais Fraco e o curta Conversa com Ele, de Bárbara Paz, compõe a homenagem.

“Uma das características da Mostra desse ano é a palavra, a escrita, você vê tanto no pôster, na vinheta, e se conecta também com o mercado de ideias. Pela primeira vez vamos dar um Prêmio a um não cineasta, que é o Dráuzio Varella, mas sim um produtor de imagens. A exibição do curta Conversa Com Ele também reforça isso”, comentou durante a coletiva de imprensa, Renata de Almeida, diretora da Mostra.

Cerca de 30 obras latinas e 70 títulos brasileiros estão na programação, além de 18 obras que já foram indicadas ao Oscar e também filmes em realidade virtual, que aliás estão presentes desde a edição anterior.

A projeção ao ar livre que tradicionalmente ocorre na área externa do Auditório do Ibirapuera será com o longa A Caixa de Pandora, de Georg Wilhem Pabst, de 1928.

“A Mostra tem que ser um espaço de discussão e que as pessoas não sejam apedrejadas por isso. O que significa ser a favor da liberdade e contra uma cultura de linchamento”, comentou Renata ao fazer um paralelo sobre a importância da Mostra enquanto espaço de reflexão e o atual momento político que passa o País.

Mostra conta ainda com aplicativo que vai reunir toda a programação, notícias em tempo real e a reserva e compra de ingressos. Nesse ano, há ainda parceria com a Velox Tickets, sendo possível adquirir o ticket pela internet com antecedência de três a um dia da sessão.

Coletiva de imprensa para o lançamento da programação da 42ª Mostra de SP

Outros destaques

* A Mostra homenageia Nelson Madella com quatro títulos na programação, dentre eles O Estado Contra Mandela e os Outros;

* Quatro obras de Lars von Trier serão exibidas: A Casa que Jack ConstruiuOndas do DestinoEuropa e Elemento de um Crime;

* 20 anos de Central do Brasil serão comemorados com a exibição de uma cópia restaurada; outros aniversariantes que ganham destaque: O Bandido da Luz Vermelha e O Bravo Guerreiro (50 anos ambos).

*Clássicos e contemporâneos que serão exibidos no vão livre do MASP: Invictus (2009), Ópera do Malandro (1986), Matar ou Correr (1954), As Canções (2011) e Uma Vida de Segredo (2001).

Programação completa: http://42.mostra.org/br/home/

Natalí Alencar

Jornalista com experiência em redação para Revistas Especializadas e produção de conteúdo para websites, redes sociais e roteiros para vídeos. Tudo com foco em cinema. Apaixonada pela sétima arte!